Palacete dos Viscondes de Balsemão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Palacete dos Viscondes de Balsemão
Palácio do Conde da Trindade.jpg
Apresentação
Tipo
Solar, edifício do governo (d), palácioVisualizar e editar dados no Wikidata
Ocupante
Estatuto patrimonial
Incluído em sítio classificado (d)Visualizar e editar dados no Wikidata
Localização
Endereço
Coordenadas

O Palacete dos Viscondes de Balsemão é um edifício histórico localizado na Praça de Carlos Alberto, na freguesia da Vitória, na cidade do Porto, em Portugal.

Mandada construir, em meados do século XVIII, pelo fidalgo José Alvo Brandão, esta casa entra no património da família Balsemão por casamento de D. Maria Rosa Alvo com seu primo Luís Máximo Alfredo Pinto de Sousa Coutinho, 2.º Visconde de Balsemão.[1]

Na década de 1840, António Bernardino Peixe alugou o palacete, transferindo a hospedaria que tinha na Rua do Bonjardim para este local. O que celebrizou esta hospedaria foi a estadia, entre 19 e 27 de Abril de 1849, do exilado rei Carlos Alberto da Sardenha,[1] enquanto esperava pela preparação da casa da Quinta da Macieirinha, onde viria a falecer em 28 de Julho do mesmo ano.

Em 1854, o palacete foi adquirido pelo 1.º Visconde da Trindade, José António de Sousa Basto, grande proprietário e capitalista, que introduziu profundas alterações no edifício,[1] vindo a casa a atingir o maior esplendor que se lhe conhece.

Desde 1996, aqui funcionam alguns serviços da Câmara Municipal do Porto, nomeadamente a Direcção Municipal de Cultura,[1] o Gabinete de Arqueologia Urbana, bem como o Gabinete de Numismática,[2] recentemente transferido da Casa Tait.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Gabinete de Numismática

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Palacete dos Viscondes de Balsemão

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Património, integrado no Projecto Grande Porto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.