Oratório de Natal (Bach)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nascimento de Cristo (anônimo, Itália, séc. XVIII

O Oratório de Natal (em alemão: Weihnachtsoratorium) BWV 248, é um oratório de Johann Sebastian Bach compilado para ser apresentado na igreja durante a época do Natal. Foi escrito para o Natal de 1734, incorporando a música de composições anteriores do próprio compositor, inclusive três cantatas seculares, escritas entre 1733 e 1734, e uma cantata extraviada nos dias de hoje, BWV 248a. A data é confirmada no manuscrito de Bach. A apresentação seguinte não foi antes de 17 de dezembro de 1857 pela "Sing-Akademie" de Berlim, regida por Eduard Grell. O "Oratório de Natal" é um exemplo particularmente sofisticado da técnica de Paródia Musical. O autor do texto é desconhecido, embora Christian Friedrich Henrici (Picander) tenha sido um possível colaborador.

Essa obra pertence a um grupo de três oratórios escritos no final da carreira de Bach, em 1734 e 1735, para as principais festividades, sendo os outros o Oratório de Ascensão (BWV 11) e o Oratório de Páscoa (BWV 249). Todos eles incluem um tenor Evangelista como narrador e fazem paródia de composições anteriores, sendo o "Oratório de Natal" a obra mais longa e complexa.

O oratório tem seis partes, sendo cada uma delas destinadas a apresentação em um dia das festas principais do período de Natal. Modernamente, a peça é geralmente apresentada como um todo, ou dividida em duas partes iguais. A duração total da obra é aproximadamente três horas. De modo similar aos outros oratórios, um tenor Evangelista narra a história.

A primeira parte (para o dia de Natal) descreve o Nascimento e a Nominação de Jesus; a segunda (para o dia 26 de dezembro), a Anunciação aos Pastores; a terceira (para 27 de dezembro), a Adoração dos Pastores; a quarta (para o Dia de Ano Novo), a Circuncisão de Jesus; a quinta (para o domingo após o Ano Novo), a Jornada dos Reis Magos, e a sexta (para a Epifania), a Adoração dos Reis Magos.

Estrutura da Narrativa[editar | editar código-fonte]

Grande parte da estrutura da narrativa é definida pela demanda do calendário eclesiástico para o Natal de 1734/35. Bach abandonou sua prática usual de escrever cantatas para a igreja baseando o seu conteúdo, exclusivamente, na leitura do Evangelho do dia, a fim de alcançar uma estrutura coerente da narrativa. Se ele tivesse seguido, estritamente, o calendário, a história teria se desenrolado da seguinte maneira:

  1. Nascimento e Anunciação dos Pastores
  2. Adoração dos Pastores
  3. Prólogo para o Evangelho de João
  4. Circuncisão e Nominação de Jesus
  5. A Fuga para o Egito
  6. A Jornada e Adoração dos Magos

Isso resultaria em a Sagrada Família fugir antes de os Reis Magos haverem chegado, o que seria inadmissível para um oratório evidentemente planejado como um todo coerente. Bach removeu o conteúdo do terceiro dia de Natal (27 de dezembro), Evangelho de João, e dividiu a história dos dois grupos de visitantes –Pastores e Reis Magos– em dois. Isso resultou em uma exposição mais clara da história do Natal:

  1. Nascimento e Anunciação dos Pastores
  2. Adoração dos Pastores
  3. Circuncisão e Nominação de Jesus
  4. A Fuga para o Egito
  5. A Jornada dos Magos
  6. Adoração dos Magos

A sexta parte termina com a Fuga para o Egito.

É evidente que Bach viu as seis partes como parte integrante de um todo maior e unificado, tanto pela análise do texto impresso que sobreviveu quanto pela própria estrutura da música. A edição não tem apenas um título – "Weihnachtsoratorium" – conectando as seis seções, mas essas seções são numeradas consecutivamente. Como menciona John Butt: [1] assim como a Missa em Si menor, esse é um dos pontos de confirmação de uma unidade da obra além das restrições de apresentações dentro do ano eclesiástico.

