Pacheco Neves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Joaquim Pacheco Neves

Joaquim Pacheco Neves, (Vila do Conde, 11 de Junho de 1910 - 19 de Janeiro de 1998) foi médico, cronista, romancista, dramaturgo, memorialista e editor, autor de uma vasta obra galardoada com vários prémios nacionais.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi em Vila do Conde que nasceu Joaquim Pacheco Neves, filho do farmacêutico Tadeu Eurico Pereira Neves e Maria da Conceição Maia Pacheco Neves.

Em 1932 termina a licenciatura em Medicina, na cidade do Porto, com 16 valores.

No ano 1934 é nomeado Presidente da Comissão Municipal que dirige a Câmara Municipal de Vila do Conde voltando, na década de 40, a ser autarca, desta vez ocupando o cargo de Vice-Presidente da Câmara e, interinamente, Presidente da Câmara.

Em 1938 especializa-se em estomatologia no Hospital de Santo António, no Porto, sendo que nessa altura ingressa como médico nos Serviços Sociais.

Um ano mais tarde, com a morte o seu irmão, ocupa o consultório na Rua da Junqueira, na Póvoa de Varzim, onde trabalharia até 1975.

Em 1935 funda com o seu Pai o Jornal Novo Rumo que será publicado até 1936 e onde terá colaborado com cerca de duas dezenas de artigos. Nesse mesmo ano é nomeado médico da Companhia dos Caminhos de Ferro do Norte de Portugal.

Em 1946 casa-se com Maria Leonor Lacerda Pinheiro Pacheco Neves de quem tem quatro filhos, Teresa, Isabel, Madalena e Jorge.

Em 1952 fundou as edições Ser através da qual viriam a ser publicados vários escritos literários, nomeadamente José Régio, como Jacó e o Anjo e o terceiro volume de “A Velha Casa”, entre outros autores.

Em 1985 abandona toda a atividade profissional como médico e aposenta-se dos serviços médico-sociais. Até esse ano terá acumulado a sua atividade literária com a profissional.

Os cafés e as tertúlias[editar | editar código-fonte]

Durante vários anos Joaquim Pacheco Neves fez parte da Tertúlia que reunia semanalmente no Diana-Bar da Póvoa de Varzim, ou no restaurante Marisqueira em A-Ver-o-Mar, o "Grupo dos Sábados" a que compareciam regularmente Manuel de Oliveira, José Régio, Luís Amaro de Oliveira, João Francisco Marques, Orlando Taipa, Flávio Gonçalves e Agustina Bessa-Luís.

Obras publicadas (Contos, Romances e Novelas)[editar | editar código-fonte]

1941 - Contos Macabros

1942 - Como Nasce o Ódio

1942 - Contos Sombrios

1952 - História Breve Duma Vida Longa

1956 - Sinfonia Burlesca

1957 - Pechblenda e Outros Contos

1962 - Histórias Picaras

1964 - O Silêncio e a Vida

1966 - História do Anoitecer

1972 - História do Desespero

1973 - História da noite Escura

1975 - O Bairro do Cemitério

1976 - Histórias de Ciúmes

1977 - História Duma Mulher Perdida

1978 - Histórias de Pobres

1979 - As Aventuras de João Feijão

1982 - Histórias do Desencanto

1992 - Histórias do Nunca Mais

1995 - O Meu Amigo Alfredinho

1996 - Contos do Amanhã

1996 - O Primeiro Amor de Lamartine

1998 - Diana a do Paço Velho (edição póstuma)

1998 - O Sonho e a Realidade (edição póstuma)

2002 - Hotel das Termas (edição póstuma)

Com o pseudónimo André Baldaia[editar | editar código-fonte]

1976 - Isquemia - Memórias de um cardíaco

1977 - Cirurgia - Memórias de um operado

Teatro[editar | editar código-fonte]

1980 - A Lenda da Berengária

1981 - O Conde Duque de Olivares

1981 - Bobby Sands

1987 - Fanny

1988 - Anton Tchekhov

1990 - D. João II

1990 - Camilo ultimas horas

1990 - Bartolomeu Dias

1990 - Camilo no Cárcere

1992 - Marylin

1992 - A Morte de Sócrates

1995 - Esquizophenia

1996 - O primeiro Amor de Lamartine

José Régio[editar | editar código-fonte]

