Saltar para o conteúdo

Pablo Carreño Busta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Tenista Pablo Carreño Busta
Pablo Carreño Busta
País Espanha
Residência Barcelona, Espanha
Data de nascimento 12 de julho de 1991 (33 anos)
Local de nasc. Gijon, Espanha
Altura 1,88m
Peso 74 kg
Profissionalização 2009
Prize money US$ 13,704,293 [1]
Simples
Vitórias-Derrotas 241-191
Títulos 6
Melhor ranking Nº 10 (11 de setembro de 2017)
Ranking atual simples N° 23 (8 de agosto de 2022)
Australian Open 4R (2018, 2022)
Roland Garros QF (2017, 2020)
Wimbledon 1R (2014, 2016, 2018, 2019, 2021, 2022)
US Open SF (2017, 2020)
Duplas
Vitórias-Derrotas 96-86
Títulos 4
Melhor ranking Nº 16 (17 de julho de 2017)
Ranking atual duplas Nº 315 (8 de agosto de 2022)
Australian Open SF (2017)
Roland Garros 2R (2016)
Wimbledon 2R (2019)
US Open F (2016)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Bronze Tóquio 2020 Simples
Última atualização em: 12 de agosto de 2022.

Pablo Carreño Busta (Gijón, 12 de julho de 1991 é um tenista espanhol destro.[2] Profissional desde 2009, sua melhor colocação mundial em simples é a 10ª posição no ranking da ATP. Especialista em simples e duplas, já conquistou seis títulos de ATP, sendo que 3 como simplista e 3 como duplista.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Nascido em Gijón.

2016[editar | editar código-fonte]

No início de fevereiro de 2016, depois de ótima campanha, a parceria formada entre o espanhol Pablo Carreño Busta e o argentino Guillermo Durán ficou com o título de duplas do ATP 250 de Quito, no Equador. Os dois bateram na final o dueto formado pelos brasileiros Thomaz Bellucci e Marcelo Demoliner, por 7/5 e 6/4. Na decisão, o ponto crucial foi a capacidade de Carreño Busta e Durán de evitar as quebras, tendo salvado todos os oito break-points que encararam, sendo seis deles no primeiro set. Também tiveram ótimo desempenho no saque: 74% de acerto e apenas sete desses pontos perdidos.[3]

No final de abril, alcança a sua segunda final no ATP de Estoril após vencer o francês Benoît Paire na semi-final. Na final, perde para o compatriota Nicolás Almagro.

Em Setembro, jogando ao lado do compatriota Guillermo Garcia López, disputou à final de duplas no US Open. Mas, foram derrotados pelo brasileiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray.

ATP Tour finais[editar | editar código-fonte]

Simples: 2 (2 vices)[editar | editar código-fonte]

Legenda
Grand Slam (0–0)
ATP World Tour Finals (0–0)
ATP World Tour Masters 1000 (0–0)
ATP World Tour 500 Series (0–0)
ATP World Tour 250 Series (0–2)
Títulos por piso
Duro (0–0)
Saibro (0–2)
Grama (0–0)
Carpete (0–0)
Resultado N. Data Torneio Piso Oponente Placar
Vice 1. 28 Fevereiro 2016 Brasil Open, São Paulo, Brasil Saibro Uruguai Pablo Cuevas 6–7(4–7), 3–6
Vice 1. 01 Maio 2016 ATP de Estoril, Estoril, Portugal Saibro Espanha Nicolás Almagro 7–6(8–6), 6–7(5–7), 3-6

Duplas: 3 (1 título 2 vices)[editar | editar código-fonte]

Legend
Grand Slam (0–0)
ATP World Tour Finals (0–0)
ATP World Tour Masters 1000 (0–0)
ATP World Tour 500 Series (0–1)
ATP World Tour 250 Series (1–1)
Resultado N. Data Torneio Piso Parceiro Oponentes Placar
Campeão 1. 6 de Fevereiro de 2016 Ecuador Open, Quito, Equador Saibro Argentina Guillermo Durán Brasil Thomaz Bellucci
Brasil Marcelo Demoliner
7–5, 6–4
Vice 1. 21 Fevereiro 2016 Rio Open, Rio de Janeiro, Brasil Saibro Espanha David Marrero Colômbia Juan Sebastián Cabal
Colômbia Robert Farah
6–7(5–7), 1–6
Vice 2. 27 Fevereiro 2016 Brasil Open, São Paulo, Brasil Saibro Espanha David Marrero Chile Julio Peralta
Argentina Horacio Zeballos
6–4, 1–6, [5–10]

Referências

  1. «Pablo Carreño Busta». ATP Tour. Consultado em 12 de agosto de 2022 
  2. «Perfil na ATP». Consultado em 8 de fevereiro de 2016 
  3. «TenisBrasil - Bellucci perde dupla e enfrenta Estrella às 16h». TenisBrasil, a cobertura completa do circuito do tênis está aqui. Consultado em 7 de fevereiro de 2016