Orquestra Gulbenkian

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A Orquestra Gulbenkian é uma orquestra portuguesa sediada na capital Lisboa. Foi fundada em 1962 pela Fundação Calouste Gulbenkian e é constituída actualmente por 66 músicos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1962, a Fundação Calouste Gulbenkian decidiu promover a constituição de uma orquestra permanente, a Orquestra de Câmara Gulbenkian, inicialmente com 12 elementos entre cordas e baixo contínuo, que fez a sua estreia a 22 de outubro de 1962, no Teatro D. Maria II.[1] A 2 de Outubro de 1969 é inaugurado o complexo da Fundação Calouste Gulbenkian, onde a orquestra passa a estar sediada, dispondo de salas de ensaios e do Grande Auditório onde se apresenta regularmente em concerto, no âmbito da Temporada do Serviço de Música, nomeadamente com o Coro Gulbenkian nos programas sinfónico-corais. Em 1971, a orquestra altera o seu nome para Orquestra Gulbenkian, designação que mantém até os dias de hoje, fruto também de um incremento do número de executantes ao longo do tempo, que actualmente se situa nos 66 elementos permanentes. No entanto, sempre que necessário, este número é ultrapassado mediante convite de músicos colaboradores nacionais ou estrangeiros.

Actualmente, e com a saída de Lawrence Foster, a orquestra está sob direcção do maestro britânico Paul McCreesh (maestro titular), a que se junta a finlandesa Susanna Mälkki (maestrina convidada principal), e os portugueses Joana Carneiro (maestrina convidada e directora artística do Estágio Gulbenkian para Orquestra) e Pedro Neves (maestro convidado). Lawrence Foster passa a maestro emérito e Claudio Scimone mantém-se como maestro honorário.

Maestros titulares[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ponto de Fuga - 50 anos de Orquestra, Galeria de Exposições Temporárias da Sede (Piso 01) de 15 de setembro a 21 de outubro de 2012

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.