Orlando Martello Júnior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Orlando Martello Júnior
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Ocupação Procurador do Ministério Público Federal
Principais trabalhos
Prémios Global Investigations Review 2015

Orlando Martello Júnior é desde 1997 Procurador da República do Ministério Público Federal (MPF), que ganhou notoriedade por integrar a força-tarefa do MPF na Operação Lava Jato, em Curitiba. É delegado da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR).[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Orlando Martello Jr. se formou em 1993 o na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), com especialização em Direito Tributário. No MPF, onde está desde 1997, oficiou nos estados de São Paulo, Goiás, Distrito Federal e Pará, nas capitais e em PRMs (Procuradorias da República nos Municípios), nas áreas da Tutela Coletiva e Criminal. Foi membro do Conselho Penitenciário e do Provita (Programa de Proteção a Testemunhas). No Paraná, oficiou, inicialmente, na Força-Tarefa CC5 e, depois perante a 1ª, 2ª e 3ª Varas Criminais.

Em 2002, participou da força-tarefa do Banestado, juntamente com os procuradores Carlos Fernando dos Santos Lima e Deltan Dallagnol, que, em 2002, investigou remessas ilegais de dinheiro para fora do país por meio das contas CC-5.[2]

Em dezembro de 2010, assumiu o cargo de procurador-chefe no Paraná.[3]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Em 24 de setembro de 2015, Orlando Martello Jr. foi um dos procuradores premiados pelo Global Investigations Review (GIR). O GIR é um portal de notícias consolidado no cenário internacional como um dos principais canais sobre investigações contra a corrupção e instituiu o prêmio para celebrar os investigadores e as práticas de combate à corrupção e compliance que mais impressionaram no último ano. Em seis categorias, foram reconhecidas práticas investigatórias respeitadas e admiradas em todo o mundo. A força-tarefa concorreu com investigações famosas como a do caso de corrupção na Fifa. Os países que disputaram o prêmio com o Brasil foram Estados Unidos, Noruega, Reino Unido e Romênia.[4]

Referências

  1. «MPF do Paraná está com nova direção». Consultor Jurídico. 15 de dezembro de 2010. Consultado em 21 de julho de 2016 
  2. Guilherme Voitch. «Força-tarefa da PGR vai cuidar de Operação Lava Jato». Gazeta do Povo. Consultado em 21 de julho de 2016 
  3. «14/12/2010 - MPF no Paraná tem nova chefia». Procuradoria da República do Estado do Paraná. 14 de dezembro de 2010. Consultado em 21 de julho de 2016 
  4. «Força-tarefa do MPF na Lava Jato ganha prêmio internacional de investigação». Ministério Público Federal. 25 de setembro de 2015. Consultado em 19 de julho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]