Operações de Fonte Especial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste anexo necessitam de formatação (desde junho de 2014). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

Operações de Fonte Especial (SSO) é o departamento da NSA responsável pelas operações que estabelecem parcerias com empresas para atender ao sistema de vigilância global[1] Através destes acordos as empresas passam a contribuir com a coleta de dados que vāo ser armazenados e processados pela NSA.[2] [3] [4] [5] [6]

(em inglês Special Source Operations), sigla (SSO).

Desenho entre os documentos - Nuvem do Google

Papel do Operações de Fonte Especial (SSO)[editar | editar código-fonte]

As parcerias corporativas, são apenas 1 das 3 formas como a NSA vem coletando dados da Internet:[7] .

Meios da coleta de dados[editar | editar código-fonte]

A coleta de dados que serão processados e armazenados como parte do programa de vigilância global, pode ser feita através de:

  • Cooperação com as empresas[8] [9] [10] [11]
  • Cooperação com agências de inteligência no exterior
  • Executando operações unilaterais para interceptar os dados enquanto passam pelos cabos da Internet

Cooperação com as empresas[editar | editar código-fonte]

As operações da NSA que envolvem parcerias com Empresas que contribuam para facilitar as interceptações de dados, como parte da execuçāo dos seus programas de vigilāncia global se relacioanm ao departamento da NSA Operações de Fonte Especial (SSO).Este é o departamento responsável pelas operações da NSA que estabelecem as parcerias com Empresas que contribuam para facilitar as interceptações de dados. que incluem, mas nāo se limitam, ao monitoramento de e-mails e telefonemas pela NSA.[12] [13]

No caso do Brasil, há indicaçōes de que tais operações foram executadas com parcerias formadas com empresas atuando no Brasil, conforme revelações de Snowden em 2013, e a possibilidade de que empresas no Brasil estariam sendo parte delas, é mostrada nas apresntaçōes da NSA.[14] Tais indicaçōes resultaram na instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito destinada a ouvir representantes de companhias telefônicas, como Telefônica GVT, Oi e TIM, e da Google Brasil, Facebook Brasil e Microsoft.

A Comissão Parlamentar busca avaliar se houve participação de empresas em facilitar as interceptações da NSA para monitoramento de e-mails e telefonemas pelos Estados Unidos no Brasil, independentemente do fato das empresas negarem sua participacao nos programas da NSA.[15] [16] [17]

De acordo com os documentos da NSA, em janeiro de 2013 apenas, a NSA tinha recolhido 2,3 bilhões de dados de usuários brasileiros. [18] Documentos sobre o um outro programa, o Fairview também fazem referência à uma empresa como sendo a Empresa que é "parceiro chave" da NSA nos programas de vigilância.Tal empresa não havia sido identificada na documentação Snowden. No entanto, a empresa considerada "parceiro chave" pela NSA, foi identificada em 23 de outubro de 2013 pelo The Washington Post como sendo a AT&T.[19]

Cooperação com agências de inteligência no exterior[editar | editar código-fonte]

Neste caso, as parcerias são geralmente feitas através de acordos, como o caso do acordo dos chamados Cinco Olhos (Five Eyes em inglês). Fazem parte do tratado a Austrália, o Canadá, a Nova Zelândia, o Reino Unido e os Estados Unidos da América. Estes países cooperam entre si sob o comando da NSA e o fazem através de suas agências de inteligência.[33] [34]

No caso das revelações de que o Canadá espionou no Brasil[35] [36] , isso foi feito através do CSEC, a agência canadense equivalente a NSA. CSEC é altamente secreto e assim como a NSA dispõe de recursos bilionários, [37] e opera quase como não existente. Os documentos revelados por Snowden mostram como a agência canadense de inteligência, signatária do acordo com a NSA, foi a agência de inteligência que dirigiu seus recursos para a espionagem no Brasil. Os slides das apresentações indicam a participação destes parceiros nos programas de vigilância. Em muitos dos slides, na barra superior, pode ser vista a indicação dos países que dividem o programa com a NSA. A inscrição diz:TO (para): USA, AUS, CAN, GBR, NZL, que significa o compartilhamento é entre USA, Austrália (AUS), Canada (CAN), Grã Bretanha (GBR) e Nova Zelândia (NZL), exatamente os chamados Cinco Olhos. No caso em que existe a cooperação com agências de inteligência há o compartilhamento dos programas e das funções. Veja a indicação da participação dos cinco países nos slides da publicação do Fantástico da Globo.[38]