Apresentação[editar | editar código-fonte]

O oratório foi escrito para a apresentação nos seis dias festivos do Natal durante o inverno de 1734 e 1735. A partitura original contém também detalhes de quando cada parte foi apresentada. Foi incorporada aos cultos das duas mais importantes igrejas em Leipzig, Igreja de São Tomás e Igreja de São Nicolau. Como pode ser visto abaixo, a obra somente foi apresentada integralmente na Igreja de São Nicolau.

Igreja de São Nicolau, Leipzig

Primeiras apresentações:

  • 25 de dezembro de 1734: Parte I - de manhã, na Igreja de São Nicolau; à tarde na Igreja de São Tomás
  • 26 de dezembro de 1734: Parte II - de manhã, na Igreja de São Nicolau; à tarde na Igreja de São Tomás
  • 27 de dezembro de 1734: Parte III - de manhã, na Igreja de São Nicolau
  • 1º de janeiro de 1735: Parte IV - de manhã, na Igreja de São Tomás; à tarde, na Igreja de São Nicolau
  • 2 de janeiro de 1735: Parte V - de manhã, na Igreja de São Nicolau
  • 6 de janeiro de 1735: Parte VI - de manhã, na Igreja de São Tomás; à tarde, na Igreja de São Nicolau

Música[editar | editar código-fonte]

Bach expressa a unidade de toda a obra dentro da própria música, em parte através do uso das tonalidades. As partes I, II e III são escritas nas tonalidades de Ré Maior, sua subdominante Sol Maior e depois ré maior, novamente. As partes I e III são instrumentadas de modo semelhante para trompetes exuberantes, enquanto a Pastoral Parte II (em referência aos pastores) é, em contraste, instrumentada para madeiras e não inclui coro de abertura. A parte IV é escrita em fá maior (o relativo de ré menor) e marca o ponto mais distante da tonalidade de abertura do oratório. Bach embarca, então, numa jornada de volta à tonalidade de abertura, passando pela dominante lá maior da parte V até à jubilante reafirmação do ré maior na parte final, emprestando um arco completo à peça. Para reforçar essa conexão entre o começo e o fim da peça, Bach reutiliza a melodia coral de "'Wie soll ich dich empfangen? da parte I no coro final da parte VI, Nun seid ihr wohl gerochen; essa melodia coral é a famosa "O Haupt voll Blut und Wunden", que Bach usou cinco vezes em sua Paixão segundo São Mateus.

A música representa uma especial expressão sofisticada da técnica de paródia, pela qual uma música já existente é adaptada a um novo propósito. Bach tomou a maioria dos coros e árias de obras que tinham sido escritas por ele anteriormente. A maioria dessa música era secular, que foi escrita em louvor da realeza ou notáveis figuras locais, saindo da tradição de apresentação dentro da igreja. Essas cantatas seculares que proveem as bases para o Oratório de Natal são:

  • BWV 213 - Laßt uns sorgen, laßt uns wachen (Hercules na encruzilhada)
    • Apresentada em 5 de setembro de 1733 para o décimo-primeiro aniversário do Príncipe Friedrich Christian, Eleitor da Saxônia.
  • BWV 214 - Tönet, ihr Pauken! Erschallet, Trompeten!
    • Apresentada em 8 de dezembro de 1733 para o aniversário de Maria Josepha, Rainha da Polônia e Eleitora da Saxônia.
  • BWV 215 - Preise dein Glücke, gesegnetes Sachsen
    • Apresentada em 5 de outubro de 1734 para a coroação do Eleitor da Saxônia Augusto III, como Rei da Polônia.

