One Vanderbilt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
One Vanderbilt

One Vanderbilt (também conhecida como One Vanderbilt Plase[1]) é um arranha-céu em construção na Cidade de Nova York, na esquina da rua 42 com a Avenida Vanderbilt, em Manhattan, no estado de Nova York. Foi proposta pelo Prefeito de Nova York, Bill de Blasio e pelo desenvolvedor SL Green Realty como parte do esforço de revitalização de Midtown East, a torre vai ficar ao lado do Grand Central Terminal.

Quando concluído, em 2020, terá 57 andares, 150.000 m² de área construída. o último andar do arranha-céu estará a 397 metros de altura e, incluindo a antena, sua torre terá 427 metros de altura, tornando-a o quarta-edifício mais alto da cidade após a conclusão do Central Park Tower e 111 West 57th Street.

História[editar | editar código-fonte]

Planejamento[editar | editar código-fonte]

No início da década de 2000, SL Green Realty começou a procurar locais no centro de Manhattan, para construir um novo arranha-céu. Esta necessidade de espaço para escritórios faria parte de uma tendência geral, onde Manhattan teve um incremento de 10%, na área contruida para este fim, entre 2000 e 2016.[2] A incorporadora começou a comprar os edifícios do quarteirão delimitado pela Avenida Vanderbilt, Rua 42, Avenida Madison, e pela Rua 43 (conhecida como Terminal urbano).[3]

Como parte da administração do Prefeito Michael Bloomberg, a área em torno do Grand Central Terminal era para ser remodelado, com vários arranha-céus construído no leste de manhattan. Isso implicava no rezoneamento de 73 blocos do bairro diretamente ao redor do terminal. No entanto, os planos de Bloomberg, para um novo distrito de arranha-céus, foram rejeitadas em novembro de 2013, por causa das preocupações de moradores, de preservacionistas e de políticos locais preocupados que o afluxo de trabalhadores de escritório para a área poderia perturbar a qualidade da área.[4] A área foi reclassificada de qualquer maneira, em setembro de 2013.[5] Os planos para o edifício Vanderbilt foram lançados em Maio de 2014. O arranha-céu teria inicialmente 65 andares, e a proposta veio junto de melhorias para a estação Grand Central e de uma praça de 1,300 m² de área entre Avenida Vanderbilt e as ruas 42ª e 43ª.[6]

Em julho de 2014, houve uma disputa com a Grand Central Terminal referente às propriedades do direito de uso do ar acima da estação, e os advogados do terminal ameaçaram um processo no valor de US$1 bilhão.[7] A ação foi liquidada em agoto de 2016[8] 

Em 24 de setembro de 2014, Andrew Penson, proprietário do Grand Central Terminal, fez uma oferta de US$ 400 milhões em troca da construção do One Vanderbilt, proposto como um edifício de 67 andares na altura. O SL Green gastaria US$ 210 milhões para construir melhorias no transporte nas estações de metrô e trens suburbanos abaixo.[9] Penson iria vender 1,3 milhões de pés quadrados de direitos aéreos, que veio com a estação quando ele comprou em 2006. A área do piso, que ele comprou em US$ 61 por 1 pé quadrado (0,093 m²), seria quase 10 vezes mais, a US$ 600 por pé quadrado, para a mesma quantidade de área em setembro de 2014. SL Green rejeitou a oferta como um "golpe publicitário", porque em sua proposta de setembro de 2014 para a cidade, por US $ 400 por metro quadrado, o SL Green queria construir uma torre duas vezes maior que as regras de zoneamento permitidas.[10]

A machine moves demolition debris
Demolição em curso, em agosto de 2016

Até setembro de 2014, poucos detalhes eram conhecidos sobre a construção.[11] A projeção da data de conclusão em 2020 foi revelado em dezembro de 2014.[12]

Em fevereiro de 2015, Avenida Vanderbilt, entre as ruas 42 e 47, foi reclassificada como Corredor Vanderbilt no texto da emenda de rezoneamento, que permite a requalificação do corredor.[13]

Início da construção[editar | editar código-fonte]

