Panarquismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Panarquismo é um termo elaborado pelo economista e botânico Paul Emile de Puydt em 1860 e refere-se à panarquia, um sistema político em que todos teriam o direito de escolher sob qual forma de governo desejam viver.[1]

Escolha livre de governo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Panarquia

No artigo "Panarquia", de 1860, Puydt aplica o conceito do direito individual à escolha do sistema de governo sem limitar tal escolha a fronteiras geográficas ou outros aspectos culturais. É um conceito 'extraterritorial':

A verdade é que não há o suficiente do tipo certo de liberdade, a liberdade fundamental de escolher ser livre ou não de acordo com suas preferências... Assim, eu exijo, a cada membro da sociedade humana, a liberdade de associação de acordo com ideologia e inclinação e de atividade de acordo com atitude. Em outras palavras, o direito absoluto de escolher o ambiente político para viver e nada mais.
[1]

De Puydt explicou como tal sistema seria administrado:

Em cada comunidade, um novo escritório é aberto, o "Escritório da Associação Política". Esse escritório enviaria a cada cidadão responsável um formulário para preencher, assim como se faz com o imposto de renda e o registro de cães. Questão: Qual forma de governo você deseja? Com bastante liberdade, você responderia "monarquia", "democracia", ou qualquer outro... e uma vez registrado, a menos que você retire sua declaração respeitando o procedimento e demoras legais, você se tornaria então um súdito real ou um cidadão da república. A partir de então, você não terá envolvimento algum com o governo de ninguém mais—não mais do que um súdito prussiano tem com autoridades belgas.
[1]

Referências

  1. a b c P. E. de Puydt, "Panarquía", publicado originalmente en francés en Revue Trimestrielle, Bruxelles, July 1860.