Pac-Man

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a série de jogos com o mesmo personagem, veja Pac-Man (série). Para o personagem que leva o título do jogo, veja Pac-Man (personagem).
Pac-Man
Produtora(s) Namco
Editora(s) Namco
Plataforma(s)
Série Pac-Man
Conversões/
relançamentos
Atari 2600, Atari 5200, Commodore 64, NES, Intellivision, Sega Game Gear, Game Boy, Neo Geo Pocket Color, Game Boy Advance, celular, Nintendo DS, Virtual Console e Texas Instruments Nspire CX (versão de NES para Wii[1] e de Game Boy para Nintendo 3DS[2])
Data(s) de lançamento 1980
Gênero(s) Labirinto
Modos de jogo Até 2 jogadores, alternadamente
Controles Joystick 4 direções
Hardware
Sistema Namco Pac-Man
Gabinete Tradicional e cocktail
CPU ZiLOG Z80 a 3,072 MHz
Som Namco WSG a 3,072 MHz (3-canais mono)
Vídeo RGB, Raster, Vertical, 224 x 288

Pac-Man (conhecido em japonês com o nome de Puckman ou パックマン) é um jogo eletrônico criado pelo Tōru Iwatani para a empresa Namco, e sendo distribuído para o mercado estadunidense pela Midway Games. Produzido originalmente para Arcade no início dos anos 1980, tornou-se um dos jogos mais populares no momento, tendo versões para diversos consoles e continuações para tantos outros, inclusive na atualidade. A mecânica do jogo é simples: o jogador era uma cabeça redonda com uma boca que se abre e fecha, posicionado em um labirinto simples repleto de pastilhas e 4 fantasmas que o perseguiam. O objetivo era comer todas as pastilhas sem ser alcançado pelos fantasmas, em ritmo progressivo de dificuldade.

O jogo original rendeu muitas versões ainda para o Atari 2600 (como "Mrs. Pacman", e "Pacman Jr.", além de outros não relacionados mas que seguiam o mesmo estilo), e posteriormente para diversos outros consoles e para o computador. Atualmente existem versões em 3 dimensões, outras em estilo "adventure", sempre remontando ao personagem redondo e faminto do jogo original e seus perseguidores fantasmas.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1980, Toru Iwatani, um designer da Namco, queria inventar um jogo de vídeo diferente dos "shoot-em-ups" (tiro-neles), que se assemelhasse a um desenho-animado.

A ideia do desenho original ocorreu durante um jantar com amigos, e deve-se a uma pizza sem uma fatia, que fazia lembrar uma boca aberta;[3][4] assim tem origem uma personagem inspirada em Paku, uma personagem popular no Japão conhecido pelo seu apetite. A personagem e jogo tiveram o nome Puck-Man, do termo Japonês paku-paku, que significa a boca de alguém a abrir-se e fechar-se. Em 1980, a Bally comprou os direitos nos Estados Unidos ; o jogo tornou-se famoso no ano seguinte.

No jogo os jogadores controlam puckman, com o objectivo de comer todas as bolas (ou pastilhas) que se encontram espalhadas num labirinto, enquanto evitam quatro fantasmas (os Galaxians), 'blinky', 'pinky', 'inky' e 'clyde', que se escapam de uma prisão. Em cada canto da área de jogo, estão pastilhas maiores que permitem pac-man caçar os fantasmas, em vez de ser caçado, durante um curto período de tempo.

O nome foi alterado para Pac-Man, desencorajando a alteração da letra 'p' por 'f' (um calão na língua inglesa).

O jogo foi um dos mais populares, sendo o primeiro jogo de vídeo que originou um merchandising massivo, com camisetas, casacos, calças, copos de café, peluches, lençóis, cereais, jogos-de-tabuleiro, livros, toalhas…

Inovações[editar | editar código-fonte]

Muito antes dos games da franquia Super Mario Bros., Pac-Man foi o primeiro jogo a apresentar a mecânica de “Power-Up”, algo que lhe concedia mais poder temporariamente. As pílulas energéticas do personagem permitiam que, por um tempo limitado, ele pudesse devorar os fantasmas que normalmente o perseguiam e eram a causa de sua morte. A ideia de um “Power-Up” surgiu do clássico desenho animado Popeye, onde o protagonista fica mais forte quando come seu espinafre.

