Padmé Amidala

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Padmé Amidala
Personagem de Star Wars
Amidala.png
Falecimento 19 BBY, Polis Massa
Origem 47 BBY, Naboo
Espécie Humana
Cabelo Castanho
Olhos Castanhos
Actividade(s) Rainha de Naboo (Ep. I)
Senadora de Naboo (Ep. II-III)
Afiliações República Galáctica, Senado Galáctico
Interpretado por Natalie Portman
Veículos Cruzador Republicano
Projecto Cinema  · Portal Cinema

Padmé Naberrie, mais conhecida por Padmé Amidala, é uma das principais personagens da segunda trilogia de Star Wars. Apareceu em: A Ameaça Fantasma, Ataque dos Clones e A Vingança dos Sith. Foi esposa do Jedi Anakin Skywalker (antes de ele ir para o Lado Sombrio da Força e tornar-se Darth Vader), com quem teve dois filhos, os gêmeos Luke Skywalker e Leia Organa. Foi interpretada pela atriz Natalie Portman.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Padmé" significa lótus, a flor sagrada do oriente, em sânscrito[1] .

Curta Trajetória Política[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Padmé era política, tendo sido rainha de Naboo e senadora do Senado Galáctico, respectivamente. O mandato como rainha foi prolongado, de forma que Padmé reinou em seu planeta por oito anos. Ao fim do mandato, o povo clamou pela segunda reeleição, porém Padmé aceitou ocupar o cargo de senadora. Apaixonou-se e casou-se secretamente com o jedi Anakin Skywalker, com quem teve dois filhos: os gêmeos Luke Skywalker e Leia Organa. Foi afastada do cargo de senadora devido à gravidez, devido a cujo parto morreu ainda jovem.

A Ameaça Fantasma[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: A Ameaça Fantasma

Com apenas quatorze anos, Padmé Amidala elege-se a rainha do planeta Naboo. É então obrigada a passar por um sofrimento quando seu planeta é bloqueado e invadido pela Federação do Comércio. Só escapa pela intervenção dos Jedi Qui-Gon Jinn e Obi-Wan Kenobi, que sugerem que ela fuja do planeta. O vicerrei da Federação, Nute Gunray, a mando de Darth Sidious, ordena os dróides-soldados capturarem Amidala para fazê-la assinar um tratado que legalizaria sua invasão ao planeta, o que não levantaria suspeitas à Federação.

Durante a fuga, o hiperpropulsor da nave real quebra-se. Tentando conseguir um novo, dirigem-se os fugitivos ao planeta Tatooine, onde conhecem o jovem Anakin Skywalker. Anakin segue com eles até Coruscant; na nave, o garoto entrega a Amidala um colar que ele mesmo esculpira em lasca de "jabor". Em Coruscant, Amidala apela ao Senado Galáctico por ajuda, depois decide voltar a seu planeta e acabar com a invasão.

A estratégia consistia de ir em diversas frentes - os gungans, nativos de Naboo trariam o exército da Federação para longe da capital, onde Amidala e seus soldados tomariam o palácio de volta. Em certo ponto, Amidala e sua força são capturados; mas são salvos pela aparição da ama e sósia de Padmé, Sabé. Ela que fez os guardas acreditarem que Amidala era a impostora, acompanhando-a e permitindo que ela e seus soldados controlem a situação. Nute Gunray, não viu outra saída senão se render e desistir de seu tratado, após o quê o exército da Federação foi expulso.

Ataque dos Clones[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ataque dos Clones

Dez anos depois, Padmé é Senadora de Naboo. Quando vai para Coruscant se pronunciar sobre os Separatistas - vários sistemas planetários que querem se separar da República - sofre um atentado, em que Corda, sua ama, é morta.

Para garantir a proteção de Amidala, o Chanceler Palpatine chama Anakin Skywalker para vigiar Amidala em Naboo. Lá, eles se apaixonam - o que é ruim para ambos, por ela ser política e ele, Jedi, a quem não é permitido o amor.