Além dessas fontes, supõe-se que a sexta cantata foi totalmente tirada da cantata sacra BWV 248a, extraviada nos dias de hoje. Acredita-se que a ária-trio, contida na parte V Ach, wenn wird die Zeit erscheinen? foi tirada de uma fonte semelhante, e o coro da mesma seção Wo ist der neugeborne König pertence à "Paixão segundo São Marcos" (BWV 247).[2]

Instrumentação[editar | editar código-fonte]

A instrumentação abaixo[1] refere-se às partes e não necessariamente partes de executantes individuais. Os defensores de teorias que especificam um pequeno número de músicos executantes (até mesmo os OVPP) podem, entretanto, escolher usar números que se aproximam de um instrumento por parte.

Parte I
3 trompetes, (original em Ré[I 1] , 2 timpanos em Lá e Ré, 2 flautas tranversas, 2 Oboés, 2 oboés d'amore[I 2] , 2 Violinos, Viola, Baixo contínuo[I 3]
Parte II
2 flautas, 2 oboés d'amore, 2 oboés da caccia, 2 violinos, viola, contínuo
Parte III
3 trompetes, timpani, 2 flautas, 2 oboés, 2 oboés d'amore, 2 violinos, viola, contínuo
Parte IV
2 Trompa, 2 oboés, 2 violinos, viola, contínuo
Parte V
2 oboés d'amore, 2 violinos, viola, contínuo
Parte VI
3 trompetes, timpani, 2 oboés, 2 oboés d'amore, 2 violinos, viola, contínuo

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Hoje se substitui a trombeta barroca em ré normalmente com a trombeta pícolo. No estreia da versão portuguesa só a parte da primeira trompete foi tocada por trombeta pícolo.
  2. Os diferentes tipos de oboé citados acima são, em sua maioria, designados para tocar em diferentes pontos de cada seção. Entretanto, os números 10, 12, 14, 17, 18, 19 e 21 na Parte II pedem 2 oboés-d’amore e 2 oboés-da caccia. Essa instrumentação foi pensada para simbolizar os pastores, que são objeto da segunda parte. É uma referência à tradição de música pastoril, tocando instrumentos tipo Schawm, (predecessor do oboé) no Natal. Semelhantemente, a Sinfonia Pastoral do Messias de Händel (1741) é conhecida como 'Pifa' do Italiano piffaro, em referência a instrumentos tocados por pastores. O oboé de caccia é perfeitamente substituível pelo corno inglês, o oboé d'amore é substituido com restrições por corno inglês ou oboé. Na parte II, quando tocam oboés d'amore junto com os oboés da caccia, devem ser usados oboés na ausência de oboés d'amore, para não ter 4 cornos inglês.
  3. A parte de contínuo é passível de diferentes interpretações quanto à instrumentação. Para sua apresentação inovadora de 1973, Nikolaus Harnoncourt empregou Fagote, Violoncelo, Contrabaixo o órgão[3]. Peter Schreier, em 1987, usou Violoncelo, Contrabaixo, Fagote, Órgão e cravo[4]. René Jacobs, em 1997, escolheu violoncelo, contrabaixo, alaúde, fagote, órgão e cravo[5]. E Jos van Veldhoven, em 2003, optou por violoncelo, contrabaixo, fagote, órgão, cravo e Teorba.[6]

Texto[editar | editar código-fonte]

A facilidade com que o novo texto se encaixa na música já existente é uma das indicações de que o Oratório de Natal é uma paródia bem-sucedida de suas fontes. O musicólogo Alfred Dür[7] e outros como Christoff Wolf, [8] sugerem que o colaborador frequente de Bach, Picander (pseudônimo de Christian Friedrich Henrici), escreveu o novo texto, trabalhando ao lado de Bach, para garantir uma perfeita adaptação da música reutilizada. Pode até ser que o "Oratório de Natal" já havia sido planejado quando Bach escreveu as cantatas seculares BWV 213, 214 e 215, dado que a obra original fora escrita bem próximo do oratório e pela maneira sem emendas com que as novas palavras couberam na música existente. [8]

