Pés de lótus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Uma mulher chinesa exibindo um pé de lótus.

Pés de lótus foi a tradição chinesa de amarrar os pés das mulheres jovens em amarras apertadas a fim de modificar o formato dos pés. A prática possivelmente terá tido origem em dançarinas das classes mais abastadas durante o Período das Cinco Dinastias e dos Dez Reinos na China Imperial (séculos X ou XI), para então se tornar popular durante a Dinastia Song e eventualmente ter-se-á espalhado para mulheres de todas as classes sociais. Os pés de lótus tornaram-se populares por uma questão de status (mulheres de famílias ricas, que não precisavam de seus pés para trabalhar, poderiam manter os pés amarrados) e ter os pés deformados tornou-se um padrão de beleza na cultura chinesa. Sua popularidade e prática, entretanto, variou em diferentes partes do país.

O Imperador Kangxi tentou banir os pés de lótus em 1664, mas falhou.[1] No final do século XIX, reformistas chineses desafiaram a prática; contudo não foi senão no início do século XX que a tradição dos pés de lótus começou a morrer como resultado de campanhas anti-pés de lótus. Essa tradição implicava em deficiências locomotivas permanentes para a maioria das mulheres com a prática, e algumas poucas chinesas ainda vivem hoje em dia com deficiências ligadas aos pés de lótus.[2]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a China é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Chinese Foot Binding» (em inglês). BBC UK 
  2. Lim, Louisa (19 de março de 2007). «Painful Memories for China's Footbinding Survivors». Morning Edition (em inglês). National Public Radio