Anakin tem um sonho com sua mãe, Shmi Skywalker, e resolve ir a Tatooine, onde ela morre. Mais tarde recebem uma mensagem de Obi-Wan Kenobi, em que ele informa-lhe que foi capturado em Geonosis. Mace Windu ordena a Anakin a ficar onde está, mas Padmé quer salvar Obi-Wan, e os dois partem junto com os robôs C-3PO e R2-D2. Lá, eles entram numa fábrica de dróides e são capturados pela segurança.

São mandados, juntos com Obi-Wan, para uma arena, onde monstros terríveis os matariam. Eles conseguem sobreviver e antes que a segurança seja mandada, os Jedi invadem a arena. Quando todos parecem que vão morrer, Yoda resgata-os com um exército de soldados clones. Ao final de Episódio II, Anakin e Amidala casam-se secretamente em Naboo, com C-3PO e R2-D2 como testemunhas.

A Vingança dos Sith[editar | editar código-fonte]

Padmé Amidala descobre que está grávida e o conta a Anakin. Anakin passa a ter visões em que ela morre no parto e se dispõe a fazer qualquer coisa para salvá-la. Ele pede ajuda ao Chanceler Palpatine, que diz que somente passando para o Lado Sombrio da Força ele teria poder para salvá-la. Anakin acaba fazendo-o e ajudando Palpatine a matar o mestre Jedi, Mace Windu.

Palpatine revela ser o lorde sith Darth Sidious e cria o Império Galáctico. Anakin, agora nomeado Darth Vader, ataca o templo jedi e mata todos que estão lá, incluindo as crianças. Obi-Wan Kenobi descobre-o e o conta à Padmé, que não o crê. Ele pergunta-lhe sobre o paradeiro de Anakin, mas e Padmé mente evasivamente.

Padmé vai a Mustafar, preocupada com Anakin; Obi-Wan escondido em sua nave. Chegando lá, ela descobre a verdade e atordoa-se, Anakin tenta convencê-la de que ele está fazendo o bem, então Obi-Wan sai da nave de Padmé e Anakin conclui que estava sendo traído e a enforca com toda sua fúria.Obi-Wan ordena a Anakin que a largue, ele lhe obedece e Padmé desmaia.

Ela é levada para Polis Massa - nome em homenagem ao filme: 2001 - Uma Odisséia no Espaço, onde os médicos-dróides fazem o parto e descobrem que ela estava grávida de gêmeos. Ela os chama de Luke e Leia. Padmé, mesmo não tendo nenhuma complicação pós-parto, morre (um dos médicos-dróides diz que ela simplesmente não quer mais viver). Antes de morrer ela diz à Obi-Wan que acreditava que ainda havia bondade em Anakin. Foi enterrada em Naboo, seu planeta natal, e em suas mãos levava o colar que Anakin havia feito para ela quando era criança e em sua barriga, um acolchoado simbolizando a morte dos bebês, para que o pai biológico acreditasse que também haviam morrido.

Retorno de Jedi[editar | editar código-fonte]

O último filme da trilogia original faz alusão à personagem. Enquanto estão na aldeia Ewok na lua florestal de Endor, Luke Skywalker pergunta a Leia Organa se ela lembra de sua "mãe real". Leia responde "Quando ela morreu, eu era muito jovem" e também diz que "ela foi muito gentil ... linda ... mas triste", enquanto Luke confessa não ter lembranças de sua mãe.

Universo Expandido[editar | editar código-fonte]

Padmé aparece em romances e quadrinhos, após os acontecimentos da trilogia original como hologramas e flashbacks. Em The Joiner King (2005), o primeiro livro da Trilogia Dark Nest, que se passa após os eventos da trilogia original, Luke Skywalker descobre um holograma gravado por R2-D2 em que vê Anakin Skywalker, ainda jovem e antes de se tornar o Lord Sith Darth Vader, informando a uma mulher (Padmé) sobre as visões que estava tendo em que via a sua morte no parto. Esta é a primeira vez que Luke vê sua mãe. Outro holograma de R2-D2 descoberto em seus arquivos mostrava uma conversa entre Padmé e Obi-Wan. Neste holograma, Luke e Leia ouvem o nome de sua mãe pela primeira vez. No último romance da trilogia, The Swarm War, Luke e Leia assistem em holograma a morte de sua mãe e o próprio nascimento.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.