Os Deuses de Casaca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Os deuses de casaca é uma peça de teatro escrita por Machado de Assis e representada pela primeira vez em vinte e oito de dezembro de 1865, no sarau da Arcádia Fluminense[1]. Mário de Alencar situa a produção teatral de Machado num esforço coletivo de criar um teatro genuinamente nacional que inspirou uma grande produção nas décadas de sessenta e setenta no século XIX[2]. Trata-se de uma comédia versifica em metro alexandrino na qual se representam os deuses da Mitologia Grega vivendo na sociedade moderna, inclusive na vestimenta, daí o título da peça.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Os deuses estão preocupados, pois os homens não creem mais neles. Júpiter convoca uma reunião no Olimpo para tentar encontrar uma solução. Descobre que Cupido, antes o deus do amor, abandonou sua divindade e tornou-se um conquistador. Na reunião, eles discutem, e Cupido começa a convencer seus colegas divinos de que é inútil, e que cada um pode assumir um papel como mortal na sociedade humana. Ao fim, todos os deuses acabam concordando com o jovem galanteador.

Referências

  1. ASSIS, Machado de. Teatro Completo. São Paulo : Editora Mérito SA, 1961. Pg 186.
  2. Apud. ASSIS, Machado de. Op. Cit., pg 8

Ver também[editar | editar código-fonte]

Peças de teatro de Machado de Assis

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre teatro (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.