Paço Municipal de Juiz de Fora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paço Municipal
Estilo arquitetônico Eclético, Neoclássico
Construção
Arquiteto Rafael Arcuri
Proprietário Prefeitura de Juiz de Fora

Paço Municipal, conhecido também como Repartições Municipais, é uma prédio que abrigou a prefeitura da cidade brasileira de Juiz de Fora entre 1918 e 1997. De estilo eclético e características neoclássicas, é considerado um dos mais importantes e distintos marcos arquitetônicos da cidade.[1]

O edifício foi tombado pelo patrimônio histórico em 1983, e apesar de deixar de sediar a prefeitura no final da década de 1990, continuou a acolher órgãos administrativos do município.[2]

História[editar | editar código-fonte]

O prédio situado na esquina das ruas Direita e da Califórnia (respectivamente as atuais Avenida Rio Branco e rua Halfeld) foi adquirido pela administração pública de Juiz de Fora em 1852 para abrigar a câmara municipal e a cadeia local. Esta construção foi demolida por volta de 1915 para dar lugar ao paço municipal.[3]

Projetado pelo arquiteto Rafael Arcuri, o núcleo original do imóvel, voltado para a Avenida Rio Branco, foi concluído em 1918. O edifício tomou o formato como é conhecido hoje em 1934, quando a fachada lateral foi ampliada.[4] Uma última ampliação ocorreu em 1944 na parte interna, e o prédio foi enfim finalizado conforme o projeto de Arcuri.[5]

O Paço Municipal foi tombado pelo município em 19 de janeiro de 1983.[4] Deixou de abrigar a prefeitura em 1997, que passou para um nova sede construída na Avenida Brasil. Desde então, o Paço têm sido utilizado por diversos órgãos públicos, como a Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), o serviço de atendimento da prefeitura JF Informação e a sala de projeção de filmes Anfiteatro João Carriço.[2][6]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Paço Municipal de Juiz de Fora