Pablo Sánchez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pablo Sánchez
Psanchez.jpg
Informações pessoais
Nome completo Pablo Maria Sánchez
Data de nasc. 13 de março de 1973 (46 anos)
Local de nasc. Rosário,  Argentina
Altura 1.77 m
Informações profissionais
Posição Treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1992–1996
1996–1998
1998
1999
1999–2000
2000–2005
2005
Argentina Rosario Central
Países Baixos Feyenoord
Espanha Alavés (emp.)
Bélgica Harelbeke
Argentina Gimnasia La Plata
Argentina Rosario Central
Argentina Quilmes
Times/Equipas que treinou
2007
2008
2009
2013-2014
2015
2016-
Argentina Banfield
Argentina Rosario Central
Bolívia Oriente Petrolero
Chile Concepción
Chile O'Higgins
Chile Everton de Viña del Mar

Pablo Andrés Sánchez (Rosario, 3 de janeiro de 1973) é um jogador de futebol argentino. Ele é também conhecido como Pablo "Vitamina" Sánchez.

Bastante habilidoso, joga na posição de volante e meio campista. É conhecido pela imprensa e torcida pelo carinhoso apelido de Vitamina. O jogador atribui este apelido ao fato que sempre tomou regularmente muitas vitaminas para manter o seu vigor físico e vitalidade dentro de campo. De fato é um jogador bastante admirado pela sua garra e dedicação dentro de campo, além de invejável preparo físico o que o tornou um grande ídolo da torcida do Rosario Central.

Carreira no futebol[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira no Club Atlético Rosario Central (Argentina), seu clube do coração, na temporada de 1992/93. Após 3 temporadas, se tornou grande ídolo dos "Canallas" com o seu futebol extremamente técnico e aguerrido, e em 1995, ganhou a Copa Conmebol (precursora da atual Copa Sul-Americana) com o clube rosarino. Logo de esse sucesso, resolveu em 1996 aventurar-se no futebol europeu pelo Feyenoord da Holanda. Em sua primeira temporada no clube de Roterdã formou uma combinação perfeita com o craque Henrik Larsson e em sua segunda temporada não foi muito bem aproveitado.

Foi em seguida emprestado ao Deportivo Alavés da Espanha, onde jogou a Primeira Divisão. Depois retornou à Argentina em 1999 e depois de uma rápida passagem pelo Gimnasia y Esgrima de La Plata assinou novamente com o clube Rosarino em 2000.

Depois de alguns anos no Rosario Central deixou o clube em 2005, e assinou com o Quilmes, também da Argentina. No jogo seguinte do Rosario com o Quilmes foi surpreendido com uma comovente homenagem. Foi ovacionado e calorosamente apalaudido pelos 40 000 espectadores que compareceram ao espetáculo.[1]. Na temporada de 2006 foi especulada a sua transferência para um clube brasileiro, provavelmente o Náutico mas a negociação não se concretizou por pequenos detalhes.

Sánchez teve um passo curto de 16 jogos como treindador do time de Bánfield, no torneio Clausura 2007, onde reemplaçou a o Patricio Hernández na condução da equipa. em 2008 foi treinador do time principal de Rosario Central e em 209 esteve como treinador do Oriente Petrolero.

Referências