Palantir Technologies

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Palantir Technologies
Privada
Indústria Software e serviços de informática
Fundação 2004
Fundador(es) Peter Thiel, Joe Lonsdale, Alex Karp, Stephen Cohen, Nathan Gettings
Sede Palo Alto Califórnia
Empregados 1,200
Valor de mercado $ 9000 milhões (dólar americano)[1]
Website oficial www.palantir.com

Palantir Technologies Inc é uma empresa de software e serviços de informática americana, especializada em serviços para o governo dos Estados Unidos e, desde 2010, para clientes da área financeira. Foi criada em 2004 com investimento inicial de 2 milhões de dólares americanos feito pela CIA através da companhia In-Q-Tel.[2] e U$ 30 milhões de Peter Thiel e sua firma. De acordo com o The Washington Post, "virtualmente qualquer americano empresário, inventor ou cientista trabalhando na área de análise de dados, provavelmente, recebeu um telefonema de In-Q-Tel, ou no mínimo foi pesquisado no Google pelos seus observadores". Em dezembro de 2013, a Palantir foi avaliada em 9000 milhões de dólares americanos.[3][4]

História[editar | editar código-fonte]

A Palantir foi fundada em 2004 por Peter Thiel , Alex Karp ,[5] Joe Lonsdale,[6] Stephen Cohen, e Nathan Gettings com investimento inicial feito pela CIA[7] através da companhia In-Q-Tel,[2][8] empresa de Capital de risco atraves da qual a Agência Central de Inteligência investe em empresas de tecnologia com o único propósito de manter a CIA e outras agências de inteligência americana, equipadas com a mais recente tecnologia da informação.[9]


A tecnologia da Palantir foi desenvolvida por cientistas da computação e analistas de agências de inteligência ao longo de três anos, através de experiências-piloto desenvolvidas pela In-Q-Tel.[10]

O conceito de software cresceu a partir da tecnologia desenvolvida no PayPal para detectar atividades fraudulentas, em grande parte conduzidas por grupos de crime organizado de origem russa.[11]

Em 2013 foi avaliada em 9000 milhões de dólares americanos.[3]

Em junho de 2013, após a revelação da existência do programa PRISM, a Palantir negou qualquer ligação do seu programa Prism com o da NSA.[12][13]

Caso Wikileaks[editar | editar código-fonte]

Em 2010 Hunton & Williams LLP teria pedido à Berico Technologies, Palantir e HBGary[14] Federal para elaborar um plano de resposta à "ameaça WikiLeaks." No início de 2011 Anonymous publicou documentos internos da HBGary, incluindo o plano para sabotar Wikileaks e criar uma campanha de desinformação. O plano propunha que a Palantir: "servisse de base para todos os esforços de coleta de dados, integração, análise e produção".[15] O plano incluiu também slides, supostamente de autoria do Diretor executivo da HBGary Aaron Barr, que sugeriu "[espalhar] desinformação "e" perturbar "o apoio de Glenn Greenwald à WikiLeaks. [16]

Após as revelações, Karp, o diretor executivo da Palantir, terminou todos os laços com a HBGary e emitiu um comunicado pedindo desculpas a "organizações progressistas ... e Glenn Greenwald ... por qualquer envolvimento que possa ter tido nesses assuntos."

Investimento da In-Q-Tel[editar | editar código-fonte]

A In-Q-Tel,[2][8] e a empresa de Capital de risco atraves da qual a Agência Central de Inteligência investe em empresas de tecnologia com o único propósito de manter a CIA e outras agências de inteligência americana, equipadas com a mais recente tecnologia da informação.[9] A empresa atua em publico mas mantem a lista de companhia em que investe em segredo.

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Big Data, Big Bucks: Palantir Valued at $9 Billion». Wall Street Journal. Consultado em 26 de março de 2014 
  2. a b c Businessweek: Meet The CIA's Venture Capitalist - Businessweek
  3. a b WSJ: Big Data, Big Bucks: Palantir avaliada em $9 Bilhoes - Digits - WSJ
  4. npr.org: A Tech Fix For Illegal Government Snooping? : NPR
  5. «charlierose». Media.palantirtech.com. Consultado em 30 de janeiro de 2012 
  6. «Palantir Technologies | CrunchBase Profile». Crunchbase.com. Consultado em 30 de janeiro de 2012 
  7. forbes.com: CIA-backed Data-Miner Palantir Raises Nearly $200 Million In Latest Round At Estimated $6 Billion Valuation
  8. a b In-Q-Tel, CIA's Venture Arm, Invests in Secrets: Terence O'Hara - In-Q-Tel, CIA's Venture Arm, Invests in Secrets
  9. a b Company Profile from Hoover’s: In-Q-Tel, Inc. | In-Q-Tell a empresa de Capital de risco da CIA - Perfil da Companhia - Hoover
  10. Jeff Widman (5 de junho de 2009). «Palantir keeps it lean and mean on five-year journey from zero to 150 employees». VentureBeat. Consultado em 26 de março de 2014 
  11. WSJ.com: How Team of Geeks Cracked Spy Trade - WSJ.com
  12. Business Insider: PRISM Is Also Product From Palantir - Business Insider
  13. forbes.com: Startup Palantir Denies Its 'Prism' Software Is The NSA's 'PRISM' Surveillance System
  14. Ars Technica: Black ops: how HBGary wrote backdoors for the government | Ars Technica
  15. Harris, Shane (31 de janeiro de 2012). «Killer App». Washingtonian. Consultado em 26 de março de 2014 
  16. James Wray and Ulf Stabe. «Empresa de dados propoem ataque sistematico a WikiLeaks». Thetechherald.com. Consultado em 30 de janeiro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]