Oxana Fedorova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Oxana Fedorova
Data de nascimento 17 de dezembro de 1977 (39 anos)
Local de nascimento Pskov, URSS
atual: Rússia
Nacionalidade Rússia russa
Altura 1,78
Títulos Miss Rússia 2001
Miss Universo 2002
(destronada)

Oxana Fedorova (em russo: Оксана Федорова; Pskov, 17 de Dezembro de 1977) é uma rainha da beleza russa eleita e destronada Miss Universo 2002, no único caso da história do concurso internacional. Ex-oficial da polícia russa e formada em Direito Civil, hoje é uma celebridade em seu país, onde atua também como atriz, cantora, apresentadora de televisão e Embaixadora da Boa Vontade junto à UNICEF.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Nasceu e foi criada pela mãe e pelos avós maternos na cidade de Pskov, então na União Soviética, onde permaneceu até os 18 anos. Seu pai era um físico nuclear e sua mãe, hoje aposentada, enfermeira num hospital psiquiátrico.[1] Seus pais se divorciaram quando ela tinha três anos e Oxana nunca mais teve notícias dele. Em 2005, já adulta e famosa, tentou localizá-lo descobrindo que já havia morrido. Entrou para a Academia de Polícia onde tocava saxofone integrando a banda de metais da força.[1]

Depois de formar-se oficial com um diploma vermelho (formada com honras), Fedorova trabalhou como inspetora na milícia de Pskov por seis meses, antes de transferir-se para São Petersburgo para estudar na universidade do Ministério do Interior da Rússia, trabalhando como investigadora da Polícia de Transporte de Pulkovo enquanto estudava. Nesta época, começou a participar de concursos de beleza e foi eleita Miss São Petersburgo em 1999. Depois de vencer outros concursos locais, foi eleita Miss Rússia em 2001 mas declinou do direito de ir ao Miss Universo 2001 por causa dos estudos, sendo substituída pela segunda colocada Oxana Kalandyrets, que em Porto Rico ficou entre as semifinalistas.[2]

Miss Universo[editar | editar código-fonte]

Fedorova participou da edição seguinte do concurso, realizado novamente em Porto Rico. Com uma passagem discreta pela fase inicial, a partir de sua classificação no Top 10 ela liderou com larga vantagem a pontuação e a preferência do público e dos jurados sobre as outras candidatas. A partir da escolha do Top 10 e do desfile em trajes de noite e biquíni – em que ela conseguiu a maior pontuação do Miss Universo até hoje, 9,88[3] – Fedorova dominou amplamente as outras candidatas, disparando na preferência geral e tornando-se virtualmente imbatível pela diferença de pontuação, mostrada ao público pela televisão. Ela liderou o Top 5 com larga vantagem para as outras finalistas, misses Venezuela, China, África do Sul e Panamá, abrindo 9,76 contra 9,06 da venezuelana Cynthia Zamora em segundo lugar.[4] A partir dali, parecia que não mais importava a qualidade de sua resposta à pergunta final, dada a impressão causada no público e nos jurados por sua beleza facial e seu desempenho extraordinário durante toda a noite e a disputa seria apenas pelo segundo lugar.[3]

O resultado final trouxe Fedorova e a panamenha Justine Pasek ao Top 2, com a vitória unânime da russa. Quatro meses depois, porém, ela teve seu título cassado por, segundo a Miss Universe Organization, não cumprir integralmente os deveres exigidos por contrato, uma ocorrência única na história do concurso. Justine Pasek foi coroada em Nova York por Donald Trump como Miss Universo 2002 em 24 de setembro do mesmo ano[5] e é hoje considerada a vencedora oficial desta edição.

Destituição[editar | editar código-fonte]

Durante os primeiros meses de seu reinado, Oxana Fedorova compareceu a vários eventos patrocinados e ligados ao Miss Universo, na Indonésia, no Panamá e nos Estados Unidos. Em 10 de setembro fez sua última aparição pública no cargo, de coroa e faixa, no Toronto Film Festival, no Canadá. Duas semanas depois, em 24 de setembro, estava destituída e Justine Pasek coroada em seu lugar pessoalmente por Donald Trump. [6] No dia anterior, a Miss Universe Organization, em comunicado oficial à imprensa, anunciava sua destituição por "quebra de contrato e incapacidade de cumprir as obrigações atribuídas ao cargo".[7]

Em entrevista à CNN em 24 de setembro de 2002, Donald Trump declarou que tinha pouco contato com Fedorova durante o reinado, mas encontrava-se informado das dificuldades que a organização estava tendo com ela. Fedorova, que já no ano anterior havia se recusado a participar do Miss Universo[8] depois de vencer o Miss São Petersburgo 1999 e o Miss Rússia 2001[1], faltava e atrasava a diversos eventos programados pela organização, causando seus cancelamentos, e que o problema final foi seu não-comparecimento a uma importante sessão de fotografias agendadas pela organização. Diante disso, Trump e Paula Schugart, presidente da Miss Universe Organization, se viram obrigados a demiti-la e coroar sua substituta, a panamenha Justine Pasek.[5]

