Pak Hon-Yeong

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pak Hon-Yeong
Nascimento 28 de maio de 1900
Yesan
Morte 18 de dezembro de 1955
Pyongyang
Cidadania Coreia do Norte, Império Coreano, Império do Japão
Alma mater
Ocupação político, jornalista, escritor, espião
Religião ateísmo
Causa da morte Perfuração por arma de fogo
Pak Hon-Yeong (1948)

Pak Hon-Yeong(coreano:박헌영, hanja:朴憲永) (28 de maio de 1900 - 5 de dezembro de 1955) foi um escritor, jornalista, líder do Partido Comunista da Coreia (1927-1947) e ativista socialista pela independência da Coreia.

Durante a ocupação japonesa da Coreia, ele tentou organizar o Partido Comunista da Coreia. Quando as autoridades japonesas reprimiram o partido, ele passou a clandestinidade. Após a libertação da Coreia, em agosto de 1945, ele criou o Partido Comunista da Coreia no sul do país, mas sob a pressão das autoridades americanas, em abril de 1948 ele se mudou para a Coreia do Norte, e participou de uma reunião com Kim Gu e Kim Kyu-sik sobre o tema da reunificação da Coreia. Depois de 1955, ele foi executado pelas forças de segurança de Kim Il-Sung, acusado de ser um espião americano.[1]

Referências

  1. Lankov, Andrei (2013). The Real North Korea. [S.l.]: Oxford University Press. p. 13 e 14. ISBN 978-0-19-996429-1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) político(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre um poeta ou uma poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.