Operation Rainfall

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Operation Rainfall
Tipo Campanha de fãs (2011–2015)
Blog de notícias (2015–presente)
Fundação junho de 2011
Propósito Divulgar jogos eletrônicos japoneses de nicho
Sítio oficial operationrainfall.com

A Operation Rainfall, atualmente conhecida como oprainfall, foi uma campanha de fãs de jogos eletrônicos fundada a fim de promover o lançamento de títulos exclusivos do Japão. Ela inicialmente tinha o objetivo de promover a localização norte-americana de três jogos exclusivos do Japão lançados no final do ciclo de vida do Wii, depois fez a transição para um blog comunitário dedicado a notícias de jogos japoneses de nicho e divulgação de outras campanhas pela localização de outros títulos. Sua intenção desde o começo era demonstrar para a publicadora Nintendo a demanda existente pelos jogos.

A campanha foi concebida em junho de 2011 a fim de fazer pressão na Nintendo pelo lançamento oficial na América do Norte de Xenoblade Chronicles, The Last Story e Pandora's Tower, três títulos exclusivos do Wii. A campanha e seu alcance chegaram a serem reconhecidas pela própria Nintendo, que inicialmente anunciou que não existiam planos para a localização dos jogos pedidos, porém os três acabaram sendo lançados em outros territórios nos anos seguintes. A recepção da campanha foi em sua maior parte positiva, sendo considerada um sucesso quando comparada com outras campanhas de objetivos similares.

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

A Operation Rainfall se focou em três RPGs eletrônicos lançados durante os últimos anos de vida útil do console de mesa Wii da Nintendo: Xenoblade Chronicles, The Last Story e Pandora's Tower.[1][2] Xenoblade Chronicles foi desenvolvido pela Monolith Soft e era parte da metassérie Xeno, tendo inicialmente sido anunciado sob seu título original Monado: Beginning of the World durante a Electronic Entertainment Expo de 2009.[3] Seu nome foi depois alterado com o objetivo de homenagear os trabalhos anteriores de Tetsuya Takahashi, diretor executivo e co-roteirista do jogo.[4] The Last Story foi desenvolvido pela Mistwalker, com seu diretor Hironobu Sakaguchi querendo que o jogo fosse contrário à típicos elementos do gênero, baseado em opiniões sobre seus dois títulos anteriores: Blue Dragon e Lost Odyssey.[5][6] Pandora's Tower foi desenvolvido pela Ganbarion, que anteriormente tinha trabalhado apenas em títulos licenciados. A empresa apresentou o conceito para Nintendo depois de terem impressionado a empresa com a recepção positiva para Jump Ultimate Stars.[7] Jornalistas e fãs tinham esperanças que esses jogos fossem lançados fora do Japão, porém a Nintendo não fez nenhum comentário sobre a questão.[1][4] A única explicação para a falta de localização foi relacionada a The Last Story: a Nintendo explicou que o jogo daria muito trabalho porque já estavam ocupados com Kirby's Epic Yarn e novos títulos para o Nintendo 3DS.[8] A Nintendo of Europe queria exibir Xenoblade Chronicles na Electronic Entertainment Expo de 2011, porém a Nintendo of America barrou sem explicação.[9] Em resposta a isso e ao contínuo silêncio sobre The Last Story e Pandora's Tower, a Operation Rainfall nasceu.[1][9]

Desenvolvimentos[editar | editar código-fonte]

A Operation Rainfall passou a existir em um esforço para persuadir a Nintendo a trazer esses jogos para a América do Norte.[1] Xenoblade Chronicles e The Last Story foram escolhidos devido ao renome daqueles envolvidos em suas produções, enquanto Pandora's Tower foi selecionado por causa de suas mecânicas de jogabilidade únicas e pelo fato de também ter sido publicado pela Nintendo para o Wii. A equipe também escolheu esses títulos porque já estavam confirmados para serem lançados em inglês na Europa e tinham sido bem recebidos pela crítica no Japão, dessa forma evitando defender o lançamento de um jogo mal-sucedido crítica e comercialmente como Earth Seeker. O título da campanha (em português: "Operação Chuva") veio da vontade do grupo de inundar a Nintendo of America com pedidos.[2] A Operation Rainfall começou em junho de 2011 nos comentários do quadro de mensagens do site de notícias IGN, recebendo o apoio da comunidade de jogos eletrônicos. A campanha espalhou para cartas e emails para Reggie Fils-Aimé, presidente da Nintendo of America, além de campanhas no Facebook e Twitter.[1][10] Meios físicos e digitais foram escolhidos para que fossem mais óbvios e mais difíceis de serem deletados, como poderia ser em uma campanha puramente digital. Para esse fim, cartas e objetos inspirados pelos títulos foram enviados para a Nintendo of America.[2]

