Otto (cantor)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Otto
Otto se apresenta na Virada Cultural de Votuporanga em 2015
Informação geral
Nome completo Otto Maximiliano Pereira de Cordeiro Ferreira
Nascimento 28 de junho de 1968 (53 anos)
Local de nascimento Belo Jardim, PE
Brasil
Nacionalidade brasileiro
Gênero(s) Mangue beat
Rock
Música eletrônica
Coco de roda
MPB
Ocupação(ões) Cantor, compositor, percussionista e produtor
Cônjuge Alessandra Negrini (c. 2002–08)
Kenza Said (c. 2017)
Instrumento(s) percussão
voz
Período em atividade 1992 - hoje
Afiliação(ões) Nação Zumbi
Mundo Livre S/A
Julieta Venegas
Página oficial trama.com.br/otto

Otto Maximiliano Pereira de Cordeiro Ferreira,[1] conhecido apenas como Otto, (Belo Jardim, 28 de junho de 1968) é um cantor, compositor, percussionista e produtor brasileiro. É considerado uma das figuras mais importantes da nova geração de jovens músicos do Brasil.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Ex-percussionista da primeira formação da Nação Zumbi e do Mundo Livre S/A (com quem gravou os dois primeiros discos), Otto saiu dos fundos dos palcos para trazer o ousado Samba pra Burro à tona.[1]

Otto nasceu no município de Belo Jardim, no Agreste Pernambucano.[3] Saiu de Pernambuco em 1989 para passar dois anos na França, tocando percussão nas ruas e no metrô de Paris. Na volta, aportou no Rio de Janeiro e chegou a animar o som de uma gafieira ao lado de Jovelina Pérola Negra. Do Rio de Janeiro, Otto rumou para o Recife, quando conheceu duas pontas de lança do movimento manguebeat: Chico Science e Fred Zero Quatro.

Nessas idas e vindas, absorvendo as correntes, nascia seu estilo. Sempre embalado pelo som de influências locais (não só do Recife como de todo o Brasil), começou a interessar-se pela música eletrônica. Resgatando ritmos brasileiros e fundindo-os ao som eletrônico, raiz e modernidade somaram-se em Samba pra Burro, numa dobradinha que acentuou-se quando mudou-se de Recife para São Paulo. Foi saudado pela imprensa como autor de um trabalho inventivo e estimulante, numa colagem de maracatu com drum'n'bass, forró com rap. Algumas melodias remetem às cantigas de roda. O disco foi escolhido pela Associação Paulista de Críticos de Arte como o melhor de 1998.

Bebel Gilberto, Fred Zero Quatro (do Mundo Livre S/A) e Erasto Vasconcelos (irmão de Naná Vasconcelos) participaram da estreia solo de Otto. O som de Otto já embalou uma festa dos integrantes do Oasis, em Londres. Poucos meses depois de cair no circuito, as músicas de Samba pra Burro também foram parar no som de lojas norte-americanas, como as dos estilistas Gianni Versace e Prada.[1]

Em 1999, tocou ao lado de Tom Zé no Heineken Concerts, em São Paulo. Dois anos depois, Otto lançou seu segundo álbum, intitulado Condom Black, que apresentou um som "mais orgânico" sem deixar a eletrônica de lado. O novo trabalho também levou a assinatura de Apollo 09 na produção

Apresentou o programa Minha Vida É a Minha Cara ao lado da atriz Hermila Guedes, no canal por assinatura FashionTV Brasil. É integrante do Movimento Humanos Direitos.[4]

Seu disco Ottomatopeia foi eleito o 14º melhor disco brasileiro de 2017 pela revista Rolling Stone Brasil.[5]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 2001 começou a namorar com a atriz Alessandra Negrini.[6] Em 2002 foram morar juntos, e em 2004 nasceu a filha do casal Betina Negrini de Cordeiro, filha única do cantor.[7][8] O casal separou-se em 2008.[9][10]

Sua separação inspirou a composição do álbum Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos, de 2009, muito elogiado pela critica especializada no Brasil e nos Estados Unidos.[11][12] O álbum de 2009 é considerado o melhor disco da sua carreira, tendo o seu perfil divulgado no jornal The New York Times, com texto escrito pelo crítico Larry Rohter.[13]

De 2009 a 2011 namorou a atriz Mayana Moura, e de 2011 a 2013 manteve um namoro com a empresária Amanda Lira.[14][15]