Executando operações unilaterais[editar | editar código-fonte]

A coleta dos dados feita enquanto estes passam pelos cabos de fibra e infra-estrutura da Internet, ficou conhecida como "Coleta Upstream, um termo usado em um dos slides do PRISM.[39] [40] [41]

Conforme mostra o slide, o PRISM e Coleta Upstream devem ser usados ao mesmo tempo. O slide diz: "Você deve usar ambos". No caso, a NSA intercepta os dados diretamente, enquanto passam pelos cabos e infra estrutura da internet.

No caso da Coleta Upstream, a NSA estaria provavelmente executando operações unilaterais para interceptar os dados enquanto passam pelos cabos da Internet.[42] Slides de apresentação da NSA mostram que o Programa de Coleta Upstream e PRISM devem ser usados ao mesmo tempo. Os slides foram publicados pelo The Washington Post.[43]

Revelações da Participaçāo de empresas[editar | editar código-fonte]

A existência de acordos com empresas foi revelada através de documentos fornecidos por Edward Snowden em 2013.[44]

As operações do departamento SSO, tiveram inicio em 2006, de acordo com os documentos. Naquela ocasião a NSA estava coletando o equivalente aos dados de uma Biblioteca do Congresso americano a cada 14.4 segundos.[45]

Um artigo publicado pelo jornal O Globo de 11 de junho de 2013, de co-autoria do jornalista do Guardian Glenn Greenwald revelou que através do Fairview (Programa de Vigilância), a NSA teve acesso aos dados da Internet e de telefone dos cidadãos brasileiros, por meio de parcerias das empresas de telecomunicações brasileiras com empresas de telecomunicações americanas. O FAIRVIEW é um programa de vigilância em massa da NSA, que amplia a capacidade da coleta de dados de telefone, internet e e-mail, acessando os dados diretamente de computadores e telefones celulares dos cidadãos dos países estrangeiros. [46]

Empresas Envolvidas[editar | editar código-fonte]

Uma apresentação da NSA publicada em 8 de julho de 2013, mostra que o program PRISM é executado com a participação das companhias listadas na apresentação, na qual a NSA afirma ainda que tem acesso direto aos servidores do Google, Facebook, Apple e outras gigantes da internet nos Estados Unidos.[47] [48] [49]

As empresas listadas na apresentação da NSA negaram seu envolvimento com a agência de inteligência americana.São elas:Microsoft, Google, Facebook, Yahoo!, Apple, YouTube, AOL, Paltalk e Skype.[50]

Um boicote às empresas colaboradoras da NSA é sugerido na midia mas considerado impossivel.[51] Tais revelações foram publicadas pelo jornal O Globo em 8 de julho de 2013.[52] [53] [54]

De acordo com documentos da NSA revelados por Edward Snowden, em um único dia, em 2012, a NSA coletou listas de contatos de e-mails de:

 22.881 contas do Gmail [49]
 82.857 contas do Facebook [49]
105.068 contas do Hotmail [49]
444.743 contas do Yahoo! [49]

Diariamente, a NSA coleta cerca de 500.000 listas de contatos em serviços de bate-papoao vivo e de caixas de entrada de contas de [[Webmail|webmails}} como o Gmail, por exemplo. No seu conjunto, os dados permitem que a NSA crie perfis detalhados de vida de uma pessoa com base em suas relações pessoais, profissionais, religiosas e políticas.

