Olimpíada Brasileira de Linguística

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Olimpíada Brasileira de Linguística (OBL) é uma das Olimpíadas de Conhecimento no Brasil. Entre outros objetivos, ela selecionará estudantes brasileiros para participar da Olimpíada Internacional de Linguística. Sua primeira edição, da qual participaram escolas de 10 dos 27 estados da federação,[1] ocorreu em 2 de abril de 2011.[2] Cada edição recebe um nome, em vez de um número; o nome da primeira edição foi Kytã, que em tupi significa "nó".

A edição 2016, Ñanduti, ocorreu entre os dias 10 e 13 de novembro de 2016 (primeira fase) e no dia 3 de dezembro de 2016 (segunda fase). Os alunos premiados com medalhas de papel e pergaminho participaram em maio de 2017 da Escola Linguística de Outono, sediada na Universidade de Brasília, onde foi selecionada a equipe que representará o Brasil na 15ª Olimpíada Internacional de Linguística, de 31 de julho a 4 de agosto de 2017 em Dublin, Irlanda.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Seguindo o estilo da olimpíada internacional, as questões versam sobre vocabulário e aspectos linguísticos pouco conhecidos pela maioria dos participantes. Os temas e fenômenos linguísticos abordados incluem:[3]

Edição Kytã

Edição Noke Vana:

Edição Paraplü:

Edição Vina:

Edição Òkun:

Edição Ñanduti:

Edição Mărgele:

Referências

  1. Univesp Notícias. «Aconteceu no último sábado a primeira edição da Olimpíada Brasileira de Linguística». Consultado em 10 de abril de 2011. 
  2. «Olimpíada Brasileira de Linguística». Consultado em 5 de março de 2011. 
  3. «Olimpíada Brasileira de Linguística - Provas Anteriores». Consultado em 27 de maio de 2017.