Todavia, em duas ocasiões, Bach abandonou o plano original e foi compelido a escrever nova música para o "Oratório de Natal". A ária de contralto na Parte III, Schließe, mein Herze era originalmente para ser aplicada à música para a ária Durch die von Eifer entflammten Waffen da BWV 215. Nessa ocasião, entretanto, a paródia técnica fracassou e Bach compôs a ária novamente. Ao contrário, usou o modelo da BWV 215 para a ária de Baixo Erleucht' auch meine finstre Sinnnen na Parte V. Similarmente, o coro de abertura da Parte V, Ehre sei dir Gott! foi, com quase toda a certeza, composto para ser aplicado à música do coro Lust der Völker, Lust der Deinen da BWV 213, devido à correspondência de perto entre os textos das duas peças. A terceira maior nova peça de escrita (com a notável exceção dos recitativos), a sublime Sinfonia pastoral que abre a Parte II, foi composta de rascunho para a nova obra.

Além das novas composições listadas acima, uma menção especial deve ser feita aos recitativos, que amarra o oratório num todo coerente. Em particular, Bach fez uso efetivo de recitativo, quando combinado com o coral nº 7 da Parte I (Er ist auf Erden kommen arm) e mais engenhosamente nos recitativos nºs 38 e 40, que emoldura a "Ária do Eco" (Flößt, mein Heiland), no. 39 in part IV.

Versão portuguesa[editar | editar código-fonte]

A versão portuguesa foi elaborada nos anos 2004 até 2009 por um time sob liderança do maestro Axel Bergstedt, respeitando a rica simbologia e figuras na música de Bach, as rimas e a cantabilidade. Base para o texto do evangelista foi a Almeida, e alguns textos de hinos constam de hinários tradicionais. A versão completa estreou nos dias 3, 4 e 5 de dezembro de 2009 em Brasília.[9]

Partes e números[editar | editar código-fonte]

Cada seção combina coros(5) (uma sinfonia pastoral abre a segunda parte ao invés de um coro), corais e recitativos, árias e ariosos para os solistas.

Os quadros abaixo não mostram uma fórmula de compasso ou uma tonalidade para os recitativos, porque estão todos (nominalmente) na tonalidade da parte e em 4/4. As exceções são o nº 18 que começa em Dó Maior e então modula para Sol Maior, e o nº 27 que continua em Lá Maior do 1º movimento. Em ambos os casos, a tonalidade e a fórmula de compasso são meramente notação musical.

Parte I[editar | editar código-fonte]

Conrad von Soest: Nascimento de Cristo (1404)
Part I: Para o Primeiro dia do Natal
No.   Tonalidade Compasso Primeira Frase Instrumentação Fonte
1 Coro D maior 3/8 Jauchzet, frohlocket, auf, preiset die Tage 3 trompetes, tímpanos, 2 flautas, 2 oboés, cordas (violinos I, II, viola) e contínuo (violoncelo, contrabaixo, órgão e fagote) BWV 214: Coro, Tönet, ihr Pauken!
2 Recitativo (Evangelista, tenor) Es begab sich aber zu der Zeit Contínuo Lucas 2:1
3 Recitativo (alto) Nun wird mein liebster Bräutigam 2 oboés d'amore, contínuo  
4 Ária (alto) A men/C maj 3/8 Bereite dich, Zion, mit zärtlichen Trieben Oboé d'amore I, violino I, contínuo BWV 213: Ária, Ich will dich nicht hören
5 Coral A minor 4/4 Wie soll ich dich empfangen 2 flautas, 2 oboés, cordas e contínuo  
6 Recitativo (Evangelista, tenor) Und sie gebar ihren ersten Sohn Contínuo Lucas 2:7
7 Coral (sopranos)
Recitativo (baixo)
D major 3/4
4/4
Er ist auf Erden kommen arm
Wer will die Liebe recht erhöhn
2 oboe d'amore, contínuo  
8 Ária (baixo) D major 2/4 Großer Herr und starker König Trompete I, flauta I, cordas, contínuo BWV 214: Aria, Kron und Preis gekrönter Damen
9 Coral D major 4/4 Ach mein herzliebes Jesulein! 3 trompetes, tímpanos, 2 flautas, 2 oboés, cordas e contínuo (violoncelo, contrabaixo, órgão e fagote)  