Em 2013, Edward Snowden[55] declarou que: "A NSA estabeleceu parcerias com grandes empresas americanas, incluindo AT&T, Verizon, Microsoft e Google. [1] Parcerias com empresas de telecomunicações nos países estrangeiros em seguida, permitem que as empresas dos EUA tenha acesso aos sistemas de telecomunicações desses países. Este acesso é então usado para direcionar o tráfego destes países para o repositórios da NSA nos Estados Unidos".[56] [9] [10] [57]

Em 29 de Março de 2014, o Der Spiegel publicou documentos emitidos pela divisão da NSA Operações de Fonte Especial (SSO) que mostram que em 7 de março de 2013 o governo de Barack Obama autorizou a interceptação de comunicaçōes em vários paises, a saber:China, México, Japão, Venezuela, Yemen, Brazil, Sudão, Guatemala, Bósnia e Russia.[1]

Em 13 de maio de 2014, no livro Sem lugar para se esconder[58] , de Glenn Greenwald foram revelados os nomes das empresas chaves na parceria com a NSA no programa de vigilância e espionagem mundial feito pelo governo americano ao redor do mundo.

Os documentos publicados mostram as companhias americanas[59] que fizeram alianças com a NSA no programa de vigilância global e são parceiras diretas e chave na espionagem e vigilância mundial.

Entre elas está a Verizon bem como a Qualcomm que fabrica e vende no mercado mundial equipamentos com backdoors para os malwares que facilitam a espionagem. Outras empresas reveladas como parceiras da NSA são: Cisco, Oracle, Intel, Qwest, EDS, AT&T, Verizon,Microsoft, IBM.

No caso da Qualcomm, ela é uma das empresas principais no fornecimento de chipsets e outras tecnologias incluindo processadores para dispositivos móveis como por exemplo, telefones celulares, bem como de hardware e software distribuídos ao redor do mundo e em parceria direta com a NSA ,fabricando e vendendo no mercado mundial equipamentos com backdoors para os malwares que facilitam a espionagem da NSA; seus equipamentos[60] tem papel fundamental no espionagem americana em vários países, incluindo mas não se limitando a: Brasil, Japão, Coréia do Sul, França, Alemanha.

[editar | editar código-fonte]

O Washington Post descreveu o símbolo oficial do programa como sendo algo "que deve ser uma parodia: uma águia controlando em suas garras todos os cabos do mundo".[61] A revista americana Slate publicou vários selos dos programas de vigilância e de Veículos aéreo não tripulados conhecidos como drones. A matéria intitulada: "Os designs mais arrepiantes do Governo americano para a vigilancia e drones .[62]

Programas que envolvem SSO[editar | editar código-fonte]

Apresentação da NSA sobre Operações de Fonte Especial(SSO)[editar | editar código-fonte]

(slides de documentos revelados por Snowden)

