Pélica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pélica apulana de figuras vermelhas do Pintor de Dijon, ca. 370 a.C., Museu Britânico (Vaso F 316)

Pélica[1] (em grego: Πελίκη; transl.: Pelíke; pl. πελίκαι) é uma vasilhame cerâmico grego antigo similar a uma ânfora que se caracteriza por sua barriga estendida para baixo e sua boca mais larga.[2] O termo pélica não fora aplicado pelos antigos para referir-se a este tipo de cerâmica, tendo sido adotado pelos arqueólogos modernos. A "pélica" antiga é variadamente descrita como cílice, chous (ou pequena enócoa) e lecane.[3]

Acredita-se que poderia ter sido criado pelo tempo do estabelecimento da técnica de figuras vermelhas, embora há exemplos de pélicas com figuras negras.[4] Os primeiros exemplos de pélicas aparecem na figura vermelha ática após 520 a.C. e permaneceram populares através do século IV a.C.. Sua forma provavelmente fora tomada por empréstimo de cerâmicos de Gnácia, na Apúlia, onde tornar-se-ia mais fina e fantasiosa.[3]

Referências

  1. «Nomes portugueses para cerâmica grega e romana». Ciberdúvidas. Consultado em 19 de setembro de 2015. 
  2. «Glossaire du musée du Louvre» (em francês). Museu do Louvre. Consultado em 19 de setembro de 2015. 
  3. a b «Pelike» (em inglês). Perseus Encyclopedia. Consultado em 19 de setembro de 2015. 
  4. «Pelike» (em inglês). Classical Arte Research Center. Consultado em 19 de setembro de 2015.