Olga Gonçalves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Olga Gonçalves
Nascimento 1929
Luanda, Angola
Morte 3 de abril de 2004 (75 anos)
Lisboa, Portugal
Nacionalidade Portugal portuguesa
Ocupação Escritora, poeta, ficcionista e tradutora
Prémios Prémio Ricardo Malheiros (1975)

Olga Gonçalves (Luanda, 1929Lisboa, 3 de abril de 2004), foi uma escritora, poeta, ficcionista e tradutora portuguesa.[1]

Olga Gonçalves frequentou na Universidade de Londres, o King's College e o Queen Elizabeth College. Foi professora de inglês dos funcionários de uma empresa multinacional em Lisboa. Estreou-se como poetisa, com o livro Movimento (1972), mas firmou-se como autora de ficção em romances de questionamento sobre a realidade sociológica coletiva. Morreu a 3 de abril de 2004 em Lisboa.[2]

Obras[1][editar | editar código-fonte]

  • Movimento (1972) (poesia)
  • 25 Composições e 11 Provas de Artista (1973)
  • Só de Amor (1975) (sonetos)
  • A Floresta em Bremerhaven (1975)
  • Mandei-lhe Uma Boca (1977)
  • Este Verão o Emigrante là-bas (1978)
  • Ora Esguardae (1982)
  • Treze Contos de Sobressalto (1982)
  • O Livro de Olotolilisobi (1983)
  • Rudolfo (1985)
  • Sara (1986)
  • Armandina e Luciano, o Traficante de Canários (1988)
  • Contar de Subversão: Romance (1990)
  • Eis uma História (1993)

Prémios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Enciclopédia Larousse 9 (Lisboa: Temas e Debates). 2007. p. 3365. ISBN 978-972-759-929-5. 
  2. Lusa (5 de abril de 2004). «Morreu a escritora angolana Olga Gonçalves». Público. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]