Países recentemente industrializados

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Os países recentemente industrializados

A categoria de países recentemente industrializados (PRI)[1][2] ou novos países industrializados (NPI;[3][4] em inglês: newly industrialized countries, NIC) é uma posição de classificação socioeconômica aplicada a vários países ao redor do mundo por cientistas políticos e economistas.

Os NPI são países cujas economias ainda não conseguiram a primeira posição mundial, mas em um sentido macroeconômico, ultrapassaram as do Terceiro Mundo. Outra caracterização dos NPI é aquela de nações que possui crescimento econômico rápido (normalmente voltado à exportação). A industrialização incipiente ou contínua é um indicador importante de um NPI. Em muitos NPI, o motim social pode ocorrer como as populações principalmente rurais, agrícolas que migram para as grandes cidades, onde o crescimento de manufaturados e fábricas pode desenhar o futuro de milhares de trabalhadores.

Os NPI usualmente compartilham algumas características comuns, inclusive:

  • Liberdades sociais maiores e direitos civis (com exceção da República Popular da China)
  • Um comutador de economias agrícola a economias industriais, especialmente no setor de fabricação
  • Cada vez mais abrem a economia, levando em conta o livre comércio com os seus vizinhos, e com isto juntando uma coligação política comercial

Contudo, é importante observar que a liberdade política nem sempre se associa com a liberdade econômica. Em nações como a República Popular da China, censura de Internet, a supressão do cristianismo, e outros abusos de direitos civis são comuns. O governo chinês refutou essas acusações argumentando que o aumento do padrão de vida da China forneceu um utilitário benefício social que excede em peso o efeito prejudicial de violações individuais. De modo semelhante, países como a Arábia Saudita têm questões de direitos humanos que ganharam a ira de organizações como a Anistia Internacional.

Análise econômica[editar | editar código-fonte]

Os NPI geralmente se beneficiam de mão-de-obra barata, que se traduz em preços mais baixos para fornecedores. Como resultado, é frequentemente mais fácil para os produtores dos NPI desempenhar e produzir melhor em fábricas de países desenvolvidos, onde o custo de vida é mais alto, e uniões trabalhistas e outras organizações tem mais poder político.

Contexto histórico[editar | editar código-fonte]

O termo começou a ser usado na década de 1970 quando os assim chamados Tigres asiáticos (Hong Kong, Coreia do Sul, Singapura e a República da China (ou Taiwan) subiram à proeminência global com um crescimento industrial rápido desde a década de 1960. É importante observar a distinção entre esses países e as nações agora consideradas NPI. Especialmente, a combinação de um processo político aberto, alto PIB per capita, uma prosperidade e a política econômica voltada para a exportação, mostrou que esses países agora conseguiram características de países desenvolvidos. A República da Coreia é um membro pleno da OCDE, enquanto Taiwan mantém a posição de observador.

Presente[editar | editar código-fonte]

Exemplos atuais[5][6][7][8] de NPI incluem:

Continente País PIB
(milhões de US$, em 2020)[9]
PIB per capita (US$, em 2020) IDH
(2019)[10]
África África do Sul (BRICS)[7][8] 368.135 5.384 0,709 alto
América do Norte  México (OECD)[5][6][7][8] 1.040.372 8.066 0,779 alto
América do Sul  Brasil (BRICS)[5][6] 1.363.767 10.150 0,765 alto
Ásia  China (BRICS)[7][8] 14.860.775 2.001 0,761 alto
 Índia (BRICS)[5][8] 2.592.583 797 0,645 médio
 Malásia[5] 358.579 5,718 0,810 muito alto
Filipinas[5][6] 330.910 1.345 0,718 alto
 Tailândia[5][6] 504.928 3.136 0,777 alto
Europa/Ásia  Turquia[6][8] (candidato à UE) 649.436 5.408 0,820 muito alto

Alguns autores consideram ainda a lista da primeira geração dos países (Coreia do Sul, Formosa, Singapura, Hong Kong[11]) como NPI, e alguns que outros os discutem são agora países desenvolvidos.

A República Popular da China e a Índia são casos especiais: a renda per capita da população imensa dessas duas nações (mais de dois bilhões combinados desde novembro de 2006) permanecerá baixa mesmo se a economia de um desses países sobrepujar a dos Estados Unidos. Contudo, com o PIB PPC em mente, as populações chinesas e indianas terão um custo de vida significativamente reduzido.

Dados Correspondem a Outubro de 2020

Notas

Referências

  1. Revista brasileira de estudos políticos. [S.l.]: Universidade Federal de Minas Gerais. 1988 
  2. Jonathan, Cavarozzi, Marcelo / Cleaves, Peter Shurtleff / Garreton, Manuel Antonio / Gereffi, Gary / Hartlyn (2007). América Latina No Século Xxi: Em Direção a Uma Nova Matriz Sociopolítica. [S.l.]: FGV Editora. ISBN 9788522506026 
  3. Guimarães, Maria Helena (2005). Economia política do comércio internacional: teorias e ilustrações. [S.l.]: Principia. ISBN 9789728818548 
  4. Santos, Ariovaldo (1 de junho de 2014). Dicionário sindical e do trabalho (em inglês). [S.l.]: SciELO - EDUEL. ISBN 9788572167123 
  5. a b c d e f g Paweł Bożyk (2006). «Newly Industrialized Countries». Globalization and the Transformation of Foreign Economic Policy. [S.l.]: Ashgate Publishing, Ltd. 164 páginas. ISBN 0-75-464638-6 
  6. a b c d e f Mauro F. Guillén (2003). «Multinationals, Ideology, and Organized Labor». The Limits of Convergence. [S.l.]: Princeton University Press. pp. 126 (Table 5.1). ISBN 0-69-111633-4 
  7. a b c d David Waugh (2000). «Manufacturing industries (chapter 19), World development (chapter 22)». Geography, An Integrated Approach 3.ª ed. [S.l.]: Nelson Thornes Ltd. pp. 563, 576–579, 633, and 640. ISBN 0-17-444706-X 
  8. a b c d e f N. Gregory Mankiw (2007). Principles of Economics 4.ª ed. [S.l.: s.n.] ISBN 0-32-422472-9 
  9. «Report for Selected Country Groups and Subjects». www.imf.org. Consultado em 30 de março de 2021 
  10. «Human Development Report 2019» (PDF) (em inglês). Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas. Consultado em 17 de dezembro de 2020 
  11. «Online 1911 Encyclopædia Britannica». encyclopedia.jrank.org