Os Músicos de Bremen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estátua erigida em Bremem em 1951, em homenagem ao conto Os Músicos de Bremen.

Os Músicos de Bremen ou Os Músicos de Brama (em alemão: Die Bremer Stadtmusikanten) é um conto escrito em 1812 pelos Irmãos Grimm.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A história se passa em um vilarejo onde vivem um burro, um cão, um gato e um galo, maltratados pelos seus donos, os abandonam e decidem seguir para Bremen, uma cidade onde pretendiam ser músicos profissionais e conquistarem a liberdade.

No caminho para Bremen anoitece e os animais avistam uma casa de luzes acesas. Espreitam pela janela e dentro desta vêem ladrões desfrutando do produto de seu roubo. Inocentemente, não percebem que se tratam de ladrões e apoiados nas costas uns dos outros, decidem cantar, na esperança de serem alimentados. A sua 'música' tem um efeito inesperado: os homens fogem, não sabendo a origem de tão estranho som. Os animais tomam posse da casa, comem uma boa refeição e dormem.

Durante a madrugada, os ladrões regressam e um deles entra na casa para investigar. Ao ver os olhos do gato brilhando no escuro, pensa que sejam brasas e inclina-se para acender sua vela. Numa rápida sucessão de acontecimentos, o gato arranha-lhe a cara, o burro dá-lhe um coice, o cão morde-lhe as pernas e o galo afugenta-o porta fora, a bicadas e cacarejando. O homem assustado se reune com seus comparsas e diz aos companheiros que foi atacado por monstros: uma bruxa horrível que o arranhou com as suas enormes unhas (o gato), um fantasma gigante que lhe deu uma paulada (o burro), um ogro diabólico o esfaqueou e arranhou suas pernas (o cão) e, o pior de tudo, - um juiz lhe deu marteladas enquanto gritava "Prendam esse patife" (o galo).

Os ladrões abandonam a casa devido às estranhas criaturas que dela se apossaram e com a algazarra são descobertos e presos.

Os donos dos animais descobrem então que as coisas roubadas na casa são de sua propriedade e a população do vilarejo trata os animais como heróis.

Os amigos desistem de viajar até Bremen e decidem viver felizes naquela casa até o final dos seus dias.

Dos 211 contos publicados pelos Irmãos Grimm, esse é o 27º

Há versões que relatam que o irmão mais novo Wilhelm escreveu a primeira parte da história falando sobre 4 camponeses humanos que se revoltaram com o regime feudal imposto por seus patrões. Por auto-censura, o irmão mais velho Jacob decidiu transformar a história numa fábula e converteu os camponeses em animais.

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

  • A cidade de Bremen recorda esta história com uma estátua de bronze de dois metros de altura inaugurada em 1951 ao lado da Câmara Municipal (Thesaurus).
  • The Four Musicians of Bremen (1922), curta-metragem de animação dos estúdios "Laugh-O-Gram", produzido por Walt Disney, dirigido por Roy Oliver Disney e animado por Ub Iwerks.
  • The Bremen Town Musicians (1935), curta dos estúdios ComiColor Cartoons, produzido por Ub Iwerks.
  • The Four Musicians (1965), áudio-livro produzido pelos Estúdios Disney e lançado no ano seguinte no Brasil pela produtora Disquinho.
  • Bremenskiye Muzykanty (1969), curta-metragem de animação do estúdio soviético Sojusmultfilm com roteiro de Vasiliy Livanov e Yury Entin, com músicas de Gennadiy Gladkov, letras de Yury Entin e direção de Elena Petrova.
  • Po Sledam Bremenskikh Muzykantov (1971), curta-metragem de animação em sequência ao filme de 1969.
  • I Musicanti (1976), Peça infantil e disco adaptada pelos compositores italianos Sérgio Bardotti e Luiz Enriquez Bacalov, interpretada pelo grupo vocal Richi e Poveri para a gravadora Warner Music Italy.
  • Os Saltimbancos (1977), Peça infantil e disco com Tradução e adaptação de Chico Buarque, gravado pelos discos Philips, dirigido por Antonio Pedro e interpretada por Marieta Severo (Gata), Miúcha (Galinha), Pedro Paulo Rangel (Cachorro) e Grande Otelo (Jumento), além de um coro infantil formado por Bebel Gilberto, Isabel Diegues, Silvia Buarque e Alexandra Marzo, entre outras crianças.
  • Os 4 Músicos do Bairro do Limoeiro (1978), quadrinhos dos Estúdios Maurício de Souza.
  • Os Saltimbancos Trapalhões (1981), um filme dos Trapalhões, dirigido por J. B. Tanko pra a RA Produções Cinematográficas.
  • Bremenskiye Muzykanty (2001), longa-metragem inspirado no filme de 1969, de animação do estúdio soviético Sojusmultfilm com roteiro de Vasiliy Livanov e Yury Entin, com músicas de Gennadiy Gladkov, letras de Yury Entin e direção de Elena Petrova.
  • Os Saltimbancos Trapalhões - O Musical (2014), peça teatral baseada no filme de 1981, produzida por Charles Möeller e Claudio Botelho,[2][3]
  • Os 4 Músicos do Bairro do Limoeiro (2015), reedição dos quadrinhos dos Estúdios Maurício de Souza também lançado em episódio de curta animado.
  • Os Saltimbancos Trapalhões: Rumo a Hollywood (2016), sequência cinematográfica do filme de 1981 dirigido por João Daniel Tikhomiroff[2][4]
  • Os Saltimbancos (2017), livro comemorativo dos 40 anos escrito por Chico Buarque, ilustrado por Ziraldo e editado por Maria Amélia Mello, para a editora Autêntica[5]

Referências

  1. Como surgio, Os músicos de Bremen (2015). Bremen. [S.l.: s.n.] 
  2. a b Didi e Dedé refilmam 'Os Saltimbancos Trapalhões', sucesso do grupo em 1981
  3. Louise Soares (19 de outubro de 2014). «Estreando no teatro aos 78 anos, Dedé Santana quer atuar em filme sério». F5 - televisão. Consultado em 19 de outubro de 2014. 
  4. «Novo "Saltimbancos" reúne Didi e Dedé e terá Marcos Frota e Lívian Aragão». UOL Cinema. Consultado em 6 de Agosto de 2016. 
  5. 'Os Saltimbancos' celebra 40 anos e volta em livro infantil com ilustrações de Ziraldo

Ligações externas[editar | editar código-fonte]