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c The Intercept: Der Spiegel: NSA Put Merkel on List of 122 Targeted Leaders - The Intercept
  2. Google, Facebook e outras teriam dado acesso indireto à NSA Jornal do Brasil (07 de junho de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  3. CPI da Espionagem vai ouvir Google, Facebook e empresas de telefonia Senado Federal do Brasil (24 de setembro de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  4. Greenwald, Glenn; MacAskill, Ewen; Poitras, Laura; Ackerman, Spencer; Rushe, Dominic (July 11, 2013). Como a Microsoft deu a NSA acesso as mensagens criptografadas The Guardian. Visitado em July 12, 2013.
  5. CPI da Espionagem vai ouvir Google, Facebook e empresas de telefonia Senado Federal do Brasil (24 de setembro de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  6. Microsoft colaborou com espionagem dos EUA, diz 'Guardian' O Globo (11 de julho de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  7. Top Level Telecommunications: Slides about NSA's Upstream collection
  8. CPI da Espionagem vai ouvir Google, Facebook e empresas de telefonia Senado Federal do Brasil (24 de setembro de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  9. a b EUA espionaram milhões de e-mails e ligações de brasileiros, O Globo, 6 de Julho de 2013. Acesso em 23 de Março de 2014.
  10. a b The NSA's mass and indiscriminate spying on Brazilians, Glenn Greenwald, The Guardian (London), 7 Julho 2013.
  11. Espionagem dos EUA se espalhou pela América Latina por Glenn Greenwald, Roberto Kaz e José Casado (12 de julho de 2013). Visitado em 19 de março de 2014.
  12. Jornal do Brasil - Ciência e Tecnologia - Google, Facebook e outras teriam dado acesso indireto à NSA
  13. Microsoft colaborou com espionagem dos EUA, diz 'Guardian' - Jornal O Globo
  14. Espionagem dos EUA se espalhou pela América Latina por Glenn Greenwald, Roberto Kaz e José Casado (12 de julho de 2013). Visitado em 19 de março de 2014.
  15. CPI da Espionagem vai ouvir Google, Facebook e empresas de telefonia Senado Federal do Brasil (24 de setembro de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  16. Microsoft colaborou com espionagem dos EUA, diz 'Guardian' O Globo (11 de julho de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  17. Espionagem da NSA inclui invasão a data centers de Google e Yahoo Jornal do Brasil (31 de outubro de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  18. O Globo: Mapa mostra volume de rastreamento do governo americano - O Globo
  19. What’s the deal with NSA’s operation names? Washington Post (22 de outubro de 2013). Visitado em 24 de março de 2014.
  20. Cinco olhos, todos em você - 09/07/2013 - Clóvis Rossi - Colunistas - Folha de S.Paulo
  21. STORMBREW-servidores dp Google sāo alvo da NSA - Programa Flying Pig (New Snowden documents show NSA deemed Google networks a "target.")09 de setembro de 2013
  22. Direct NSA Partners: AT&T, Verizon, Microsoft, Cisco, IBM, Oracle, Intel, Qualcomm, Qwest & EDS Washington's Blog 14 de maio de 2014
  23. Direct NSA Partners: AT&T, Verizon, Microsoft, Cisco, IBM, Oracle, Intel, Qualcomm, Qwest & EDS Washington's BlogDirect NSA Partners: AT&T, Verizon, Microsoft, Cisco, IBM, Oracle, Intel, Qualcomm, Qwest & EDS - 14 de maio de 2014
  24. NSA plantou malware em 50.000 redes, diz relatório Jornal O Globo - 25 de novembro de 2013
  25. NSA-Partners1.jpg (JPEG Image, 885 × 651 pixels) - Scaled (98%)Slide da NSA - Empresas parceiras estrategicas- 14 de maio de 2014
  26. Leia com exclusividade mais trechos do livro de Glenn Greenwald Sem lugar para se esconder Empresas parceiras da NSA reveladas no livro de Glenn Greenwald publicado em maio de 2014 - Jornal O Globo - 11 de maio de 2014
  27. NSA violou normas e lei de espionagem milhares de vezes VEJA - 16 de agosto de 2013
  28. LOVEINT: no primeiro dia de trabalho, funcionário da NSA espionou a ex namorada Lei e Desordem-Os abusos na NSA - Ars Technica, por Cyrus Farivar em 27 de setembro de 2013
  29. NSA foi usada até para investigar amantes | TecnoGeek – Novidades Tecnológicas28 de setembro de 2013
  30. Folha de S.Paulo - Mundo - Especial - 2010 - Wikileaks - Segredos da Diplomacia17 de abril de 2011
  31. NSA violava privacidade milhares de vezes por ano, diz jornal Manchetes-Reuters - 16 de agosto de 2013
  32. Direct NSA Partners: AT&T, Verizon, Microsoft, Cisco, IBM, Oracle, Intel, Qualcomm, Qwest & EDS Washington's Blog 14 de maio de 2014
  33. Folha de S.Paulo: Cinco olhos, todos em você - 09/07/2013 - Clóvis Rossi - Colunistas - Folha de S.Paulo
