Ordem Internacional das Filhas de Jó

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ordem Internacional das Filhas de Jó
Filhas de Jó
Dados Gerais
Tipo de organização: Paramaçônica
Fundadora: Ethel T. Wead Mick
Data de fundação: 20 de outubro de 1920
Local de fundação: Omaha  Estados Unidos
Órgão patrocinador: Maçonaria
Lema: "Virtude é uma qualidade que enobrece a mulher"
Sede: Omaha  Estados Unidos

As Filhas de Jó Internacional, ou apenas Filhas de Jó é uma Ordem sem fins lucrativos, discreta e de princípios fraternais, filosóficos, iniciáticos, e filantrópicos, apoiada pela Maçonaria e destinada à jovens do sexo feminino entre 10 e 20 anos (incompletos), visando aperfeiçoamento do caráter através do desenvolvimento moral e espiritual encontrados nas Sagradas Escrituras, a lealdade para com a bandeira do seu país, o amor filial e o serviço à comunidade.

A Ordem baseia-se nos ensinamentos Bíblicos sobre a vida de , sua paciência perante aos desafios e provações pelos quais teve de passar.

O nome desta Instituição paramaçônica se refere às três filhas de Jó: Kézia (fé), Jemima (pureza) e Keren-Happuck (triunfo da fé), que são citadas na Bíblia como as "mulheres mais justas de toda a Terra".

Ela está presente em alguns países: Austrália, Brasil, Canadá, Estados Unidos e Filipinas.[1][2][3]

História[editar | editar código-fonte]

Parte de uma série de artigos sobre
Maçonaria
Maçom
Artigos principais

Maçonaria · Loja Maçônica · Templo maçônico · Grande Loja · Grande Oriente · Venerável Mestre · Graus maçônicos · Loja de Perfeição

História

História da Maçonaria · Manuscritos Maçônicos · Constituição de Anderson ·CLIPSAS · SIMPA · União Maçónica Internacional CATENA · C.I.MA.S.

Escocês Antigo e Aceito · York · Moderno · Schröder · Escocês Retificado · Adonhiramita · Emulation · Brasileiro · Memphis-Misraim

Fundada por Ethel T. Wead Mick em 20 de outubro de 1920 na cidade de Omaha, no Estado de Nebraska, Estados Unidos, e possui como base o capítulo 42, versículo 15 do Livro de Jó: "Em toda a Terra não se encontraram mulheres mais justas que as filhas de Jó e seu pai lhes deu herança entre seus irmãos".

Foi organizada com o consentimento de J. B. Frademburg, Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica de Nebraska, Estados Unidos, da Senhora Anna J. Davis, a Grande Mãe da Ordem da Estrela do Oriente, de Nebraska e James E. Bednar, o Grande Patrono. O primeiro Bethel foi instalado no Templo Maçônico de Omaha, Nebraska e desde então, os Bethéis se espalharam pelo países.[2][4][5]

Fundadora[editar | editar código-fonte]

Ethel T. Wead Mick, também conhecida como Mãe Mick, nasceu no dia 9 de março de 1881, na cidade de Atlantic, Iowa. Era filha de William Henry Wead e Elizabeth Delight Hutchinson Wead e foi membro da Estrela do Oriente. Sua mãe, religiosa, tinha o costume de ler trechos da Bíblia, sobretudo o Livro de Jó, foi uma grande influencia para a criação da ordem. Foi estudante de Medicina no Creighton Medical College em Omaha, e foi neste curso de medicina que conheceu William Henry Mick. Casaram-se em 1904 e tiveram duas filhas chamdas Ethel e Ruth. Participava de vários grupos sociais e clubes e tinha proximidade com a maçonaria.[2]

Foi Suprema Guardiã da Ordem de 1921 a 1922, no Bethel #01 dos Estados Unidos, Bethel Wead Mick. Faleceu em 21 de fevereiro de 1957.

