Otão II de Meissen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde novembro de 2017)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Otão II
Marquês de Meissen
Retrato do século XVII
Reinado 1156-1190
Consorte de Hedwig of Brandenburg
Antecessor(a) Conrado I
Sucessor(a) Alberto I
Descendência
Casa Wettin
Nascimento 1125
Morte 18 de fevereiro de 1190
Enterro Altzella Abbey, Alemanha
Pai Conrado I de Meissen
Mãe Liutgard de Ravenstein-Elchingen

Otão II, o Rico (em alemão, Otto der Reiche; 1125 – 18 de fevereiro de 1190), um membro da Casa de Wettin, foi um marquês de Meissen de 1156 até sua morte.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi o filho mais velho de Conrado de Meissen, marquês de Meissen e Marca de Lusacia. Quando seu pai, sob a pressão do imperador Federico I, se retirou e entrou no convento agostino de Lauterberg em 1156, Otão lhe sucedeu em Meissen enquanto seus irmãos menores Teodorico e Dedo eceberam a Marca de Lusácia e o Condado de Groitzsch com Rochlitz.

A partição implicou numa diminuição do poder dos Wettin, e a política imperial de Otão foi muito pouco efetiva. Teve de escolher um lado e ver a ampliação do poder do imperador no território da Pleissnerland ao redor de AltenburgChemnitz e Zwickau; mais ainda, interveio sem sucesso numa briga com os burgraves de Dohna, em auge, nas Osterzgebirge. Junto com o arcebispo Wichmann de Magdeburgo uniu-se à expedição do imperador Federico contra o duque saxão rebelde Henrique o Leão em 1179, no entanto, não conseguiu se beneficiar de sua queda.

Otão e seu filho Alberto representados em Fürstenzug de Dresden

O política interior de Otão foi bem sucedida: por volta de 1165 outorgou aos cidadãos de Leipzig, localizada no cruzamento de caminhos das rotas comerciais Via Regia e Via Imperii, com mordomias cidadãos e fundou a igreja de São Nicolau de Leipzig. Também estabeleceu a abadia de Altzella nos estados Miriquidi nas encostas do Osterzgebirge que tinha recebido do imperador, onde se descobriram minas de prata perto de Christiansdorf em 1168. A nova cidade mineira (Bergstadt) de Friburgo e seus rendimentos cedo converteram-se numa das mais importantes fontes de rendimentos do marquesado, posteriormente recebendo a alcunha de "o Rico".

Em seus últimos anos, Otão teve que enfrentar ferozes reclamações de heranças entre seus filhos Alberto e Teodorico. O marquês preferia ao filho menor, Teodorico, que por sua vez, foi capturado e preso por Alberto, quem tinha o respaldo do irmão de Otão, Dedo, e seu filho Conrado. O imperador Federico obrigou que o libertassem da prisão, mesmo assim, Alberto pôde afirmar suas pretensões e suceder a seu pai como marquês. O confronto entre os irmãos, no entanto, persistiu até a repentina morte de Alberto (supõe-se que envenenado) em 1195.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Otão casou-se com Eduvigis de Brandeburgo, uma filha do marquês Alberto o Urso. O casal teve quatro filhos:

Referências

  1. Heinrich Theodor FlatheOtto der Reiche. In: Allgemeine Deutsche Biographie (ADB). Band 24, Duncker & Humblot, Leipzig 1887, S. 704 f.
  2. Stefan Pätzold: Die frühen Wettiner. Adelsfamilie und Hausüberlieferung bis 1221. Böhlau-Verlag 1997 ISBN 3-412-08697-5
  3. Michael Lindner: Eine Frage der Ehre. Markgraf Konrad von Wettin und Kaiser Friedrich Barbarossa. in: Im Dienste der historischen Landeskunde. Festgabe für Gerhard Billig zum 75. Geburtstag. hg. von Rainer Aurig / Reinhardt Butz / Ingolf Gräßler und André Thieme, 2002, S. 105–121
  4. Grabplatte Otto des Reichen und Grablege der Wettiner in Altzella. in: Helga Wäß: Form und Wahrnehmung mitteldeutscher Gedächtnisskulptur im 14. Jahrhundert. Band 1: Ein Beitrag zu mittelalterlichen Grabmonumenten, Epitaphen und Kuriosa in Sachsen, Sachsen-Anhalt, Thüringen, Nord-Hessen, Ost-Westfalen und Südniedersachsen in zwei Bänden. Band 2: Katalog ausgewählter Objekte vom hohen Mittelalter bis zum Anfang des 15. Jahrhunderts. Bristol u. a. 2006, Bd. 2, S. 27 ff. und Kat. Nr. 5-9 mit Abb. ISBN 3-86504-159-0
  5. Karlheinz Blaschke: Otto der Reiche, Markgraf von Meißen. In: Neue Deutsche Biographie (NDB). Band 19, Duncker & Humblot, Berlin 1999, ISBN 3-428-00200-8, S. 689 f. (Digitalisat)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]