Pablo Guiñazú

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guiñazú
Guiñazú
Guiñazú no Vasco da Gama
Informações pessoais
Nome completo Pablo Horacio Guiñazú
Data de nasc. 26 de agosto de 1978 (36 anos)
Local de nasc. General Cabrera,  Argentina
Altura 1,72 m[1]
Canhoto
Apelido El Cholo Loco, "Pitbull Cruzmaltino"
Informações profissionais
Clube atual Brasil Vasco da Gama
Número 5
Posição Volante
Site oficial Website oficial
Clubes de juventude
1995–1996 Argentina Newell's Old Boys
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1996–2000
2000–2001
2001–2003
2003
2004
2004–2007
2007–2012
2013
2013–
Argentina Newell's Old Boys
Itália Perugia
Argentina Independiente
Argentina Newell's Old Boys
Rússia Saturn
Paraguai Libertad
Brasil Internacional
Paraguai Libertad
Brasil Vasco da Gama
0119 0000(5)
0014 0000(0)
0055 0000(0)
0019 0000(0)
0024 0000(5)
0073 0000(2)
0282 0000(4)
0025 0000(0)
770000(0)
Seleção nacional3
2003–2012 Flag of Argentina.svg Argentina 0016 0000(0)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 01 de Julho de 2015.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 26 de junho de 2013.

Pablo Horacio Guiñazú[2] (General Cabrera, 26 de Agosto de 1978)[3] é um futebolista argentino que joga como volante. Atualmente, defende o Vasco da Gama.

É canhoto, e tem como principais características a marcação, a movimentação,passes precisos,exelentes lançamentes,um ótimo chute de longa e média distância ou seja,um gênio da bola um mito um Mestre da bola,e a garra demonstrada dentro de campo são inigualáveis. Ganhou a torcida colorada e cruzmaltina com desarmes precisos e decisivos,muita vontade de ajudar e liderança dentro de campo e belos passes. No início de 2009, Guiñazú recebeu do técnico Tite a braçadeira de capitão do Internacional no centenário do clube gaúcho.

Ele conheceu o Beira-Rio na Copa Libertadores da América de 2006 quando, pelo Libertad do Paraguai, enfrentou o Internacional pelas semi-finais da competição. Em 2007, desembarcou em Porto Alegre para ocupar o lugar de Paulo César Tinga na equipe colorada, que havia ido para a Alemanha um ano antes. Logo, recebeu da imprensa local o apelido de El Cholo Loco, em referência a sua dedicação em campo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Guiñazu começou sua carreira profissional com Newell's Old Boys, em 1996, ele jogou mais de 100 jogos pelo clube antes de se transferir para o Perugia. Ele voltou para a Argentina em 2001, para jogar pelo Independiente, onde ele fazia parte da equipe campeã do Apertura 2002.

Em 2003 ele retornou ao Newell's Old Boys antes de se juntar à equipe russa do Saturn. Depois de uma temporada na Rússia, ele voltou à América do Sul, para jogar pelo Libertad no Paraguai, onde fez parte da equipe que venceu o Paraguai Primera División em 2006.

Internacional[editar | editar código-fonte]

Em 2007 juntou-se ao Internacional no Brasil.[4]

Após cinco anos no Colorado, onde foi bem-sucedido e conquistou diversos títulos importantes, como a Libertadores de 2010, Guiñazú, a despeito de sua já avançada idade (34 anos) para a carreira de futebolista, descartou encerrar em breve sua trajetória no futebol. "A minha cabeça tem", de acordo com o próprio volante, "23 ou 24 anos".[5]

No dia 4 de janeiro de 2013, pediu rescisão de contrato junto ao Colorado, para retornar ao Libertad.[6] O clube, por sua vez, justificou o retorno de Guiñazú ao futebol paraguaio como "uma solicitação especial [sua], [...] aleg[ando] motivos pessoais e familiares". O volante deixa o Inter após 282 partidas e quatro gols com a camisa vermelha.[7]

Em sua coletiva de despedida do clube brasileiro, Guiñazú ponderou que esse foi "o dia mais difícil de sua carreira", dada a identificação do volante com o Colorado. Afirmou também ter sido rápido seu acerto com os paraguaios do Libertad, ao qual retorna depois de cinco anos (justamente sua última agremiação antes de chegar ao Brasil), dizendo também que o único destino que teria, se deixasse o Inter, era o de voltar ao Albinegro.[8]

Na sua rescisão, contudo, foi imposta uma cláusula pela diretoria colorada que prevê o pagamento de uma multa no caso de retorno do volante ao Brasil no próximo biênio. Apesar de não ter se referido a cifras, para o diretor de futebol do clube, Luís César Souto de Moura, tal quebra, se concretizada, tem "um valor bem alto para um jogador de 34 anos."[9]

Vasco da Gama[editar | editar código-fonte]

Guiñazú no Vasco

Foi contratado pelo Vasco da Gama em 24 de julho de 2013 e recebeu a camisa de número 5. Logo em seu primeiro jogo se lesionou voltando a atuar somente no final do ano. Em 2014 se tornou o capitão da equipe, após a aposentadoria do ídolo Juninho Pernambucano.[10] É um dos responsáveis pela sólida defesa do Vasco, fazendo de tudo para que o time adversário não passe sequer do meio de campo. Ajudou o clube a terminar o Campeonato estadual de 2014 como a defesa menos vazada, e sagrou-se campeão estadual em 2015.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Todos os gols pelo Internacional:

Seleção[editar | editar código-fonte]

Argentina
Anos Jogos Gols
2003 4 0
2011 2 0
2012 10 0
Total 16 0

Títulos[editar | editar código-fonte]

Independiente


Libertad


Internacional


Vasco da Gama

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Ano Premiação Prêmio Time Resultado Ref.
2009 Brasil Prêmio Craque do Brasileirão Melhor volante-esquerdo Internacional Venceu [11]
Brasil Bola de Prata Melhor volante Venceu [12]
2012 Uruguai Rei das Américas (jornalistas) Melhor meia-central Indicado [13] [14]
Uruguai Rei das Américas (internautas) Melhor meia-central Venceu [15]

Referências

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]