Pacto Hoare-Laval

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Pacto Hoare-Laval é um pacto proposto de forma secreta em dezembro de 1935 pelo secretário de Estado britânico dos Negócios Estrangeiros, Samuel Hoare, ao primeiro-ministro francês Pierre Laval para pôr fim à Segunda Guerra Ítalo-Etíope. A Itália queria aproveitar a Etiópia para integrá-la em seu império colonial e vingar as derrotas anteriores na região, como a da batalha de Adwa de 1896. O pacto oferecia a divisão da Abissínia (o nome da Etiópia na época) para poupar as ambições imperiais de Benito Mussolini.[carece de fontes?]

O pacto concederia à Itália a soberania sobre Tigré e Ogaden, assegurando a preponderância económica italiana sobre a zona sul da Etiópia.[carece de fontes?]

A proposta gerou reações hostis tanto no Reino Unido como na França e nunca entrou em vigor. Hoare perderia o cargo. O governo britânico resignaria ao plano, e em 1936 a Itália iniciou os seus avanços bélicos, tendo entrado em Addis Abeba em 5 de maio de 1936, terminando a guerra.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Callahan, Mihael D. The League of Nations, International Terrorism, and British Foreign Policy, 1934-1938 (Springer, 2018).
  • Henderson, B. Braddick, "The Hoare-Laval Plan: A Study in International Politics," Review of Politics (1962) 24#3 pp. 342–364 in JSTOR
  • Holt, Andrew. "'No more Hoares to Paris’: British foreign policymaking and the Abyssinian Crisis, 1935," Review of International Studies (2011) 37#3 pp. 1383–1401
  • Robertson James C. "The Hoare-Laval Plan," Journal of Contemporary History (1975) 10#3 pp. 433-464 in JSTOR
  • Strang, G. Bruce, ed. Collision of Empires: Italy's Invasion of Ethiopia and its International Impact (2013)' 13 essays by scholars. conteúdos
  1. Gunther, John (1940). Inside Europe. New York: Harper & Brothers. pp. 273–280