Ordem de Santo Agostinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Osa (desambiguação).
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
O emblema da ordem tem dois elementos fixos: o livro sagrado e o coração flamejante transfixado por uma flecha
Ordo Sancti Augustini

A Ordem de Santo Agostinho (em latim Ordo Sancti Augustini, OSA) é uma ordem religiosa católica de frades mendicantes que seguem a linha de pensamento de Santo Agostinho. Seus membros são denominados frades agostinianos ou agostinhos.

Na ordem há frades ordenados sacerdotes e há os que não são, fazendo apenas os votos de profissão religiosa.

Origem[editar | editar código-fonte]

O dia 16 de dezembro de 1243, o papa Inocêncio IV emitiu a bula Incumbit nobis conclamando numerosas comunidades eremitas da Toscana a se unirem em uma só ordem religiosa com a Regra e forma de vida determinadas por Santo Agostinho, às comunidades que fundou durante sua vida.

Os principais eremitas eram: os Eremitas de Santo Agostinho da Túxia, cujos mosteiros, originariamente independentes, em março de 1244, por decisão da Santa Sé, foram reunidos numa única organização; os Eremitas de Brettino, pelo nome da localidade; e os Eremitas de São João Bono.

No mês de março de 1256, em Roma, em Santa Maria del Popolo, reuniram-se, por vontade do Papa Alexandre IV, os delegados de todos os mosteiros acima citados e de outros institutos menores, num total de cerca de trezentos e sessenta membros. Na presença do legado papal, cardeal Ricardo degli Annibaldi, os frades eremitas ouviram e aceitaram a vontade do Pontífice de se reunirem para constituir uma única grande Ordem, a dos Eremitas de Santo Agostinho.

Os frades eremitas da Toscana elegeram, então, um prior-geral e formalizaram suas constituições. A Santa Sé achou por bem fazer isso também para que os frades se transferissem para as cidades e lá construíssem seus conventos, podendo assim catequizar o povo através do exemplo, da pregação e do atendimento nas confissões.

Desta forma, a Ordem Agostiniana passou a desenvolver sua dimensão apostólica, muito marcante em seu fundador.

Papas agostinianos[editar | editar código-fonte]

Papa Início Termino Período de pontificado
Papa Adriano IV 4 de dezembro de 1154 1 de setembro de 1159 4 anos 8 meses 28 dias
Papa Eugênio IV 3 de março de 1431 23 de fevereiro de 1447 15 anos 11 meses 20 dias

Carisma educativo[editar | editar código-fonte]

Tem envolvimento em especial com atividades de educação e de assistência social. De fato, esta ordem é mantenedora de diversas instituições educacionais, especialmente na América Latina. Os frades procuram viver unânimes, tendo um só coração e uma só alma para Deus, porque a concórdia é a primeira finalidade da vida em comunidade

Lema[editar | editar código-fonte]

O lema da ordem é: “Uma só alma e um só coração para Deus” e "educar a mente e o coração".

A família agostiniana[editar | editar código-fonte]

A família agostiniana compõe-se dos seguintes ramos:

  • Agostinianos Eremitas (Ordo eremitarum Sancti Augustini, OESA); vindos das congregações de eremitas da Itália central, reunidos como frades mendicantes, no século XII. Depois, chamados Ordem de Santo Agostinho: (OSA). Por terem tido a sua sede em Portugal no Convento da Graça (Lisboa), também era conhecida por Ordem dos Gracianos[1].

Destacaram-se : São Nicolau Tolentino e Martinho Lutero.

Personagens célebres da Ordem de Santo Agostinho[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.