Owen Wright

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Owen Wright
Surfista
Oahu North Shore surfing hand drag.jpg
Dados Pessoais
Apelido O
Nacionalidade australiano
Nascimento 16 de janeiro de 1990
Residência atual Lennox Head, Nova Gales do Sul,
 Austrália
Ocupação Surfista (d)
Altura 1,90m
Peso 81kg
Posição Goofy
Patrocinador (es) Rip Curl
Carreira profissional
Títulos Quiksilver Pro New York 2011,

Fiji Pro 2015,

Quiksilver Pro Gold Coast 2017

Owen Wright (Culburra Beach, 10 de dezembro de 1990) é um surfista profissional australiano que está na ASP World Tour.[1][2] A irmã dele, a Tyler Wright também é da ASP World Tour. Aos 27 anos, Owen entrou na elite do surfe mundial em 2010. Com 1,90m e aparentando ser um pouco desengonçado, se destaca nos tubos e nas fortes batidas de backside (quando surfa de costas para a onda). Logo no ano de estreia, acabou na sétima posição. Na temporada seguinte, brigou pelo título mundial até o fim e acabou em terceiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Após alguns anos irregulares, brihou em 2015, com direito a uma bateria perfeita na final do CT das Ilhas Fiji, tirando duas notas 10 para vencer o campeonato de maneira incontestável. Owen Wright consagrou-se como o primeiro surfista a fazer duas baterias perfeitas em um mesmo campeonato no Fiji Pro 2015, no Round 5 e na Final.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Títulos no ASP World Tour
Ano Evento Local País
2011 Quiksilver Pro New York Long Island, Nova Iorque  USA
2015 Fiji Pro Tavarua, Fiji  Fiji
2017 Quiksilver Pro Gold Coast Gold Coast, Austrália Austrália

Acidente 2015[editar | editar código-fonte]

Dezembro de 2015. Candidato ao título mundial, Owen Wright é atingido por uma série de ondas pesadas em Pipeline, enquanto treinava para a última etapa daquele ano. O australiano deixa o mar e vai descansar na casa onde está hospedado. Acorda desorientado, com dificuldade de respirar, e é levado a um hospital na ilha havaiana de Oahu, onde é diagnosticado com uma concussão cerebral. Começava ali um drama que duraria 15 meses de muitas incertezas e terminaria com uma das maiores recuperações da história do esporte. A verdade é que o mundo do surfe aguardava ansioso e preocupado pelo retorno de Owen. Durante o ano passado, o australiano ficou longe dos holofotes durante sua recuperação. Três meses após a lesão em Pipeline, ele voltou a surfar pela primeira vez, mas, como confessou nas redes sociais, sem sequer conseguir ficar em pé sobre a prancha.

" Em muitos momentos eu pensei que não voltaria. Foi toda uma montanha russa de emoções e dúvidas. A lesão foi na minha cabeça. Mas trabalhei muito. E ainda estou trabalhando, fazendo fisioterapia todos os dias. A expectativa é estar melhor a partir do meio do ano. Mas meus médicos foram a favor do meu retorno desde o começo do ano. Se não desse certo, eu parava de novo, mas ao menos eu teria tentado. Eu queria apenas ficar de pé e fazer algumas manobras, sabe? Uma batida aqui, outra ali. Só isso já me deixaria feliz. Eu não esperava voltar tão bem. " completou o surfista.

Referências

  1. «Owen Wright» (em inglês). RIP CURL. Consultado em 4 de setembro de 2015 
  2. «The Resurrection of Owen Wright Part II» (em inglês). World Surf League. 17 de fevereiro de 2014. Consultado em 4 de setembro de 2015 
Oahu North Shore surfing hand drag.jpg Este artigo sobre um(a) surfista, integrado ao Projeto Desporto, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.