Otávio Fantoni

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nininho/Fantoni II
Informações pessoais
Nome completo Otávio Fantoni
Data de nasc. 4 de abril de 1907
Local de nasc. Belo Horizonte (MG), Brasil
Nacionalidade brasileiro / Italiano
Falecido em 8 de fevereiro de 1935 (27 anos)
Local da morte Roma, Itália
Altura 1,77 m
Informações profissionais
Posição Meio-campista
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1929–1930
1930–1935
Minas Gerais Palestra Itália
Flag of Italy (1861–1946).svg Lazio

108 (5)
Seleção nacional
1934 Flag of Italy (1861–1946).svg Itália 1 (0)

Otávio Fantoni (Belo Horizonte, 4 de abril de 1907Roma, 8 de fevereiro de 1935[1]), conhecido como Nininho no Brasil e Fantoni II na Itália foi um futebolista ítalo-brasileiro.

Fantoni nasceu em uma família de futebolistas cruzeirenses: era primo dos irmãos João Fantoni (Ninão), Leonízio Fantoni (Niginho) e Orlando Fantoni. Os quatro começaram a carreira no então Palestra Itália mineiro e jogariam todos na Lazio, onde ficaram conhecidos como uma dinastia: Ninão foi Fantoni I, ele foi Fantoni II, Niginho foi Fantoni III e Orlando, Fantoni IV.[2] Destes, só não jogou ao lado de Orlando, que só iniciou a carreira já após a morte de Nininho.

Ele foi para o clube italiano em 1930, juntamente com Ninão, e no ano seguinte ambos receberiam a companhia de Niginho. Na Lazio, seus dois primos jogavam no ataque e ele, na meia. Além deles, a Lazio trouxe outros brasileiros na época, o que faria seu elenco ficar conhecido como Brasilazio: os corintianos Filó, De Maria, Del Debbio, Rato e Amílcar; os palestrinos paulistas Pepe, Duílio Salatin, Enzio Serafini; além de André Tedesco (do Santos) e Benedito (do Botafogo).

Dos Fantoni, apenas Nininho jogou pela Seleção Italiana: a Itália sediaria a Copa do Mundo de 1934, mas teria de disputar as eliminatórias para se classificar - foi o único anfitrião que teve de submeter às eliminatórias.[3] A Azzurra jogou apenas uma partida, uma vitória de 4 x 0 em Milão sobre a Grécia, que abriu mão da disputa.[3] Nininho ou Fantoni II atuou naquela partida ao lado de Filó (ou "Guarisi", para os italianos), e de outros dois sul-americanos, os argentinos Enrique Guaita e Luis Monti.[3] Apesar disso, acabou não incluído entre os convocados pelo técnico Vittorio Pozzo para jogar no mundial.

Menos de um ano depois da Copa, morreria precocemente:[3] em jogo contra o Torino, feriu o nariz. O machucado, aparentemente sem gravidade, não sofreu cuidados e evoluiu para uma infecção, que por sua vez gerou uma septicemia que o mataria em fevereiro de 1935. No mesmo ano, os primos Ninão e Niginho deixariam a Lazio, fugindo da convocação do exército italiano para lutarem na invasão à Abissínia.[2]

Referências

  1. Littoriale, 09-02-1935, pagina 1 emeroteca.coni.it
  2. a b "Tanque de guerra", Dagomir Marquezi, Placar número 1334, setembro de 2009, Editora Abril, pág. 98
  3. a b c d "As primeiras eliminatórias", Max Gehringer, Especial Placar: A Saga da Jules Rimet fascículo 2 - 1934 Itália, outubro de 2005, Editora Abril, págs. 18-21

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Perfil do jogador na Laziowiki