Oscar Bressane

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
Município de Oscar Bressane
Bandeira de Oscar Bressane
Brasão de Oscar Bressane
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 24 de abril
Fundação 24 de abril de 1949 (67 anos)
Gentílico bressanense
Prefeito(a) Marcos Antônio Elias (PSDB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Oscar Bressane
Localização de Oscar Bressane em São Paulo
Oscar Bressane está localizado em: Brasil
Oscar Bressane
Localização de Oscar Bressane no Brasil
22° 19' 04" S 50° 16' 51" O22° 19' 04" S 50° 16' 51" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Marília IBGE/2008[1]
Microrregião Marília IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Lutécia, Pompeia, Oriente, Echaporã
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 221,429 km² [2]
População 2 539 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 11,47 hab./km²
Altitude 481 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,752 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 26 390,710 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 10 390,04 IBGE/2008[5]
Página oficial

Oscar Bressane é um município brasileiro do estado de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

A povoação da área correspondente ao atual município de Oscar Bressane remota aos idos de 1920, quando os desbravadores paulistas Cândido Luiz da Silva, Galdino Martins, José Botelho e Marciliano Pires de Moraes, dentre outros, adquiriram uma grande gleba de terras na região. Oriundos de Itápolis, Alexandre Girotto e familiares fixam moradia no Bairro Água da Bananeira em 1923, sendo seguidos por Agostinho Floreste e família. O intuito era desbravar as matas e plantar café nas férteis terras da região. Já por volta de 1924, após adquirirem terras da Santa Casa de Jaú, chegam também os espanhóis André Espejo Bernal, André Sanches, Jaime Sanches, José Mansano Garcia e Salvador Zurano. Em seguida, várias famílias foram se estabelecendo nos bairros rurais. No ano de 1925, vieram para o Bairro Água da Bananeira Virgínio Girotto, David Girotto, Estevão de Rossi e Valentim de Rossi. No Bairro Frutal se estabelecem Luiz, Ângelo e Mateus Camillo. Já Vicente Martinhão e Antonio Girotto (do Correio) chegam em 1929, bem como as famílias Bocchi e Tanus. O núcleo urbano de Oscar Bressane, em si, se iniciou em 1928 através da doação de terra por José Mansano Garcia, então proprietário da Fazenda Fortuna. Ocasião em que se delimitou o terreno da praça e se ergueu uma Capela. Casas residenciais e de comércio começaram a surgir no pequeno patrimônio. No local em que hoje está o Big Bar foram construídos por Florêncio Navarro a primeira residência e o primeiro armazém da vila. Com o passar do tempo o patrimônio foi evoluindo e passou a se denominar Villa Fortuna. Onde atualmente é o Ponto de Cultura, José Antero Roxo constrói, em barro, sua farmácia. A Casa Libanesa é inaugurada em 1933 por Elias Tanus e José Ambrósio dos Santos se estabelece como dentista na vila. No Bairro da Água da Sorte se concentram famílias de origem espanhola. Já os italianos se fixam nos bairros Água da Bananeira e Frutal. Em 1935, muitas famílias japonesas aqui se firmam, constituindo a colônia do Bairro da Graminha. Em 14 de agosto de 1936, o Reverendíssimo Senhor Dom Antonio José dos Santos, primeiro Bispo da Diocese de Assis, emitiu Decreto Episcopal, passando à Paróquia sob o orago de Nossa Senhora do Carmo e São João Batista. Nesse mesmo ano, 1936, construiu-se a Casa Paroquial. O lendário Padre Muciano Maria Carbini (João Baptista Spessato Cherubin) foi o primeiro vigário de nossa paróquia, servindo no período de 14 de agosto de 1936 até 23 de agosto de 1943. Em sua Chácara de Nossa Senhora do Refúgio, atual propriedade do Sr. Adolfo Ghellere, o Padre Muciano Carbini mantém, de 1937 a 1943, o Colégio da Congregação da Companhia de Maria, dedicando-se à instrução regular e religiosa de seminaristas. Padre Muciano e seus seminaristas editavam um Boletim Paroquial intitulado de “O Refúgio”, extinto em 1938. Na zona rural a vida religiosa também florece com a construção das Capelas de São João na Água da Sorte pela família Marques, São Roque no Bairro Botafogo por Antonio Gazetta e Santa Luzia no Bairro do Frutal pelos irmãos Camillo. Destaca-se, também, a intensa campanha liderada por Virgínio Girotto a fim de angariar fundos para a construção da imponente Igreja Matriz, projetada pelo Engenheiro Dr. Mazini.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]