Omertà

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o álbum de Adrenaline Mob, veja Omertà (álbum). Para o livro de Mario Puzo, veja Omertà (livro).

Omertà (do latim humilitas; "humildade") é um termo da língua napolitana que define um código de honra de organizações mafiosas do Sul da Itália. Fundamenta-se num forte sentido de família e num voto de silêncio que impede cooperar com autoridades policiais ou judiciárias, seja em direta relação pessoal como quando fatos envolvem terceiros. A omertà existe além do Sul da Itália peninsular também nas três grandes ilhas: Sicília, Sardenha e Córsega.[1]

O termo também deu origem ao nome da 35ª fase da Operação Lava Jato, prendendo o ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda, Antonio Palocci Filho. Também foram presos seus ex-assessores Juscelino Dourado e Branislav Kontic, que atuavam como operadores e laranjas.[2]

Referências

  1. PAOLI, Letizia (2003). Mafia Brotherhoods: Organized Crime, Italian Style. [S.l.]: Oxford/New York: Oxford University Press. ISBN 0-19-515724-9 
  2. «Dois ex-assessores de Palocci também são presos pela Lava Jato - Agência Estado - UOL Notícias». Consultado em 27 de setembro de 2016 

Ver também[editar | editar código-fonte]