Outro conceito inovador de Pac-Man era sua complexa Inteligência Artificial. Cada fantasma tinha uma “personalidade”, uma função no jogo. Um deles perseguia incessantemente Pac-Man, outros dois tentavam se antecipar ao personagem para pegá-lo de surpresa e o último era meio bobo e só ficava circulando por aí. Um dos interceptadores era também meio “covarde” e só encarava Pac-Man quando estava perto dos seus outros amigos fantasmas.

Seqüências[editar | editar código-fonte]

Em 1982 é lançado Ms. Pac-Man, a primeira sequência de Pac-Man, que é um jogo semelhante ao original, no entanto a personagem é feminina (com a boca pintada com batom vermelho), e em vez de um labirinto, existem quatro labirintos diferentes.

Também é lançado Pac-Man Jr. que mostra ser uma criança usa um boné com uma hélice em cima. (um brinquedo)

Pac-Man 2: The New Adventures[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Pac-Man 2: The New Adventures

Pac-Man 2: The New Adventures, foi um jogo lançado para o Mega Drive/Genesis e para o Super Nintendo. Ele se baseia em explorar e cumprir missões. No jogo você não controlava Pac-Man, com um estilingue você ajudava Pac-Man de varias maneiras. O jogo conta com diversas fases, um mapa era disponível onde diversos locais eram destravados de uma fase a outra, também havia diversos segredos e modos de passar a fase. No jogo também havia a participação de toda a família de Pac-Man jé conhecida, também um novo membro fazia parte do elenco, um bebêzinho de colo.

Pac-Man Vs.[editar | editar código-fonte]

EM 2003, durante a E3 daquele ano, um dos destaques da Nintendo para a feira era um novo minigame chamado Pac-Man Vs. para o GameCube. Era um jogo multiplayer para 4 pessoas, onde um usuário conectava um GameBoy Advance ao console e assumia o papel de Pac-Man, vendo todo o tabuleiro no portátil, enquanto outros três na televisão controlavam os fantasmas e tinham uma visão limitada. O jogo encabeçava um novo conceito de “conectividade” que acabou abandonado pela empresa, mas era extremamente divertido.

Série animada[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Pac-Man (série animada)

De 1982 a 1984, a Hannah-Barbera produziu uma série animada baseada em Pac-Man, que chegou a ser exibida no Brasil pela Bandeirantes em 1987 (programa ZYB Bom) e recentemente, no Sábado Animado pelo SBT. A série ao ser adaptada para o Brasil, verteu o nome de Pac-Man para "Comilão" e usa um chapéu referente de "Indiana Jones". A série tratava das desventuras de Pac-Man e sua família (mulher, filho, cão e gato, todos criaturas de forma esférica).

Recorde Mundial[editar | editar código-fonte]

  • Billy Mitchell é o detentor do recorde mundial do Pac-Man. O recorde - homologado pela Twin Galaxies - foi logrado durante uma disputa entre Estados Unidos e Canadá. Ele levou mais de 6 horas para completar o jogo, conseguindo alcançar a pontuação máxima do jogo que é 3.333.360 pontos. Para isso ele teve que completar 256 telas. E detalhe: não perdeu uma única vida[5].

Referências

  1. «Pac-Man Release Information for NES» (em inglês). GameFAQs. Consultado em 3 de setembro de 2011. 
  2. Pedro Henrique Lutti Lippe (1º de setembro de 2011). «eShop recebe um novo jogo de Virtual Console». Wii Brasil. Consultado em 3 de setembro de 2011. 
  3. Época - Negócios. «Da Guerra Fria à batalha dos consoles» [S.l.: s.n.] Consultado em 24/08/2009. 
  4. WNews. «Pac-Man, o game do século 20» [S.l.: s.n.] Consultado em 24/08/2009. 
  5. terramel.org/

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pac-Man
Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.