Pandemia de COVID-19 na Armênia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na Europa
Pandemia de COVID-19 em 2020 na Armênia
Doença COVID-19
Vírus SARS-CoV-2
Origem Teerão, Itália
Local Armênia
Período 1 de março de 2020
(5 meses e 12 dias)
Início Erevan
Estatísticas globais
Casos confirmados 52
Mortes 0
Casos que recuperaram 1

Este artigo documenta os impactos da pandemia de coronavírus de 2020 na Armênia e pode não incluir todas as principais respostas e medidas contemporâneas.

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Em 1º de março, o primeiro caso de infecção pelo coronavírus foi confirmado na Armênia. Nikol Pashinyan, primeiro-ministro do país, confirmou a informação em seu perfil do Facebook.[1][2]

Em 16 de março, o governo declarou estado de emergência até 14 de abril a fim de prevenir a transmissão do vírus. As medidas de emergência incluem o fechamento de instituições educacionais, bloqueio de fronteiras com a Geórgia e Irã, bloqueio de encontros com mais de 20 pessoas e o adiamento do referendo constitucional de 2020.[3]

Em 18 de março, além de 799 pessoas em isolamento, havia 444 pessoas em quarentena, reunidas no Golden Palace Hotel de Tsaghkadzor e no Colégio Militar Monte Melkonian de Dilijan.[4]

Em 21 de março, o ministro da Saúde da Armênia, Arsen Torosyan, disse que tem mais de 600 pessoas em quarentena em diferentes regiões da Armênia. Ele acrescentou que a capacidade da Armênia de colocar pessoas em quarentena está chegando ao limite e que as pessoas já devem recorrer ao auto-isolamento como medida preventiva. Dos casos confirmados, 133 foram relacionados aos grupos de casos de Ejmiatsin e uma fábrica de costura em Yerevan.[4]

Em 24 de março, existem 235 casos confirmados. 26 pacientes têm pneumonia , 6 dos quais estão em terapia intensiva , embora não sejam intubados (não com respiradores artificiais ) e estejam sob supervisão constante.[4]

Na quinta-feira, 26 de março, o Ministério da Saúde da Armênia anunciou a primeira morte do país por COVID-19. O paciente era um cidadão armênio de 72 anos de idade, com várias condições pré-existentes.[5]

Abril 2020[editar | editar código-fonte]

Em 1 de abril de 2020, a Armênia registrou sua quarta morte.[6]

Em 6 de abril de 2020, o primeiro-ministro armênio Nikol Pashinyan anunciou que a Armênia começaria a produzir testes COVID-19 no Instituto de Biologia Molecular.[7]

Em 7 de abril de 2020, o primeiro caso de COVID-19 foi relatado na República de Artsakh não reconhecida. A pessoa retornou da Armênia à vila de Mirik, na província de Kashatagh, a 39 km de Berdzor e a 89 km de Stepanakert e foi levada de ambulância ao centro médico de Kashatagh na manhã de 2 de abril. Todas as 17 pessoas que entraram em contato com essa pessoa, nenhuma delas com sintomas, se auto-isolaram antecipadamente por motivos de segurança.[8]

Referências

  1. «First Case of Coronavirus Confirmed in Armenia». Asbarez.com (em inglês). 2 de março de 2020. Consultado em 9 de março de 2020. Cópia arquivada em 6 de março de 2020 
  2. «Armenia reports first coronavirus infection». Reuters (em inglês). 1 de março de 2020. Consultado em 9 de março de 2020. Cópia arquivada em 1 de março de 2020 
  3. «Armenia declares one-month state of emergency for coronavirus». Reuters (em inglês). 1 de março de 2020. Consultado em 16 de março de 2020 
  4. a b c «COVID-19: Updates From Armenia» (em inglês) 
  5. «Armenia Reports First Coronavirus Death» (em inglês). 26 de março de 2020 
  6. «Armenia Reports First Death Related to Coronavirus | Voice of America - English» (em inglês) 
  7. «PM: Armenia to start production of COVID-19 tests» (em inglês) 
  8. «First coronavirus case reported in Karabakh» (em inglês) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre epidemias é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.