A campanha se deu um prazo de dezoito meses, com a conclusão das operações coincidindo com o lançamento do novo console Wii U da Nintendo em novembro de 2012.[2] A primeira fase focou-se em Xenoblade Chronicles, com parte de sua campanha resultando em um grande número de pré-vendas sendo feitas na Amazon.com sob seu título original: o jogo alcançou a primeira posição na lista de pré-vendas do site, superando The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D e um pacote de um PlayStation 3 com Call of Duty: Black Ops.[1][11] A segunda fase coincidiu com o lançamento europeu de Xenoblade Chronicles, com o objetivo sendo que os fãs comprassem consoles Wii na data de estreia em 19 de agosto de 2011, além de enviarem mais cartas para a Nintendo of America.[12] Depois que o jogo foi anunciado para um lançamento norte-americano, a Operation Rainfall transferiu seu foco para The Last Story, empregando táticas semelhantes as que havia feito com Xenoblade Chronicles.[13] Para Pandora's Tower, a campanha se expandiu a fim de apelar para publicadoras de jogos japoneses de nicho, incluindo a Atlus USA, Xseed Games, Aksys Games e Nippon Ichi Software. A Operation Rainfall pediu doações para ajudar a financiar a campanha, em troca oferecendo um papel de parede especial, e no caso de contribuições maiores um caixa especial para os três títulos.[14]

Xenoblade Chronicles acabou sendo publicado na América do Norte pela própria Nintendo, enquanto The Last Story foi lançado pela Xseed Games.[15] Com o anúncio da da publicação de The Last Story, a comunidade de fãs estreou seu próprio site. Chamado de "Oprainfall", ele continuou a cobrir os três títulos originais, além de ampliar-se para outros jogos de nicho semelhantes e petições de fãs.[2] Pandora's Tower foi lançado na América do Norte, novamente pela Xseed Games.[16] O site faz totalmente em 2015 uma transição de central de campanha para um blog de notícias que foca-se em títulos japoneses considerados de nicho no ocidente, além de continuar a apoiar campanhas similares.[17][18]

Recepção[editar | editar código-fonte]

A Operation Rainfall atraiu uma atenção considerável por parte da mídia quando ela apareceu e ganhou apoio popular, recebendo cobertura da Kotaku,[1] IGN,[19] Eurogamer,[20] GamesRadar,[21] Joystiq,[22] Game Informer,[23] Destructoid[11] e sites os japoneses Inside Games e ITMedia.[24][25] Além do apoio popular e da imprensa, a campanha também recebeu o apoio da Mistalker e de Kaori Tanaka, roteirista de Xenogears e da série Xenosaga.[11]

Coberturas mais extensivas foram dadas por alguns sites. Jacob Lopex da VentureBeat comentou que, quando comparada com outras campanhas similares, a Operation Rainfall se destacou pela civilidade durante seus esforços.[15] Zach Kaplan da Nintendo Life afirmou que a campanha precisava fazer seu ponto claramente, mostrando que o sucesso do anúncio do lançamento de Xenoblade Chronicles não era casualidade.[26] Posteriormente no mesmo site, Thomas Whitehead disse que o de outra forma de nicho e pouco diferenciado Pandora's Tower ganhou um grau de misticismo e antecipação entre os fãs por causa de sua inclusão na Operation Rainfall.[27] Ken Gagne da PC World, em um artigo postado após o anúncio do lançamento norte-americano de Pandora's Tower, comentou que a Operation Rainfall estava indo contra a tendência com seu sucesso total na defesa da publicação dos três jogos na América do Norte. Particularmente, Gagne a comparou com esforços fracassados de fãs para trazer para o ocidente os títulos da série Mother.[2]

A Nintendo reconheceu a Operation Rainfall e seus esforços ainda em seu primeiro mês de atividade, porém afirmou que não existiam planos para lançar os três jogos na América do Norte.[28] Vários funcionários da Nintendo começaram a pedir para o grupo parar a campanha depois de três meses.[2] Fils-Aimé comentou em 2013 que, apesar da Operation Rainfall não ter sido um fator decisivo na decisão da empresa de lançar Xenoblade Chronicles na América do Norte, eles a levaram em consideração.[29] A Xseed Games afirmou que a Nintendo há muito estava aberta para fazer parceria com alguma outra empresa para um lançamento norte-americano de The Last Story, dizendo que a Operation Rainfall não foi um fator.[30] Posteriormente, a Xseed Games reconheceu que Pandora's Tower tinha fãs "vocais", porém não mencionou a Operation Rainfall por nome. A companhia também disse que os bons números de vendas de The Last Story e os esforços dos fãs os fizeram lançar o título na América do Norte.[16][31]