Parte II[editar | editar código-fonte]

Georges de La Tour: Adoração dos Pastores (1644)
Part II: Para o Segundo dia do Natal
No.   Tonalidade Compasso Primeira Frase Instrumentação Fonte
10 Sinfonia G major 12/8 2 flutes, 2 oboe d'amore, 2 oboe da caccia, strings, continuo  
11 Recitative (Evangelist, tenor) Und es waren Hirten in derselben Gegend Continuo Lucas 2:8
12 Coral G major 4/4 Brich an, o schönes Morgenlicht 2 flutes, 2 oboe d'amore, 2 oboe da caccia, strings, continuo  
13 Recitative (Evangelist, tenor; Angel, soprano) Und der Engel sprach zu ihnen
Fürchtet euch nicht
Strings, continuo Lucas 2:10
14 Recitative (baixo) Was Gott dem Abraham verheißen 2 oboe d'amore, 2 oboe da caccia, strings, continuo  
15 Ária (tenor) G major 3/8 Frohe Hirten, eilt, ach eilet Flute I, continuo BWV 214: Aria, Fromme Musen! meine Glieder
16 Recitative (Evangelist, tenor) Und das habt zum Zeichen Continuo Lucas 2:12
17 Coral C major 4/4 Schaut hin! dort liegt im finstern Stall 2 flutes, 2 oboe d'amore, 2 oboe da caccia, strings, continuo  
18 Recitative (baixo) C maj/G maj   So geht denn hin! 2 oboe d'amore, 2 oboe da caccia, strings, continuo  
19 Ária (alto) G maj/E min 2/4 Schlafe, mein Liebster, genieße der Ruh' Flute I (colla parte uma oitava acima do contralto solista durante toda a ária), 2 oboe d'amore, 2 oboe da caccia, strings, continuo BWV 213: Ária, Schlafe, mein Liebster, und pflege der Ruh
20 Recitative (Evangelist, tenor) Und alsobald war da bei dem Engel Continuo Lucas 2:13
21 Coro G major 2/2 Ehre sei Gott in der Höhe 2 flutes, 2 oboe d'amore, 2 oboe da caccia, strings, continuo Lucas 2:14
22 Recitative (baixo) So recht, ihr Engel, jauchzt und singet Continuo  
23 Coro G major 12/8 Wir singen dir in deinem Heer 2 flutes, 2 oboe d'amore, 2 oboe da caccia, strings, continuo  

Parte III[editar | editar código-fonte]

Giotto di Bondone: Anjos no Natal (c. 1300)
Part III: Para o Terceiro dia do Natal
No.   Tonalidade Compasso Primeira Frase Instrumentação Fonte
24 Coro D major 3/8 Herrscher des Himmels, erhöre das Lallen Trumpet I, II, III, timpani, flute I, II, oboe I, II, strings, continuo BWV 214: Chorus, Blühet, ihr Linden in Sachsen, wie Zedern
25 Recitative (Evangelist, tenor) Und da die Engel von ihnen gen Himmel fuhren Continuo Lucas 2:15
26 Coro A major 3/4 Lasset uns nun gehen gen Bethlehem Flute I, II, oboe d'amore I, II, strings, continuo  
27 Recitative (baixo) A major   Er hat sein Volk getröst't Flute I, II, continuo  
28 Coral D major 4/4 Dies hat er alles uns getan Flute I, II, oboe I, II, strings, continuo  
29 Duet (soprano, baixo) A major 3/8 Herr, dein Mitleid, dein Erbarmen Oboe d'amore I, II, continuo BWV 213: Aria, Ich bin deine, du bist meine
30 Recitative (Evangelista, tenor) Und sie kamen eilend Continuo Lucas 2:16
31 Aria (alto) D maj/B min 2/4 Schließe, mein Herze, dies selige Wunder Violin solo, continuo  
32 Recitative (alto) Ja, ja! mein Herz soll es bewahren Flute I, II, continuo  
33 Coral G major 4/4 Ich will dich mit Fleiß bewahren Flute I, II, oboe I, II, strings, continuo  
34 Recitative (Evangelist, tenor) Und die Hirten kehren wieder um Continuo Lucas 2:20
35 Coral F menor 4/4 Seid froh, dieweil Flute I, II, oboe I, II, strings, continuo  
24 Coro da capo D major 3/8 Herrscher des Himmels, erhöre das Lallen Trumpet I, II, III, timpani, flute I, II, oboe I, II, strings, continuo BWV 214: Coro, Blühet, ihr Linden in Sachsen, wie Zedern

