Os Pastores da Noite (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde maio de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.


Pastores da Noite
 Brasil
1977 •  colorido •  120 min 
Direção Marcel Camus
Produção Claire Du Val
Carlos Guimarães de Matos Jr
Roteiro Marcel Camus
Baseado em Pastores da Noite, de Jorge Amado
Elenco Grande Otelo
Antonio Pitanga
Zeni Pereira
Maria Viana
Jofre Soares
Mira Fonseca
Paco Sanches
Gênero drama
Direção de fotografia André Domage
Companhia(s) produtora(s) Cinema International Corporation
Orphée Arts – FR3 – Paris
Lançamento Brasil 17 de agosto de 1977[1]
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Pastores da Noite é um filme brasileiro de drama lançado em 1977 no cinema. Dirigido por Marcel Camus e com roteiro de Marcel Camus, o filme é baseado no livro "Pastores da Noite" de 1964 de Jorge Amado. As filmagens do filme foram feitas em 1975 na cidade do Rio de Janeiro, com parceria de produção entre a Cinema International Corporation e a Orphée Arts – FR3 – Paris.[2] Estreou em 17 de agosto de 1977, no Brasil.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Otália é uma recém-chegada, vinda de um bordel do Bonfim e chega em Salvador para morar no Castelo da Tibéria. Logo em que chega na cidade, é roubada na estação de trem. Otália conhece Martim, famoso por ser malandro, mulherengo e um lutador de capoeira, e se apaixona por ele. Mas Martim, acaba transando com a mulher do policial Miguel Charuto, que vai atrás dele para lhe dar uma surra, só que Martim ao lado do amigo Massu é quem acaba batendo em Miguel e seus parceiros. Os amigos de Martim sugerem que ele saia da cidade, então ele se despede de Otália, mas prometendo retornar. Como vingança, o Miguel e outros policiais incendeiam os barracos no Morro. Tempos depois, Martim retorna a Salvador casa com Marialva. Curió, um amigo e irmão de santo de Martim, fica encantado por Marialva e ela acaba por perceber. Martim e a mulher comparecem a uma festa de aniversário de Tibéria e Marialva briga com Otália, o casal se retira da festa. Acreditando estar fazendo ciúmes para Martim, Marialva manda chamar Curió e diz que vai se matar por causa do amor que sente por ele e lhe pede que conte essa paixão impossível para Martim. Quando Curió confessa ao amigo, Martim diz que ele pode levar Marialva. Ela fica furiosa, pois tudo não passava de um jogo. Ela abandona Martim e a casa. Martim volta à sua vida e retoma seu romance com Otália.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.