Tataíra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Oxytrigona tataira)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaTataíra
Oxytrigona tataira.jpg
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Hymenoptera
Superfamília: Apoidea
Família: Apidae
Tribo: Meliponini
Género: Oxytrigona
Espécie: O. tataira
Nome binomial
Oxytrigona tataira

A tataíra (Oxytrigona tataira) é uma abelha social, da subfamília dos meliponíneos.[1] Possui cerca de 5,5 mm de comprimento, cabeça e abdome ferrugíneos e o restante do corpo preto. É uma espécie altamente defensiva, com ataques de defesa massivos, e seu nomes se deve ao fato de que, segrega um líquido cáustico chamado ácido fórmico ou ácido metanóico, capaz de ocasionar queimaduras graves no ser humano. É uma abelha saqueadora facultativa, sendo observado sua presença saqueando cera dos tuneis de entrada de outras colméias de trigonas. Produz mel em pequenas quantidades e sabora(polen processado)em abundância. Também é conhecida pelos nomes de abelha-caga-fogo, abelha-de-fogo, barra-fogo, bota-fogo, caga-fogo e mija-fogo.[2]

É uma abelha muito importante por atacar enxames de apis melifera, ajudando a controlar seus números na América, já que a apis é uma espécie invasora introduzida que causa desequilíbrio ambiental, mas encontrou neste ambientes inimigos cuja relação se formou com o tempo, sendo a taitara uma de suas predadoras mais importantes.[3]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Seu nome vulgar é de origem tupi e significa "caga-fogo" ou "abelha-de-fogo" (de tatá "fogo" + eira "abelha").

Nomes vernáculos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Oxytrigona tataira». INaturalist (em inglês). Consultado em 11 de maio de 2020 
  2. «Abelha-Tataíra (Oxytrigona tataira tataira) Aprendendo sobre abelhas nativas sem ferrão 7». 17 de agosto de 2015. Consultado em 8 de setembro de 2020 
  3. «Tataíra (Oxytrigona tataira tataira) | AME -MINAS». Consultado em 8 de setembro de 2020 
  4. Ramirez, H.; França, M.C.V. (2017) O Warázu do Guaporé (tupi-guarani: primeira descrição linguística). LIAMES, v. 17, n. 2, p. 1-96.
  5. Manso, Laura Vicuña Pereira. 2013. Dicionário da língua Kwazá. Dissertação de mestrado. Guajará-Mirim: Universidade Federal de Rondônia.
  6. Silva, Maria de Fátima dos Santos da. 2012. Dicionário de raízes da língua aikanã. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Rondônia, Campus de Guajará-Mirim. (PDF)
  7. Bacelar, Laércio Nora. 2004. Gramática da língua kanoê. Dissertação de Doutorado. Katholieke Universiteit Nijmegen. Nijmegen, Holanda.
  8. Franchetto, Bruna (organização). Tabela comparativa de termos culturais alto-xinguanos. In: Alto Xingu: uma sociedade multilíngue. Editora Museu do Índio, 2011. ISBN 978-85-85986-34-6
  • Media relacionados com Tataíra no Wikimedia Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre insetos, integrado no Projeto Artrópodes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.