Olho Seco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de patologia ocular, veja Xeroftalmia.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Olho Seco
Informação geral
Origem São Paulo, São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Hardcore punk
Thrashcore
Noisecore
Período em atividade 1980 - 1989
1998 - 2005
2011 - 2017
Gravadora(s) Punk Rock Discos, New Face Records, Gravações Sem Qualidade
Ex-integrantes Fábio Sampaio
Ricardo Quattrucci
Felipe Felipeles
Fábio Braga
Redson Pozzi
Sartana
Val Pinheiro
Gordo (Theodoros)
Luiz
Wilson Alviano
Mingau
Marcos
Arnaldo
Alexandre
Página oficial Facebook

Olho Seco é uma banda punk brasileira, formada em 1980 em São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

A banda foi formada em 1980 quando Fábio Sampaio foi em um ensaio do Cólera na Casa Verde, onde outra banda também ensaiava na mesma garagem. Essa banda chamada Osso Oco tinha Sartana como baterista. Ao fim do ensaio Fábio pede para o baterista que tinha um jeito mais direto de tocar se ele conseguia fazer um ritmo para uma letra que ele tinha escrito. Logo em seguida Val Pinheiro e Redson Pozzi se juntam assumindo o baixo e a guitarra. A idéia era gravar um EP e depois acabar a banda pois Fábio Sampaio achava ruim que integrantes tocassem em mais de uma banda ao mesmo tempo.

Em 1982 do Grito Suburbano, primeira coletânea de bandas punks brasileira e do participam do festival O Começo do Fim do Mundo, ambos marcos do início do movimento punk no Brasil.

Em 1983 lançam o 7" EP Botas, Fuzis, Capacetes, que foi muito bem recebido e rendeu à banda o convite para participar de diversas coletâneas internacionais como Welcome to 1984, promovida pelo fanzine punk Maximumrocknroll.

Em 1985, seu 7" EP de estréia é reeditado em LP como um split com a banda Brigada do Ódio. Em 1987, lançam o álbum Os Primeiros Dias.., somente com gravações originais de demo-tapes de 1981 e 1982. Mais tarde esse álbum é reeditado em CD, incluindo faixas de demo-tapes gravadas em 1982 e 1983.

Em 1988, lançam o 7" EP Fome Nuclear com o estilo musical mais voltado para o Grindcore, que se vai ao extremo no seu primeiro álbum Olho por Olho, pela Cogumelo Discos, em 1989. Algum tempo depois a banda se desfaz.

Em 1992 o primeiro 7" EP é novamente relançado como um split-LP, dessa vez com a banda Fogo Cruzado. Em 1995, a banda Ratos de Porão grava uma versão da música "Olho de Gato" e outro da música "Falsa Liberdade" no álbum Feijoada Acidente?.

Em 1996, Fábio se junta a Mingau, Marcos e Arnaldo e lançam o CD "Haverá Futuro?", com algumas músicas inéditas. Após a gravação do CD, a banda para novamente.

No início de 1998 o Olho Seco volta à tocar, somente com Fábio da formação antiga, além de Jeferson no baixo, Marcos na guitarra e André na bateria (membros da banda Agrotóxico), se apresentando por diversas cidades no brasileiras. Em 1999, fizeram pela primeira vez uma turnê européia, com 25 shows em 9 países, num total de 37 dias. O Olho Seco iniciou sua turnê em Amsterdam na Holanda, seguindo para Alemanha, Suécia, Dinamarca, Áustria, Eslovênia, Itália e Espanha, finalizando em Portugal.

Após seu retorno ao Brasil, o Olho Seco fez uma participação especial no show de lançamento do álbum-tributo a eles, intitulado Tributo ao Olho Seco, onde as mais expressivas bandas hardcore punk brasileiras, além de Força Macabra da Finlândia e Cripple Bastards da Itália fizeram versões de suas músicas. Nesse álbum, há uma música gravada pela formação original da banda, composta especialmente para esse lançamento, chamada "Crise da Fome".

Em 2000, o Olho Seco volta ao estúdio (pela primeira vez, ainda com a formação original) para gravar uma participação no álbum-tributo à banda finlandesa Rattus, editado pelo selo finlandês Fight Records. No mesmo ano, os Inocentes registram uma versão de "Sinto", do Olho Seco, em seu disco de covers "O Barulho dos Inocentes" até que a banda termina em 2005 por Fábio Sampaio estar com labirintite e não poder escutar barulhos muito altos.

Em 2011, o Olho Seco volta aos palcos e participa do Festival Punk na Páscoa, no Hangar 110 em São Paulo. Em 2015 a banda grava um split como Cólera e dia 1° de março de 2017 Fábio Sampaio posta uma nota no Facebook e Instagram que anuncia que vai "dar um tempo" da banda para pôr em prática "outros projetos" e agradece os atuais membros da banda.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • Botas, Fuzis e Capacetes (EP 1983)
  • Olho Seco (EP, 1984)
  • split c/Brigada do Ódio (1985)
  • Os Primeiros Dias.. (EP, 1987)
  • Fome Nuclear (EP, 1988)
  • Olho por Olho (1989)
  • split c/Fogo Cruzado (1992)
  • Haverá Futuro? (1996)
  • European Tour 1999 (2010)
  • Ao Vivo Hangar 110 (split com Cólera) (2015)

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • Grito Suburbano (12" EP, 1982, Punk Rock Discos)
  • Hardcore or What? (K7, 1982, XCentric Noise Records)
  • O Começo do Fim do Mundo (LP, 1983)
  • Raw War (K7, 1983, XCentric Noise Records)
  • Beating the Meat (LP, 1984, XCentric Noise Records)
  • Welcome to 1984 (LP, 1984, Maximum Rock'n'Roll Records)
  • Tropical Viruses #1 (K7, 1984, BCT)
  • Tropical Viruses #2 (K7, 1984, BCT)
  • 430 Años (K7, 1984)
  • Lärmattacke (3xK7, 1985, Art-Attack Produktionen)
  • Cultural Compost Pit (K7, 1985, Mothra Productions)
  • What are you Doing About that Hole in Your Head? (LP, 1986, Rot Records)
  • Rajoitettu Ydinsota - Tribute to Rattus (CD, 2000, Fight Records)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Música punk é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.