  34. Mapa mostra volume de rastreamento do governo americano Brasil é o país mais monitorado da América Latina O Globo (11 de junho de 2013). Visitado em 19 de março de 2014.
  35. G1 - Ministério de Minas e Energia foi alvo de espionagem do Canadá - notícias em Política
  36. Carta Maior: "Governos dos EUA, Inglaterra e Canadá mentem o tempo todo" - Carta Maior
  37. Inside Canada's top-secret billion-dollar spy palace - Politics - CBC News
  38. Fantástico - Veja os documentos ultrassecretos que comprovam espionagem a Dilma
  39. NSA slides explicam como é feita e coleta de dados e mostram que o Upstream deve sem usado com o PRISM. Ver slide publicado em 10 de julho de 2013 com as instruções) - The Washington Post
  40. Jornal do Brasil - Ciência e Tecnologia - Espionagem da NSA inclui invasão a data centers de Google e Yahoo!, diz jornal
  41. slides da NSA explicam como é feita e coleta de dados e mostram que o Upstream deve sem usado com o PRISM. Ver slide publicado em 10 de julho de 2013 com as instruções, publicado pelo The Washington Post.
  42. Top Level Telecommunications: Slides about NSA's Upstream collection
  43. NSA slides explicam como é feita e coleta de dados e mostram que o Upstream deve sem usado com o PRISM. Ver slide publicado em 10 de julho de 2013 com as instruções) - The Washington Post
  44. Gellman, Barton; Poitras, Laura (June 6, 2A013). US Intelligence Mining Data from Nine U.S. Internet Companies in Broad Secret Program The Washington Post. Visitado em July 12, 2013.
  45. Welcome to Utah, the NSA's desert home for eavesdropping on America | World news | theguardian.com
  46. FAIRVIEW: Programa que amplia a capacidade da coleta de dados-Mapa mostra volume de rastreamento do governo americano Brasil é o país mais monitorado da América Latina O Globo (11 de junho de 2013). Visitado em 19 de março de 2014.
  47. EUA têm acesso direto aos servidores de Google, Facebook e Apple, dizem jornais Carta Capital (06 de junho de 2012). Visitado em 07 de junho de 2013.
  48. U.S. intelligence mining data from nine U.S. Internet companies in broad secret program (em inglês) The Washington Post (06 de junho de 2013). Visitado em 06 de junho de 2013.
  49. EUA têm acesso direto aos servidores de Google, Facebook e Apple, dizem jornais — CartaCapital
  50. Inner workings of a top-secret spy program - The Washington Post
  51. The NSA has us snared in its trap – and there's no way out | Technology | The Observer
  52. Empresas de tecnologia negam colaboração com espionagem dos EUA - Jornal O Globo
  53. EUA têm acesso direto aos servidores de Google, Facebook e Apple, dizem jornais — CartaCapital
  54. CPI da Espionagem vai ouvir Google, Facebook e empresas de telefonia — Senado Federal - Portal de Notícias
  55. Entenda o caso de Edward Snowden, que revelou espionagem dos EUA G1 (02 de julho de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  56. CPI da Espionagem vai ouvir Google, Facebook e empresas de telefonia Senado Federal do Brasil (24 de setembro de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  57. Espionagem dos EUA se espalhou pela América Latina por Glenn Greenwald, Roberto Kaz e José Casado (12 de julho de 2013). Visitado em 19 de março de 2014.
  58. Leia com exclusividade mais trechos do livro de Glenn Greenwald Sem lugar para se esconder Jornal O Globo 11 de maio de 2014
  59. Direct NSA Partners: AT&T, Verizon, Microsoft, Cisco, IBM, Oracle, Intel, Qualcomm, Qwest & EDS Washington's BlogDirect NSA Partners: AT&T, Verizon, Microsoft, Cisco, IBM, Oracle, Intel, Qualcomm, Qwest & EDS - 14 de maio de 2014
  60. Report: NSA Intercepting Laptops Ordered Online, Installing Spyware Forbes 29 de dezembro de 2013
  61. Heil,Emily. "What's the deal with NSA's operation names?", 22 de Outubro de 2013. Página visitada em 23 de Março de 2014.
  62. Ryan Gallagher (01 de outubro de 2013). Os designs mais arrepiantes do Governo americano para vigilancia e drones (The U.S. Government's Creepiest Drone and Surveillance Designs) Slate. Visitado em 19 de março de 2014.
  63. a b cartacapital.com.br: EUA têm acesso direto aos servidores de Google, Facebook e Apple, dizem jornais — CartaCapital
  64. EUA têm acesso direto aos servidores de Google, Facebook e Apple, dizem jornais Carta Capital (06 de junho de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  65. Google, Facebook e outras teriam dado acesso indireto à NSA Jornal do Brasil (07 de junho de 2013). Visitado em 14 de março de 2014.
  66. Jornal O Globo: Microsoft colaborou com espionagem dos EUA, diz 'Guardian' - Jornal O Globo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]