Palácio de Domiciano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Palácio de Domiciano
Mapa do Palácio de Domiciano
E : Entrada principal. L : Larário. A : Aula Régia. B : Basílica. Po : Pórtico. P1 : Peristilo. C : Cenatio. P2 : Segundo peristilo. P3 : Terceiro peristilo. Co : Pátio. Ex : Grande êxedra. S : Estádio. Tr : Tribuna do Estádio
Palatin-legende.jpg
Vista dos Palácios imperiais do Palatino
Localização atual
Palácio de Domiciano está localizado em: Roma
Palácio de Domiciano
Palácio Augustano
Coordenadas 41° 53' 18.75" N 12° 29' 12.95" E
País  Itália
Região Lácio
Cidade Roma
Rione Campitelli
Dados históricos
Fundação século I
Abandono século V
Império Romano
Roma
Notas
Comuna de Roma
Acesso público Sim
Site Site oficial

Palácio de Domiciano era o principal complexo imperial no monte Palatino, construído num local onde ficavam uma série de construções antigas, da época republicana até o governo de Nero. É composto por três subdivisões principais e várias outras acessórias: o Palácio Flávio (em latim: Domus Flavia), o Palácio Augustano (Domus Augustana) e o Estádio Palatino[1].

História[editar | editar código-fonte]

O enorme complexo ocupou toda a parte central do Palatino a partir do século I. Sua construção teve um tremendo impacto sobre seus conterrâneos, como atestam os fragmentos de Marcial e Estácio. A importância dos arquitetos empregados em sua construção é testemunhada também pelo fato de que, nos séculos seguintes, ele não foi substituído, permanecendo como a residência do "augusto" por excelência, que limitavam-se a restaurá-lo ou ampliá-lo. Por isto, serviu de modelo para todos os palácios imperiais subsequentes.

As obras foram dirigidas pelo arquiteto Rábiro, iniciando-se pouco depois de 81 (ano da ascensão de Domiciano) e terminaram em 92. O complexo foi descoberto e escavado no século XVIII, o que resultou em numerosos saques e roubos que danificaram irremediavelmente o estado do edifício.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

O complexo era articulado à volta de diversos núcleos. O primeiros deles, é o do "Palácio Flávio", onde fica a famosa "Aula Régia", o palácio que exercia as funções oficiais do imperador, seguido pelo do "Palácio Augustano", a residência privada do imperador, e, finalmente, pelo "Estádio Palatino". Os ambientes são geralmente organizados em torno de um pátio central, decorado com magníficas fontes, de forma muito articulada.

Entre os edifícios acessórios, estavam o Pedagógio, que servia para cuidar dos filhos dos escravos, e a Casa dos Arautos, onde viviam os arautos.

Importância[editar | editar código-fonte]

O Palácio de Domiciano é um marco na história da arquitetura. Pela primeira vez, um único complexo reunia todas as funções e necessidades da vida política do Estado, organizadas de maneira orgânica e funcional. O palácio foi a resposta à "monarquização" do poder realizada pelo próprio Domiciano, que se manifestou também na arquitetura. A separação entre os ambientes público e privado respondia à exigência de isolar e sublimar a figura do soberano, presença imperturbável e semi-divina do imperador, que se mostrava somente em condições especiais e somente em meio à magnificência de seus próprios salões. É principalmente importante o uso feito das absides nos locais de recepção para centralizar a atenção no soberano, isolando-o como uma divindade manifesta em meio aos mortais comuns.

Referências

  1. Coarelli 2012, p. 177.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Filippo Coarelli (1984). Guida archeologica di Roma. Verona: Arnoldo Mondadori Editore  Parâmetro desconhecido |cid= ignorado (ajuda)
  • Filippo Coarelli (2012). Roma. Bari & Roma: Laterza  Parâmetro desconhecido |cid= ignorado (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Palácio de Domiciano