Pandemia de COVID-19 na Antártida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pandemia de COVID-19 na Antártida
O Território Antártico Chileno, onde os primeiros casos de COVID-19 foram confirmados
Doença COVID-19
Vírus SARS-CoV-2
Origem Wuhan, Hubei, China[1]
Local Antártida
Primeiro caso Base General Bernardo O'Higgins, Território Antártico Chileno
Início 21 de dezembro de 2020
(2 anos, 1 mês e 1 dia atrás)
Estatísticas globais
Casos confirmados 226
Mortes 0
Casos que recuperaram +150
Territórios afetados Região de Magalhães e Antártica Chilena Território Antártico Chileno

A pandemia de COVID-19 na Antártica é parte da pandemia de COVID-19 causada pelo vírus SARS-CoV-2. Por ser remoto, a Antártica foi o último continente a ter casos confirmados de COVID-19 e uma das últimas regiões do mundo afetadas diretamente pela pandemia.[2][3][4] Os primeiros casos foram notificados na Base General Bernardo O'Higgins do Exército do Chile, localizada no Território Antártico Chileno, em 21 de dezembro de 2020,[5] quase um ano após os primeiros casos da doença terem sido notificados no resto do mundo. A Antártida tem apenas um hospital para atender às necessidades básicas. Portanto, um surto de COVID-19 poderia ser fatal para a pequena população.[6]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2020, um navio de cruzeiro com destino à Antártica teve quase sessenta por cento de seus passageiros com teste positivo para COVID-19. O cruzeiro parou no Uruguai, onde os passageiros foram autorizados a desembarcar.[7][8][9]

Vista da Base General Bernardo O'Higgins, onde foram registrados os primeiros casos de COVID-19 na Antártica.

Os primeiros casos que são relatados oficialmente na Antártida que passa a ser o ultimo continente a confirmar casos de infecção pela Covid-19 em dezembro de 2020, foram confirmados oficialmente 36 casos de acordo com as autoridades chilenas, o surto afetou a equipe da estação de pesquisa remota da base Bernardo O'Higgins, coordenada pelo Chile, todo o local foi colocado em quarentena depois que os casos foram confirmados.[10][11][12]

No dia 14 de dezembro de 2021, o primeiro teste positivo foi registrado em uma equipe que havia chegado sete dias antes na estação de pesquisa belga Princesse Elisabeth. Outros testes revelaram mais dois casos que foram posteriormente evacuados em 23 de dezembro. No entanto, pelo menos 16 dos 25 trabalhadores da Estação Polar Princesa Elisabeth contraíram o vírus.[13][14] Disse Joseph Cheek, gerente de projeto da International Polar Foundation, à BBC:

"A situação não é dramática. Embora tenha sido um inconveniente colocar em quarentena os membros da equipe que pegaram o vírus, isso não afetou significativamente nosso trabalho na estação em geral. A todos os residentes da estação foi oferecida a opção de partir em voo programado para 12 de janeiro. No entanto, todos manifestaram o desejo de ficar e continuar o seu trabalho"[14]

Prevenção[editar | editar código-fonte]

Os poucos habitantes do continente estão tomando todas as medidas necessárias para escaparem da pandemia. Disse Alejandro Valenzuela Peña

"Estamos vivendo em isolamento total. Um isolamento dentro de um isolamento. Aqui, as bases estão adotando as mesmas medidas que cada país determina"[6]

Vacinação[editar | editar código-fonte]

Em 18 de março de 2021, a Força Aérea Chilena anunciou que vacinou 49 membros de seu estado-maior na Antártica, sendo o primeiro país a iniciar a vacinação contra COVID-19 no continente.[15]

Em 7 de outubro de 2021, as vacinas da Astra-Zeneca chegaram à Antártica para vacinar 23 membros da equipe que trabalham para o British Antarctic Survey na base de Rothera.[16][17]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «2019 Novel Coronavirus (2019-nCoV) Situation Summary». Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). 30 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 26 de janeiro de 2020 
  2. Taylor, Adam (24 de março de 2020). «One continent remains untouched by the coronavirus: Antarctica». The Washington Post (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 1 de abril de 2020 
  3. Torres, Ella (20 de março de 2020). «What life is like on Antarctica, the only continent without a case of coronavirus». ABC News (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 1 de abril de 2020 
  4. «Pacific islands, Antarctic bases: coronavirus-free living in some of Earth's most isolated places». South China Morning Post (em inglês). Agence France-Presse. 31 de março de 2020. Consultado em 4 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 3 de abril de 2020 
  5. «Reportan brote de coronavirus en base chilena en la Antártida». infobae (em espanhol). 21 de dezembro de 2020. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  6. a b Fernanda Paúl. «'Vivemos isolamento dentro do isolamento': como pandemia é enfrentada na Antártida, único continente sem casos». BBC. Consultado em 9 de maio de 2020 
  7. «Greg Mortimer: Uruguay evacuates Australians and New Zealanders on coronavirus-infected ship». sbs (em inglês). 11 de abril de 2020. Consultado em 4 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 23 de janeiro de 2021 
  8. Griffiths, James; Castillo, Jackie (8 de abril de 2020). «Passengers to be evacuated from Antarctic cruise ship after almost 60% test positive for coronavirus». CNN (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 17 de abril de 2020 
  9. Al-Arshani, Sarah (8 de abril de 2020). «Nearly 60% of the passengers on an Antarctic cruise ship have tested positive for the coronavirus». Business Insider (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 18 de abril de 2020 
  10. «Surto de Covid-19 é registrado em base chilena na Antártica». G1. Consultado em 23 de dezembro de 2020 
  11. «Coronavírus se espalha para a estação de pesquisa da Antártica». G1. Consultado em 23 de dezembro de 2020 
  12. «Coronavírus se espalha para a estação de pesquisa da Antártida». BBC News Brasil. Consultado em 23 de dezembro de 2020 
  13. «Le Covid s'invite à la station polaire Princesse Elisabeth». RTBF Info (em francês). 28 de dezembro de 2021. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  14. a b «Coronavírus: apesar de vacinas e controles, estação na remota Antártida enfrenta surto de covid». BBC News. 3 de janeiro de 2021. Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  15. «COVID-19 Vaccines Reach Antarctica, Chile Immunizes 49 People On Continent». ndtv (em inglês). Agence France-Presse. 18 de março de 2021. Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  16. Amos, Jonathan (7 de outubro de 2021). «AstraZeneca Covid vaccine arrives in Antarctica». BBC (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  17. «The UK has supplied researchers at the British Antarctic Survey with COVID-19 vaccinations.» [O Reino Unido forneceu aos pesquisadores do British Antarctic Survey vacinas de COVID-19.] (em inglês). Foreign, Commonwealth & Development Office UK. 7 de outubro de 2021. Consultado em 4 de janeiro de 2022 – via Twitter