Além de ser fundadora, também escreveu o Ritual das filhas de Jó, baseando-se no livro de Jó Capítulo 42, Versículo 15. Também é responsável pela idealização das roupas padrão usadas até hoje.[4]

Princípios[editar | editar código-fonte]

A ordem basei-se num conjunto de Landmarks próprios, elaborados por Ethel T. Wead Mick:[3]

  1. Ser conhecida como Filhas de Jó;
  2. Associação composta por meninas em desenvolvimento que acreditam em Deus e tenham parentesco Maçônico;
  3. O local de reunião ser chamado Bethel;
  4. Ensinamentos baseados no “Livro de Jó” (com especial referência ao capítulo 42, versículo 15);
  5. Ser ensinado em três épocas (não graus);
  6. Lema “Virtude é uma qualidade que enobrece a mulher”;
  7. Os emblemas serem o Livro Aberto, a Cornucópia da Fartura e o Lírio do Vale;
  8. Requerer de todos os membros, guardiões e visitantes um juramento baseado na honra.;
  9. Ser uma organização democrática com o direito de apelar a uma autoridade suprema, com todos os membros e guardiões sujeitos às leis e
  10. Um Supremo Conselho Guardião com Constituição e Estatuto em conformidade com os landmarks governando a Suprema Guardiã, Guardiões subordinados e membros de Bethel.

Baseia-se na religião cristã, e nas lições de literatura e drama encontrados no Livro de Jó. Tem como objetivo principal a reunição de moças para aperfeiçoar seu caráter através do desenvolvimento moral e espiritual, encontrado nos ensinamentos que destacam reverência e amor a Deus e às Sagradas Escrituras, lealdade com a bandeira do País e às coisas que ela representa e Amor para com os pais, família e lar, desenvolver a liderança e o patriotismo.[2][3]

Parentesco Maçônico[editar | editar código-fonte]

Até 2015 era necessário ter um parente maçom para poder ingressar na ordem, mas em 7 de agosto de 2015 uma Suprema Sessão foi realizada e a Emenda 10 foi aprovada. A partir de então não é mais obrigatório o parentesco maçônico, mas sim um apadrinhamento. Toda menina indicada para a ordem precisará ser indicada por um maçom e a Ordem Internacional das Filhas de Jó passam a ter características de ingresso semelhantes aos DeMolays e os da Ordem Internacional do Arco-Íris para Meninas.[6]

Organização e Estrutura[editar | editar código-fonte]

A célula primordial da ordem é chamada Bethel (em hebraico: בית אל, Bêṯ-ʼĒl, lit. "Casa de Deus"). As reuniões ocorrem em templos maçônicos e são organizadas pelas próprias integrantes, com o auxilio de adultos ligados à maçonaria, conhecidos como Guardiões.

Cargos do Bethel[editar | editar código-fonte]

Os três cargos mais alto do Bethel: Primeira Princesa com uma Urna de Incenso representando Quézia e a fé, Honorável Rainha com uma Cornucópia da Fartura representando Quéren-Hapuque o Trinunfo da Fé e Segunda Princesa com a Pomba Branca representando Jemina e a pureza.

O cargos Eleitos:

  • Honorável Rainha — Conduz as reuniões, iniciações, instalações, eventos, etc. Preside sobre a terceira época da iniciação.
  • Primeira Princesa — Auxilia o Honorável Rainha em seus deveres. Preside sobre a segunda época da iniciação.
  • Segunda Princesa — Auxilia o Honorável Rainha em seus deveres. Preside sobre a primeira época da iniciação
  • Guia — Guia as peregrinas na iniciação. (Antes de ser admitida na ordem a interessada é chamada de Peregrina)
  • Dirigente de Cerimônias — Auxilia o Guia em seus deveres. Responsável pelos paramentos e emblema nacional durante as reuniões.

Nomeados:

  • Capelã — Reesponsavel pelas orações durante as reuniões.
  • Secretária — Toma notas durante as reuniões, responsavel pela ata e por receber fundos Betel e entregá-los a Tesoureira.
  • Tesoureira — Responsável pelos fundos do Betel, com um registro preciso para entregá-los a Guardiã Tesoureira.
  • Musicista — Responsável pelas canções e músicas nas reuniões e tambem iluminação.
  • Bibliotecária — Responsavel pela literatura, as artes, e/ou ciências, nas reuniões.
  • Cinco Mensageiras — Representam os mensageiros que levam às más noticias das perdas de Jó. Elas guiam as Peregrinas (meninas que estão iniciando) na iniciação e também as instruí nos primeiros ensinamentos sobre Jó.
  • Primeira Zeladora — Auxilia a Dirigente de Cerimônias com os paramentos, auxilia a Primeira Princesa na iniciação e executa todas as funções indicadas pela Honorável Rainha.
  • Segunda Zeladora — Auxilia a Dirigente de Cerimônias com os paramentos, auxilia a Segunda Princesa na iniciação e executa todas as funções indicadas pela Honorável Rainha.
  • Guarda Externa — Guarda a porta do lado externo, evitando interrupções e verficando a legitimidade de quem pede para assistir uma reunião ritualística.
  • Guarda Interna — Comunica-se com a Guarda externa, repassando a informação à Honorável Rainha e retornando com suas ordens.
  • Porta Bandeira — Responsavel por manipular a Bandeira.
  • Coral do Bethel

As reuniões são fechadas ao público em geral. Para assistir à uma cerimônia ritualística das Filhas de Jó, é preciso ser:

  • Um maçom regular;
  • Pai/mãe, padrasto/madrasta, avô ou tutor de um membro.
  • Mulher, com pelo menos 20 (vinte) anos de idade, que seja esposa, filha, neta, mãe, irmã ou víuva de um maçom;
  • Uma mulher que seja membro de qualquer organização adulta que baseie seus requisitos de associação em um parentesco maçônico.

Conselho Guardião[editar | editar código-fonte]

O Conselho Guardião do Bethel é formado por maçons, suas esposas, mães e pais de Filhas de Jó, irmãs (maiores de 20 anos) de Filhas de Jó e Membros de Maioridade (são Filhas de Jó que possuem mais de 20 anos) da Ordem que ajudam as Filhas de Jó na realização de seus trabalhos e por esse Conselho passam todas as decisões que as moças venham tomar. Tem o dever de apoiar os membros e participar de todos os eventos e trabalhos ligados à área administrativa, constitucional e ritualística do Bethel, sem interferir nos mesmos.[2]

Os Cargos escolhidos por votação são:

Cargos Executivos do Conselho Guardião do Bethel

  • Guardiã do Bethel
  • Guardião Associado do Bethel
  • Guardiã(o) Secretária(o)
  • Guardiã(o) Tesoureira(o)
  • Guardiã(o) Musicista
  • Guardiã(o) de Épocas

Cargos do Conselho Guardião que são os Colaboradores.

  • Guardiã(o) Zelador(a) de Paramentos
  • Guardiã(o) Promotor(a) de Hospitalidade
  • Guardiã(o) Promotor(a) de Sociabilidade
  • Guardiã(o) Promotor(a) de Filantropia / Boa vontade
  • Guardiã(o) Promotor(a) de Finanças
  • Guardiã(o) de Relações Fraternais
  • Guardiã(o) de Atividades Juvenis

Programa Jobie-to-Bee (Abelhinhas ou Colmeia)[editar | editar código-fonte]

As Filhas de Jó reúnem meninas entre 6 e 10 anos de idade, que tenham potencial de se tornarem membros da Ordem. É uma maneira de envolver crianças que ainda não tenham idade para participar da ordem, mas que já começam a ser introduzidas nos princípios básicos.

Elas não podem participar das reuniões fechadas, mas participam das demais atividades da ordem, como reúniões públicas e outras atividades. Qualquer Bethel interessado pode implantar o projeto e terá autonomia para gerir e ter seus critérios de elegibilidade.[2][7]

Filhas de Jó Famosas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Job's Daughters International». Consultado em 15/06/2016. 
  2. a b c d e f «Filhas de Jó». Consultado em 15/06/2016. 
  3. a b c «Constituição e Estatuto das Filhas de Jó Internacional» (PDF). 1987. Consultado em 15/06/2016. 
  4. a b «Sobre Nós». 1987. Consultado em 15/06/2016. 
  5. «Sobre a Ordem». 1987. Consultado em 15/06/2016. 
  6. «provada na Suprema Sessão da Ordem Internacional das Filhas de Jó a Emenda 10». 2015. Consultado em 20/06/2016. 
  7. «Clube das Abelhinhas». Consultado em 15/06/2016. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal da Maçonaria.