Pés de lótus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma mulher chinesa exibindo um pé de lótus.

Pés de lótus foi a tradição chinesa de amarrar os pés das mulheres jovens em amarras apertadas a fim de modificar o formato dos pés. A prática possivelmente se originou das dançarinas das classes mais abastadas durante o Período das Cinco Dinastias e dos Dez Reinos na China Imperial (séculos X ou XI), para então se tornar popular durante a Dinastia Song e eventualmente se espalhou em todas as classes sociais. Os pés de lótus se tornaram populares por uma questão de status (mulheres de famílias ricas, que não precisavam de seus pés para trabalhar, poderiam os manter amarrados) e se tornou um padrão de beleza na cultura chinesa. Sua popularidade e prática, entretanto, variou em diferentes partes do país.

O Imperador Kangxi tentou banir os pés de lótus em 1664, mas falhou.[1] No final do século XIX, reformistas chineses desafiaram a prática, contudo não foi até o início do século XX que a tradição dos pés de lótus começou a morrer como resultado de campanhas anti-pés de lótus. Essa tradição implicava em deficiências locomotivas permanentes para a maioria das mulheres usuárias da prática, e algumas poucas chinesas ainda vivem hoje em dia com deficiências ligadas aos pés de lótus.[2]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a China é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Chinese Foot Binding» (em inglês). BBC UK 
  2. Lim, Louisa (19 de março de 2007). «Painful Memories for China's Footbinding Survivors». Morning Edition (em inglês). National Public Radio