Em declarações posteriores, Oxana declarou que havia voluntariamente desistido da coroa para se dedicar à sua formação em Direito na Rússia e a seu trabalho no Ministério do Interior. Também alegou ter sido profundamente desrespeitada pela organização, ao ser enviada ao programa de rádio de Howard Stern, The Howard Stern Show, sem ser avisada do que se tratava, onde foi confrontada com diversas perguntas íntimas, diretas e constrangedoras com relação à sexo, um estilo comum das entrevistas dos programas de Stern, que ela, por ser russa, desconhecia[3] e considerou o mais desagradável momento de toda sua vida nos EUA.[9] De maneira controversa, ao desembarcar destronada na Rússia em 28 de setembro, Oxana declarou à imprensa local que não sabia porque havia sido destituída e que continuava a considerar a si própria como a Miss Universo reinante e que os boatos existentes de havia ganho 7 kg, estava grávida ou tinha se casado secretamente eram falsos. Também afirmou que nunca assinou qualquer contrato com a organização já que o contrato apresentado a ela era em inglês, língua que ela não tinha domínio e esperava uma cópia em russo.[10]

Vida posterior[editar | editar código-fonte]

Oxana Fedorova em 2008.

Depois de retornar à vida na Rússia, ela tornou-se uma personalidade famosa na televisão e no entretenimento de seu país ao mesmo tempo em que continuava a praticar e ensinar Direito e a trabalhar como oficial de polícia, sendo promovida a capitã em 2002 e major em 2005.[11] No fim de 2002 defendeu sua tese de doutorado e recebeu o título de PhD em direito civil da Universidade de São Petersburgo do Ministério do Interior da Rússia. Em 2003, começou carreira na televisão, apresentando o mais popular programa infantil da tv russa, Spokoynoy nochi, malyshi! (Boa noite, pequeninos!), transmitido no país desde 1964.[12] Nos anos seguintes continuou carreira televisiva, apresentando programas dedicados ao público adulto e sendo a anfitriã da final russa do mais popular festival de música da Europa, o Festival Eurovisão.[13] Foi outorgada com o título de Embaixadora da Boa Vontade da UNICEF pela Federação Russa em 2007,[1] mesmo ano em que se tornou o rosto da empresa de cosméticos Max Factor na Rússia, e iniciou carreira como cantora e atriz de cinema, já tendo gravado diversos CDs e participado de filmes de sucesso local. Em 2010, Oxana acumulou com outras diversas atividades profissionais o cargo de editora-em-chefe da revista Moda Tropical,[14] dedicada ao público feminino e em 2012 o de apresentadora do programa da mesma revista na televisão russa.[15]

Oxana casou-se em 2007 com um empresário alemão, Philip Toft, do qual se divorciou em 2010. Casou-se novamente em 2011 com Andrey Borodin, alto funcionário administrativo do governo da Federação Russa e vice-presidente da Federação Russa de Boxe, e deu à luz um filho, Fyodor, em março de 2012.[1] Neste mesmo ano, foi eleita a mulher mais bela do país pelo Centro de Estudos para a Opinião Pública da Rússia.[16]

Para críticos e especialistas do mundo de concursos de beleza, Oxana Fedorova encontra-se num nível exclusivo dela própria na história desta competição por sua extraordinária beleza, assim como a indiana Aishwarya Rai, eleita duas vezes consecutivas a mais bela Miss Mundo de todos os tempos.[3] Em 2011, o site especializado Global Beauties, um dos maiores do mundo dedicado à concursos de beleza, a elegeu como a mais bonita Miss Universo na história do concurso, ignorando o fato dela não constar oficialmente como tal pela Miss Universe Organization.[3]

Referências

  1. a b c d e «Oxana Fedorova – Miss Universe 2002». beautifulrus.com. Consultado em 13 de junho de 2013 
  2. «2001». pageantopolis. Consultado em 13 de junho de 2013 
  3. a b c d e «Miss Universe 2002 - Oxana Fedorova». GlobalBeauties. Consultado em 12 de junho de 2013 
  4. «RUSSIAN BEAUTY WINS». Critical Beauty. Consultado em 13 de junho de 2013 
  5. a b «New Miss Universe Crowned». CNN. Consultado em 12 de junho de 2013 
  6. «2002». PageantUpdatePage. Consultado em 12 de junho de 2013 
  7. «Miss Universe 2002 - Justine Pasek». Consultado em 13 de junho de 2013 
  8. «2001». pageantopolis. Consultado em 12 de junho de 2013 
  9. Pérez, Armando. «Oxana Fedorova se lamenta de su "vida americana"». Agencia EFE. Consultado em 12 de junho de 2013 
  10. «Ex-beauty queen back on beat». The Hindu. Consultado em 12 de junho de 2013 
  11. «Самая опасная, но не самая престижная. Почему не идут в милиционеры?» (em russo). ГУП РАМИ. Consultado em 13 de junho de 2013 
  12. Спокойной ночи, малыши!. Телеканал "РОССИЯ". Rutv.ru. 27 September 2011.
  13. «Пётр Налич поедет представлять Россию на «Евровидении 2010» (см. ВИДЕО)» (em russo). annews.ru. Consultado em 13 de junho de 2013 
  14. «иветственное слово» (em russo). ModaTropical. Consultado em 13 de junho de 2013 
  15. «Видео версия журнала» (em russo). ModaTropicalTv. Consultado em 13 de junho de 2013 
  16. «Between beauty and brains». RT. Consultado em 13 de junho de 2013 


Precedido por
Denise Quiñones
Miss Universo
2002 (destronada)
Sucedido por
Justine Pasek