Construction work at the foundation of One Vanderbilt, seen in August 2017
Trabalho na fundação, em agosto de 2017
O progresso na construção, em  Agosto De 2018

Em 2015, começou a demolição no local do One Vanderbilt,[14] iniciando o processo de construção do arranha-céu.[15] Os prédios que foram demolidos, foram construídas em torno da Grand Central ao mesmo tempo, embora banal, de aparência e sem importância para a função da estação.[16]

O lançamento oficial ocorreu em 18 de outubro de 2016, em um evento com a presença do Prefeito Bill de Blasio, bem como vários executivos da SL Green.[17] Até 2017, a fundação deve ser concluído, com toda a construção prevista para ser aberta em 2020.

Em julho de 2018, o edifício já estava 37% alugados.[18] Os inquilinos incluem:

Hall de entrada- TD Bank

2º andar- Eatery Restaurante

26º andar- DZ Bank

4 Desconhecido andares- Greenberg Traurig

Andares 44, 45, 46 e 67- McDermott

Andares 36, 37 e 38- Grupo Carlyle


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «One Vanderbilt». Skyscraper Page. Consultado em 6 de setembro de 2014. 
  2. Morris, Keiko (17 de outubro de 2016). «Developer Sees Manhattan Office Tower as a New Landmark». Wall Street Journal. ISSN 0099-9660. Consultado em 19 de outubro de 2016. 
  3. Warerkar, Tanay (18 de outubro de 2016). «One Vanderbilt reveals public plaza, huge transit hall in new renderings». Curbed NY. Consultado em 19 de outubro de 2016. 
  4. Bagli, Charles V. (12 de novembro de 2013). «End of Proposal to Raise Skyline on the East Side». The New York Times. ISSN 0362-4331. Consultado em 19 de outubro de 2016. 
  5. «East Midtown Rezoning» (PDF). nyc.gov. New York City Department of City Planning. 2013. Consultado em October 19, 2016.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  6. Bagli, Charles V. (29 de maio de 2014). «65-Story Tower Planned Near Grand Central Terminal». The New York Times. ISSN 0362-4331. Consultado em 19 de outubro de 2016. 
  7. «Grand Central Landlord Threatens Lawsuit Over One Vanderbilt - Commercial Observer». Commercial Observer. 16 July 2014. Consultado em 13 September 2014.  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  8. Plitt, Amy (10 de agosto de 2016). «One Vanderbilt lawsuit settled, paving way forward for Midtown supertall». Curbed NY. Consultado em 20 de outubro de 2016. 
  9. «Grand Central owner offers SL Green $400M for One Vanderbilt». The Real Deal. 24 September 2014. Consultado em 12 October 2014.  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  10. Bagli, Charles V. (23 September 2014). «Owner of Grand Central Vies With Developer Over Skyscraper on an Adjacent Block». The New York Times. Consultado em 12 October 2014.  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  11. «Residents Try to Get Details on New Midtown East Plan». WSJ. 12 September 2014. Consultado em 13 September 2014.  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  12. «KPF Pen New York Supertall». Skyscraper News. 7 December 2014. Consultado em 8 December 2014.  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  13. «Vanderbilt rezoning the start of something big». Real Estate Weekly. 11 March 2015. Consultado em 12 March 2015.  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  14. Cuozzo, Steve (15 de março de 2016). «One Vanderbilt mega-office tower picking up steam». New York Post. Consultado em 19 de outubro de 2016. 
  15. YIMBY, New York (17 de junho de 2014). «New Details Released for One Vanderbilt». New York YIMBY. Consultado em 24 de agosto de 2014. 
  16. Chaban, Matt A. (16 de outubro de 2016). «Future Neighbor Will Tower Over Grand Central, but Allow It to Shine». The New York Times. ISSN 0362-4331. Consultado em 19 de outubro de 2016. 
  17. «One Vanderbilt Construction Underway After Official Groundbreaking». DNAinfo New York. Consultado em 19 de outubro de 2016.. Arquivado do original em 20 de outubro de 2016 
  18. «Carlyle Group signs on for three floors at One Vanderbilt». New York Post (em inglês). 31 de julho de 2018. Consultado em 11 de setembro de 2018.