Parte IV[editar | editar código-fonte]

Rembrandt: Circuncisão de Cristo (1661)
Part IV: Para o Dia de Ano Novo (Festa da Circuncisão)
No.   Tonalidade Compasso Primeira Frase Instrumentação Fonte
36 Coro F major 3/8 Fallt mit Danken, fallt mit Loben Horns I, II, oboe I, II, strings, continuo BWV 213: Coro, Lasst uns sorgen, lasst uns wachen)
37 Recitative (Evangelist, tenor) Und da acht Tage um waren Continuo Lucas 2:21
38 Recitative (baixo)
Arioso (sopr./baixo)
Immanuel, o süßes Wort
Jesu, du mein liebstes Leben
Strings, continuo  
39 Aria (soprano
& 'Echo' soprano)
C major 6/8 Flößt, mein Heiland, flößt dein Namen Oboe I solo, continuo BWV 213: Aria, Treues Echo dieser Orten
40 Recitative (baixo)
Arioso (soprano)
Wohlan! dein Name soll allein
Jesu, meine Freud' und Wonne
Strings, continuo  
41 Aria (tenor) F major 4/4 Ich will nur dir zu Ehren leben Violin I, II, continuo BWV 213: Aria, Auf meinen Flügeln sollst du schweben
42 Coral F major 3/4 Jesus richte mein Beginnen Horns I, II, oboe I, II, strings, continuo  

Parte V[editar | editar código-fonte]

Magos perante o rei Herodes; France, early 15th century
Parte V: Para o Primeiro domingo após o Ano Novo[V 1]
No.   Tonalidade Compasso Primeira Frase Instrumentação Fonte
43 Coro A maj/F menor 3/4 Ehre sei dir, Gott, gesungen Oboe d'amore I, II, strings, continuo  
44 Recitative (Evangelist, tenor) Da Jesus geboren war zu Bethlehem Continuo Mateus 2:1
45 Coro
Recitative (alto)
Coro
D major 4/4 Wo ist der neugeborne König der Juden[V 2]
Sucht ihn in meiner Brust
Wir haben seinen Stern gesehen
Oboe d'amore I, II, strings, continuo BWV 247: St Mark Passion, Coro,
Pfui dich, wie fein zerbrichst du den Tempel[2]
46 Coral A major 4/4 Dein Glanz all' Finsternis verzehrt Oboe d'amore I, II, strings, continuo  
47 Aria (baixo) F menor 2/4 Erleucht' auch meine finstre Sinnen Oboe d'amore I solo, organ senza continuo BWV 215: Aria, Durch die von Eifer entflammeten Waffen
48 Recitative (Evangelist, tenor) Da das der König Herodes hörte Continuo Mateus 2:3
49 Recitative (alto) Warum wollt ihr erschrecken Strings, continuo  
50 Recitative (Evangelist, tenor) Und ließ versammeln alle Hohenpriester Continuo Mateus 2:4
51 Trio
(sopr., alto, ten.)
D major 2/4 Ach! wann wird die Zeit erscheinen? Violin I solo, continuo unknown
52 Recitative (alto) Mein Liebster herrschet schon Continuo  
53 Coral A major 4/4 Zwar ist solche Herzensstube Oboe d'amore I, II, strings, continuo  
  1. A Parte V foi idealizada para ser apresentada no primeiro domingo do Ano Novo, mas antes da festa da Epifania, em 6 de janeiro. Em alguns anos, não existe esse dia, e.g em 2007/2008.
  2. Mateus 2:2