Referências

  1. a b c d e f g McWhertor, Michael (24 de junho de 2011). «How Badly Do You Want The Last Story, Pandora's Tower and Xenoblade for Wii?». Kotaku. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  2. a b c d e f g Gagne, Ken (4 de março de 2013). «Operation Rainfall: How a fan campaign brought Nintendo to its knees». PC World. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  3. East, Tom (3 de junho de 2009). «E3: Nintendo Release Monado Wii Trailer». Official Nintendo Magazine. Consultado em 18 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 7 de junho de 2009 
  4. a b Kohler, Chris (29 de janeiro de 2010). «Nintendo To Publish The Last Story, Mistwalker RPG». Wired. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  5. «Sakaguchi's Last Story». Computer and Video Games. 20 de fevereiro de 2012. Consultado em 18 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2012 
  6. Gifford, Kevin (5 de janeiro de 2011). «Hironobu Sakaguchi Reflects on His Last Story». 1UP.com. Consultado em 18 de novembro de 2017. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2016 
  7. Iwata, Satoru (23 de maio de 2011). «Iwata Asks: Pandora's Tower for Wii – 1. The Jump Super Stars Connection». Nintendo. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  8. Yin-Poole, Wesley (20 de janeiro de 2011). «Why The Last Story is Japan exclusive». Eurogamer. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  9. a b Ronaghan, Neal (23 de junho de 2011). «Xenoblade Chronicles Not Coming to North America». Nintendo World Report. Consultado em 18 de novembro de 2017 
  10. Sterling, Jim (24 de junho de 2011). «Letter writing campaign for Last Story, Pandora's Tower». Destructoid. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  11. a b c Holmes, Jonathan (26 de junho de 2011). «Fans bring Xenoblade to #1 on Amazon, internet goes wild». Destructoid. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  12. Max, Josh (12 de agosto de 2011). «Operation Rainfall Enters Phase Two». Nintendo World Report. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  13. Sterling, Jim (24 de janeiro de 2012). «Operation Rainfall regroups, focuses on The Last Story». Destructoid. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  14. Zeidler, Brett (22 de abril de 2012). «Operation Rainfall to pitch Pandora's Tower to publishers». Destructoid. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  15. a b Lopex, Jacob (8 de junho de 2012). «The Last Story developer talks Operation Rainfall, reason for cover system, and Wii U». VentureBeat. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  16. a b Carmichael, Stephanie (16 de janeiro de 2013). «Xseed completes Operation Rainfall trilogy with Pandora's Tower this spring (updated)». VentureBeat. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  17. «About oprainfall». oprainfall. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  18. Khan, Zarmena (17 de outubro de 2015). «XSEED Vice President Talks Video Game Censorship, Says Platform Holders Don't Accept Adult-Only Games». PlayStation LifeStyle. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  19. George, George (27 de junho de 2011). «Nintendo Fans Campaign for Missing Wii Games». IGN. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  20. Dutton, Fred (24 de junho de 2011). «Fans spam Nintendo for Last Story release». Eurogamer. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  21. Gudmundson, Carolyn (28 de junho de 2011). «Join Operation Rainfall to help get Wii JRPGs localized». GamesRadar. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  22. Fletcher, J. C. (27 de junho de 2011). «'Operation Rainfall' campaign seeks localization of Wii RPGs». Joystiq. Engadget. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  23. Kollar, Phil (26 de junho de 2011). «UPDATE: Join The Fight To Bring Some Good RPGs To The Wii». Game Informer. Consultado em 19 de novembro de 2017. Arquivado do original em 5 de março de 2016 
  24. «北米でも発売してくれ!海外版『ゼノブレイド』発売未定にも関わらず米アマゾンのNo.1ベストセラーに». Inside Games. 27 de junho de 2011. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  25. «ぼくらは「ゼノブレイド」が遊びたいんだ! 海外のJRPGファンが「オペレーション・レインフォール」を開始». ITMedia. 29 de junho de 2011. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  26. Kaplan, Zach (2 de julho de 2011). «Talking Point: The Growing Storm of Operation Rainfall». Nintendo Life. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  27. Whitehead, Thomas (14 de abril de 2012). «Feature: The Odd One Out in Operation Rainfall». Nintendo Life. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  28. Pereira, Chris (29 de junho de 2011). «Xenoblade, Pandora's Tower, Last Story Still Not Planned for U.S. Release». 1UP.com. Consultado em 19 de novembro de 2017. Arquivado do original em 15 de dezembro de 2015 
  29. Ward, Robert (4 de dezembro de 2013). «Nintendo's Reggie Talks Wii U, Western Development And Operation Rainfall». Siliconera. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  30. Schreier, Jason (15 de junho de 2012). «The Surprisingly Simple Story Behind What Might Be The Last Great Wii Game». Kotaku. Consultado em 19 de novembro de 2017 
  31. «Xseed Games Announces Pandora's Tower for Spring 2013 Release». Xseed Games. 16 de janeiro de 2013. Consultado em 19 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 8 de dezembro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]