Omar Karami

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Omar Karami
Primeiro-Ministro do Líbano
Período 24 de dezembro de 1990
a 13 de janeiro de 1992
Antecessor(a) Selim Hoss
Sucessor(a) Rachid Solh
Primeiro-ministro do Líbano
Período 25 de outubro de 2004
a 19 de abril de 2005
Antecessor(a) Rafik Hariri
Sucessor(a) Najib Mikati
Dados pessoais
Nascimento 7 de setembro de 1934
An Nouri, Líbano
Morte 1 de janeiro de 2015 (80 anos)
Beirute, Líbano
Alma mater Universidade do Cairo
Religião Islão Sunita

Omar Abdul Hamid Karami (em árabe: عمر عبد الحميد كرامي‎‎) (An Nouri, 7 de setembro de 1934 - 1 de janeiro de 2015) foi um político libanês que foi o 55º primeiro-ministro do seu país em duas ocasiões distintas.[1] Ele foi primeiro-ministro pela primeira vez a partir de 24 de dezembro de 1990, quando Selim Hoss desistiu de poder, ficando no cargo até 13 de janeiro de 1992, quando renunciou devido à instabilidade econômica.[2] Ele foi novamente o primeiro-ministro em outubro de 2004 a abril de 2005.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Karami trabalhou como advogado e empresário.[3] Em 1989, ele foi nomeado ministro da Educação e em 24 de dezembro de 1990, primeiro-ministro.[4] Ele esteve no cargo até maio de 1992, quando renunciou devido ao colapso da libra libanesa contra o dólar dos EUA, que provocou motins nas ruas. Karami foi eleito representante parlamentar de Trípoli em 1991, após o assassinato de seu irmão. No final de outubro de 2004, ele formou um gabinete após a renúncia de Rafik Hariri.[5][6]

Devido ao assassinato do ex-primeiro ministro Hariri em 14 de fevereiro de 2005, membros da oposição culparam a Síria pelo assassinato e exigiram que a Síria retirasse suas tropas e pessoal de inteligência do Líbano. Os protestos cresceram em Beirute, apesar da proibição oficial dos protestos públicos, e a oposição planejou pedir um voto de censura. Em meio à pressão crescente, Karami anunciou em 28 de fevereiro de 2005 que seu governo renunciaria.[7]

Dez dias após a renúncia, após protestos em Beirute que apoiavam o presidente Karami, o presidente Émile Lahoud renomeou Karami como primeiro-ministro em 10 de março e pediu-lhe que formasse um novo governo.[8] Com o apoio da maioria dos deputados, Karami apelou a todos os partidos para se juntarem a um governo de unidade nacional.[9]

Em 13 de abril, após não conseguir criar um novo governo, Karami renunciou novamente.[10][11] Ele foi substituído por Najib Mikati no cargo.[11] Esta renúncia adicionou à turbulência já prevalecente no Líbano desde o assassinato de Hariri, pois agora não havia governo para convocar as eleições que eram devidas em maio próximo.[12] Karami não concorreu ao cargo nas eleições gerais de 2005.[13][14]

Referências

  1. «Morre o ex-primeiro-ministro libanês Omar Karami». G1. 1 de janeiro de 2015. Consultado em 7 de julho de 2017 
  2. Salem, Paul E. (22 de setembro de 1994). «The wounded republic: Lebanon's struggle for recovery». Arab Studies Quarterly (em inglês). Consultado em 6 de julho de 2017 
  3. «Karami back to lead Lebanese Government». China Daily. Beirut. 12 de março de 2005. Consultado em 18 de março de 2013 
  4. Salem, Paul E. (22 de setembro de 1994). «The wounded republic: Lebanon's struggle for recovery». Arab Studies Quarterly. Consultado em 27 de março de 2013 
  5. Nada Raad; Nafez Kawas (27 de outubro de 2004). «Karami unveils final Cabinet lineup». The Daily Star. Bairut. Consultado em 15 de março de 2013 
  6. «Hezbollah ignored as Lebanon's top three leaders get major government shares». Lebanon Wire. 27 de outubro de 2004. Consultado em 25 de março de 2013. Cópia arquivada em 21 de março de 2013 
  7. «2-2005». Rulers. Consultado em 10 de abril de 2013 
  8. O'Loughlin, Ed (11 de março de 2005). «Beirut spring falters as Syria revives a PM». The Sydney Morning Herald. Consultado em 15 de março de 2013 
  9. «Comeback for pro-Syria Lebanon PM». BBC. 10 de março de 2005. Consultado em 13 de setembro de 2012 
  10. Dabashi, Hamid (7 de setembro de 2006). «Lessons from Lebanon: Rethinking national liberation movements». Al Ahram Weekly. 811. Consultado em 25 de março de 2013. Cópia arquivada em 25 de março de 2013 
  11. a b «4-2005». Rulers. Consultado em 10 de abril de 2013 
  12. «Lebanese cabinet talks collapse». BBC. 13 de abril de 2005. Consultado em 13 de setembro de 2012 
  13. Moubayed, Sami (8 de julho de 2005). «The new face of Lebanon». Asia Times Online. Consultado em 27 de março de 2013. Cópia arquivada em 12 de dezembro de 2005 
  14. «Hariri"s son set to win Beirut poll». Asharq Alawsat. 27 de maio de 2005. Consultado em 23 de abril de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) político(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.