Parte VI[editar | editar código-fonte]

Rogier van der Weyden: Adoração dos Reis Magos (c. 1430–60)
Rembrandt: Fuga para o Egito (1627)
Part VI - Para a Epifania
No.   Tonalidade Compasso Primeira Frase Instrumentação Fonte
54 Coro D major 3/8 Herr, wenn die stolzen Feinde schnauben Trumpet I, II, III, timpani, oboe I, II, strings, continuo BWV 248a (lost church cantata)
55 Recitative (Evangelist, tenor; Herodes, baixo) Da berief Herodes die Weisen heimlich

Ziehet hin und forschet fleißig
Continuo Mateus 2:7
56 Recitative (soprano) Du Falscher, suchet nur den Herrn zu fällen Strings, continuo BWV 248a (lost church cantata)
57 Aria (soprano) A maj/
F menor/A maj
3/4 Nur ein Wink von seinen Händen Oboe d'amore I, strings, continuo BWV 248a (lost church cantata)
58 Recitative (Evangelist, tenor) Als sie nun den König gehöret hatten Continuo Mateus 2:9
59 Coral G major 4/4 Ich steh an deiner Krippen hier Oboe I, II, strings, continuo  
60 Recitative (Evangelist, tenor) Und Gott befahl ihnen im Traum' Continuo Mateus 2:12
61 Recitative (tenor) So geht! Genug, mein Schatz geht nicht von hier Oboe d'amore I, II, continuo BWV 248a (lost church cantata)
62 Aria (tenor) F menor 2/4 Nun mögt ihr stolzen Feinde schrecken Oboe d'amore I, II, continuo BWV 248a (lost church cantata)
63 Recitative (soprano, alto, tenor, baixo) Was will der Höllen Schrecken nun Continuo BWV 248a (lost church cantata)
64 Coral D major 4/4 Nun seid ihr wohl gerochen Trumpet I, II, III, timpani, oboe I, II, strings, continuo BWV 248a (lost church cantata)

Gravações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Encarte da gravação do "Oratório de Natal" feita por Philip Pickett (Decca, 458 838, 1997)
  2. a b Werner Breig, Sleeve notes da gravação do Oratório de Natal, feita por John Eliot Gardiner (Deutsche Grammophon Archiv, 4232322, 1987)
  3. Das Alte Werk (Warner), 2564698540 (1973, re-released 2008)
  4. Decca (Philips), 4759155 (1987, re-released 2007)
  5. Harmonia Mundi, HMX 2901630.31 (1997, re-released 2004)
  6. Channel Classics Records, CCS SA 20103 (2003)
  7. Alfred Dürr, sleeve notes para a primeira gravação do Oratório de Natal por Nikolaus Harnoncourt (Warner Das Alte Werk, 2564698540, 1972, p. 10) & repetidas na segunda gravação de Harnoncourt da mesma obra (Deutsche Harmonia Mundi, 88697112252, 2007, p. 22)
  8. a b Christoff Wolf, sleeve notes da gravação do Oratório de Natal feita por Ton Koopman (Warner Erato, 0630-14635-2, 1997)
  9. http://oratoriodenatal.blogspot.com/
  10. Juloratoriet (1996) (em inglês) no Internet Movie Database

Ligações externas[editar | editar código-fonte]