Pak Doo-ik

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pak Doo-ik
박두익
Informações pessoais
Nome completo Pak Doo-ik
Data de nasc. 17 de março de 1942 (76 anos)
Local de nasc. Pyongyang, Coreia Japonesa
Informações profissionais
Posição Meia
Seleção nacional
1966 Coreia do Norte 5 (2)

Pak Doo-Ik (Pyongyang, 17 de março de 1942) é um ex-jogador de futebol da Coreia do Norte célebre como autor do gol da vitória de seu país sobre a Itália na Copa do Mundo FIFA de 1966.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Na partida contra a Itália, Pak terminou decisivo antes mesmo de marcar seu famoso gol. Aos 35 minutos do primeiro tempo, uma entrada dura sua lesionou o adversário Giacomo Bulgarelli, um dos principais jogadores italianos. Como a FIFA ainda não permitia substituições, a Azzurra passou a jogar com um a menos. Oito minutos depois, veio o gol.[2] No lance, a defesa oponente buscou afastar uma bola e Pak Seung-zin a devolveu ao ataque, em cabeceio. A bola sobrou a Pak Doo-ik, que dominou e, na corrida, acertou um chute cruzado no canto de Enrico Albertosi. A Itália não chegou a demonstrar desespero inicialmente, confiante de que os asiáticos perderiam o fôlego no segundo tempo, mas os Chollima conseguiram segurar a vitória, a despeito do favoritismo italiano ser tal que a vitória europeia estava cotada a mil libras por uma nas casas de apostas britânicas.[3]

Os coreanos passaram às quartas-de-final (não existiam oitavas), onde foram eliminados por Portugal de Eusébio; poderiam ter ido ainda mais longe, pois chegaram a estar vencendo o jogo por 3-0 após apenas 25 minutos de partida, mas o "Pantera" iniciou uma das maiores recuperações em uma Copa do Mundo FIFA, fazendo quatro dos cinco gols da virada lusitana (dois, ainda no primeiro tempo).[4] Apesar disso, os aplausos em Middlesbrough foram dados de pé aos norte-coreanos,[1] que ficaram até 2002 como a seleção asiática a ter ido mais longe em um mundial - quando foram superados pelos vizinhos da Coreia do Sul, quando estes foram às semifinais após jogos de arbitragem contestada. Os próprios torcedores sul-coreanos relembraram o feito do Norte quando, naquela edição, enfrentaram a Itália, nas oitavas.

Fora do futebol[editar | editar código-fonte]

Pak Doo-Ik integrava o exército norte-coreano antes da Copa de 1966, tendo sido promovido a sargento após o mundial, mas largou a vida militar e o futebol logo depois para virar instrutor de ginástica. Entretanto, por muito tempo vigorou na imprensa italiana de que ele seria dentista. Na realidade, sua profissão seria a de tipógrafo.<ref name = "zebra">

Em 2002, documentaristas britânicos foram autorizados a visitar a Coreia do Norte, interessados em entrevistar os jogadores da seleção de 1966 ainda vivos. Pak foi encontrado como técnico juvenil de futebol em Pyongyang. As gravações renderam o documentário The Game of Their Lives ("O jogo das vidas deles").[1]

Referências

  1. a b c GEHRINGER, Max (abril de 2006). Isolamento. Placar - A Saga da Jules Rimet, fascículo 8 - 1966 Inglaterra. São Paulo: Editora Abril, p. 38
  2. CASTRO, Robert (2014). Capítulo IX - Inglaterra 1966. Historia de los Mundiales. Montevidéu: Editorial Fín de Siglo, pp. 205-237
  3. GEHRINGER, Max (abril de 2006). Ih, deu zebra. Placar - A Saga da Jules Rimet, fascículo 8 - 1966 Inglaterra. São Paulo: Editora Abril, p.36
  4. GEHRINGER, Max (abril de 2006). Virada espetacular. Placar - A Saga da Jules Rimet, fascículo 8 - 1966 Inglaterra. São Paulo: Editora Abril, p.36