Pan-americanismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O pan-americanismo [1] [2] [3] hispano-americano foi um movimento que visava unificar todos os territórios da América espanhola, formando um só Estado.

Seu principal ideólogo foi Simón Bolívar, depois de ter lutado juntamente com o governador da Intendência de Cuyo, José de San Martín, contra o domínio e a exploração espanhola, e de ter feito a independência de vários territórios da América espanhola.

O Congresso do Panamá, convocado por Simón Bolívar, ocorreu entre 22 de junho e 5 de julho de 1826 com o própósito de articular a criação de uma confederação de países hispano-americanos independentes. Participaram do encontro a Grande Colômbia, o México, o Peru, a Bolívia e a Guatemala.

Porém, a tentativa de unificação fracassou em razão da rivalidade entre os países e da oposição Estados Unidos à formação de uma confederação de estados na América do Sul.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. Aquino Jesus e Oscar. «O Pan-Americanismo». HistoriaNet. Consultado em 28 de junho de 2016. Cópia arquivada em 14 de novembro de 2004 
  2. Fernando Vale Castro (9 de setembro de 2007). «O pan-americanismo em jogo». Revista de História. Consultado em 28 de junho de 2016. Cópia arquivada em 14 de março de 2012 
  3. Cléryston Medeiros. «O que é Pan-americanismo?». Gosto de Ler. Consultado em 28 de junho de 2016. Cópia arquivada em 12 de março de 2008 


Ícone de esboço Este artigo sobre relações internacionais, diplomacia ou sobre um diplomata é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.