Galego, como é chamado pelos mais íntimos, morou no Morro do Vidigal durante as décadas de 1980 e 90, quando não possuía condições financeiras, na época era recém chegado ao Rio de Janeiro.[16][17]

Desde 2018 o cantor reside em São Paulo, e desde 2017 é casado com a fotógrafa francesa Kenza Louise Said, que mora no Brasil desde 2013, quando ambos começaram a namorar. A cerimônia civil foi realizada em Recife, no dia 23 de novembro de 2017.[18][19]

Em julho de 2021, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT).[20][21]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Carreira solo[editar | editar código-fonte]

No Mundo Livre S/A[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j «Go Rock & Afins! começa nesta sexta com show do pernambucano Otto». 2016. Consultado em 8 de dezembro de 2016 
  2. «Bio». NuBlu. 2016. Consultado em 8 de dezembro de 2016 
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 15 de novembro de 2007. Arquivado do original em 15 de outubro de 2009 
  4. Humanosdireitos Arquivado em 10 de agosto de 2011, no Wayback Machine. Página visitada em 03 de Junho de 2011.
  5. «Melhores Discos Nacionais de 2017». Rolling Stone Brasil. Grupo Spring de Comunicação. 2017. Consultado em 25 de janeiro de 2019 
  6. «Alessandra Negrini homenageia os ex-maridos Murilo Benício e Otto: 'Parabéns, papais!'». Gshow. 9 de agosto de 2020. Consultado em 12 de julho de 2021 
  7. «ALESSANDRA NEGRINI E OTTO». Caras Brasil. 8 de novembro de 2006. Consultado em 12 de julho de 2021 
  8. Marques, Carol (17 de dezembro de 2020). «Separado, Otto se reinventa na pintura e fala da relação com a filha com Alessandra Negrini, de 16 anos: 'Me botou nos eixos'». Extra. Consultado em 12 de julho de 2021 
  9. «Alessandra Negrini e Otto mais um casal desfeito». VilaMulher. Consultado em 12 de julho de 2021 
  10. «Alessandra Negrini diz a internautas que filho a ignora e ainda usa suas roupas caras». Quem. 16 de maio de 2018. Consultado em 12 de julho de 2021 
  11. Angelo, Maurício (4 de dezembro de 2009). «Otto – Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos». M.O.V.I.N [UP]. Consultado em 12 de julho de 2021 
  12. Gonçalves, Nilma (26 de janeiro de 2010). «Inspirado pela dor da perda, o cantor pernambucano Otto brilha em álbum». Jornal Correio. Consultado em 12 de julho de 2021 
  13. Rohter, Larry (19 de agosto de 2009). «Brazilian, but With a Different Beat». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 12 de julho de 2021 
  14. «Chega ao fim o namoro de Mayana Moura e Otto». Terra. 19 de outubro de 2010. Consultado em 12 de julho de 2021 
  15. Rodrigues, Leonardo (21 de agosto de 2013). «Otto aparece nu e encarna cavalo em clipe de "O Que Dirá o Mundo"; veja». UOL. Consultado em 12 de julho de 2021 
  16. «Otto, Marcelo Mello Jr. e até Madonna! Conheça os famosos que tem casa no morro do Vidigal no Rio​». R7.com. 19 de janeiro de 2015. Consultado em 12 de julho de 2021  zero width space character character in |titulo= at position 99 (ajuda)
  17. Galvão, Hermes (28 de outubro de 2014). «Vivendo com estilo no Vidigal». Casa Vogue. Consultado em 12 de julho de 2021 
  18. «Cantor Otto se casa com francesa em cerimônia coletiva no Recife, aos 49 anos». Extra. 24 de novembro de 2017. Consultado em 12 de julho de 2021 
  19. «Cantor Otto se casa com francesa em cerimônia coletiva no Recife». Caras. 24 de novembro de 2017. Consultado em 12 de julho de 2021 
  20. Banholzer, Marília (11 de julho de 2021). «Cantor pernambucano Otto se filia ao PT». JC. Consultado em 12 de julho de 2021 
  21. «Cantor Otto se filia ao PT e comemora com Lula: 'Quero colaborar'». UOL. 12 de julho de 2021. Consultado em 13 de julho de 2021 
  22. «'Tive grandeza de reconhecer que Chico era gênio'». Trip 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Otto (cantor)


Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço relacionado ao Projeto Música. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.