Orlando Martello Júnior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Orlando Martello Júnior
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Ocupação Procurador da República do Ministério Público Federal
Principais trabalhos
Prémios Global Investigations Review 2015

Orlando Martello Júnior é desde 1997 Procurador da República do Ministério Público Federal (MPF), que ganhou notoriedade por integrar a força-tarefa do MPF na Operação Lava Jato, em Curitiba. É delegado da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR).[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em 1969 em São José do Rio Preto, estado de São Paulo, Orlando Martello Jr. formou-se em 1993 na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), com especialização em Direito Tributário. É Procurador da República (membro do Ministério Público Federal) desde 1997, tendo atuado nos estados de São Paulo, Goiás, Distrito Federal e Pará, nas capitais e em PRMs (Procuradorias da República nos Municípios), nas áreas da Tutela Coletiva e Direito Criminal. Foi membro do Conselho Penitenciário e do Provita (Programa de Proteção a Testemunhas). No Paraná, oficiou, inicialmente, na Força-Tarefa CC5 e, depois perante a 1ª, 2ª e 3ª Varas Criminais.

Em 2002, participou da força-tarefa do Banestado, juntamente com os procuradores Carlos Fernando dos Santos Lima e Deltan Dallagnol, que, em 2002, investigou remessas ilegais de dinheiro para fora do país por meio das contas CC-5.[2]

Em dezembro de 2010, assumiu o cargo de procurador-chefe no Paraná.[3]

Desde 2014 integra a Força-Tarefa da Lava Jato do Ministério Público Federal, em Curitiba, estado do Paraná.

Premiações[editar | editar código-fonte]

Em 24 de setembro de 2015, Orlando Martello Jr. foi um dos procuradores premiados pelo Global Investigations Review (GIR). O GIR é um portal de notícias consolidado no cenário internacional como um dos principais canais sobre investigações contra a corrupção e instituiu o prêmio para celebrar os investigadores e as práticas de combate à corrupção e compliance que mais impressionaram no último ano. Em seis categorias, foram reconhecidas práticas investigatórias respeitadas e admiradas em todo o mundo. A força-tarefa concorreu com investigações famosas como a do caso de corrupção na Fifa. Os países que disputaram o prêmio com o Brasil foram Estados Unidos, Noruega, Reino Unido e Romênia.[4]

Referências

  1. «MPF do Paraná está com nova direção». Consultor Jurídico. 15 de dezembro de 2010. Consultado em 21 de julho de 2016 
  2. Guilherme Voitch. «Força-tarefa da PGR vai cuidar de Operação Lava Jato». Gazeta do Povo. Consultado em 21 de julho de 2016 
  3. «14/12/2010 - MPF no Paraná tem nova chefia». Procuradoria da República do Estado do Paraná. 14 de dezembro de 2010. Consultado em 21 de julho de 2016 [ligação inativa]
  4. «Força-tarefa do MPF na Lava Jato ganha prêmio internacional de investigação». Ministério Público Federal. 25 de setembro de 2015. Consultado em 19 de julho de 2016. Arquivado do original em 1 de outubro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]