1978 - Evocações de José Régio (Doença e a Morte)

1989 - Os desenhos de Régio

História de Vila do Conde[editar | editar código-fonte]

1941 - Em redor do Mosteiro

1982 - Mosteiro de Santa Clara de Vila do Conde

1984 - Desembarque dos Liberais

1987 - Vila do Conde

Autobiografia[editar | editar código-fonte]

Luis Afonso Baldaia - O Despertar

Luis Afonso Baldaia - O Amanhecer

Luis Afonso Baldaia - O Começar

Luis Afonso Baldaia - O Continuar

Outras publicações[editar | editar código-fonte]

1943 - Em Cada Vida (conto inserido na analogia publicada pela Portugália Editora)

1983 - O Padrinho de Santos Graça (in actas do Colóquio Santos de Etnografia Marítima,1983)

1984 - Círculo Católico de Operários de Vila do Conde. Breve História.

boletim da Câmara Municipal de Vila do Conde[editar | editar código-fonte]

• 1972 - Monçaide, o Mouro

• 1987 - O Dr. Flávio Gonçalves

• 1988 - A Igreja Matriz de Vila do Conde

• 1989 - António de Mariz Carneiro

• 1989 - As Alfândegas de Vila do Conde

• 1989 - Evaria Hoenderop

• 1989 - Nos Cem anos do Nascimento do Dr. Jorge Faria

• 1989 - Quaderninho do Mosteiro

• 1989 - A Cruz Processional de Formariz

• 1990 - Camilo em Vila do Conde

• 1990 - Quatro Pequenos estudos sobre José Régio

• 1990 - Os Passeios e as Viagens do Abade Sousa Maia

• 1990 - Dois Óleos de Régio

• 1991 - A Casa Onde Morou Antero

• 1991 - Os treze sonetos de Vila do Conde

• 1991 - O Auditório

• 1991 - O Laré, escritor

• 1992 - Breve estudo sobre os azulejos de Vila do Conde

• 1992 - Sobre a Beatificação dos fundadores

• 1993 - Os São Joões da Igreja Matriz

• 1993 - José Régio – 23 anos depois

• 1993 - Comentários a uns comentários

• 1993 - O Padre José Praça

• 1993 - Páginas de Memórias

• 1993 - Monsaraz, Terra esquecida

• 1994 - José Régio – Primeiros Versos / Primeiras Prosas

• 1994 - Páginas de Memórias

• 1994 - O Mosteiro Flor da Rosa

• 1994 - História de uma nota de mil escudos

• 1994 - Páginas de Memórias

• 1994 - O Mosteiro da Flor da Rosa

• 1995 - Lurdinhas

• 1996 - Jogos Florais

• 1996 - A Capela Mor da Igreja Matriz

Escreveu para várias publicações periódicas: Novo Rumo, Renovação, Voz do Ave, Jornal de Vila do Conde, Jornal o Médico, O Médico, O Comércio do Porto, O Primeiro de Janeiro, Independência, O Século, Beira - Vouga, entre outros.

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

1990 - Recebe, da Câmara de Vila do Conde, a medalha de mérito Municipal por relevantes serviços prestados na área da Literatura.

1998 - O Conselho Regional do Norte da Ordem dos Médicos homenageia o Escritor colocando uma placa evocativa na biblioteca do Escritor Médico.

2011 - A Câmara Municipal de Vila do Conde inaugurada uma avenida em Vila do Conde com o seu nome.

2011 - O Círculo Católico de Operários de Vila do Conde abriu, na sua sede, uma sala dedicada a este escritor Vilacondense onde procurou reconstituir o ambiente do seu escritório.

2011 - O Círculo Católico de Operários de Vila do Conde criou um premio literário em sua memória.

Obras premiadas[editar | editar código-fonte]

• Histórias do Desespero - Prémio Fialho d´Almeida, Associação Portuguesa de Escritores Médicos

• Histórias de Pobres - Prémio Ricardo Malheiro, Academia das Ciências de Lisboa

• A Lenda da Berengária - Prémio Marcelino Mesquita, Associação Portuguesa de Escritores Médicos

• Marylin - Premio Marcelino Mesquita, Associação Portuguesa de Escritores Médicos

• Fanny - Prémios CITAP e Marcelino Mesquita, Associação Portuguesa de Escritores Médicos

• Bobby Sands - Prémio Seiva Trupe