Papa Eugênio III

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eugênio III
O.Cist.
Papa da Igreja Católica
167° Papa da Igreja Católica
Atividade Eclesiástica
Ordem Ordem de Cister
Diocese Diocese de Roma
Eleição 15 de fevereiro de 1145
Entronização 18 de fevereiro de 1145
Fim do pontificado 8 de julho de 1153 (8 anos)
Predecessor Lúcio II
Sucessor Anastácio IV
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 1135
por Papa Inocêncio II
Nomeação episcopal 15 de fevereiro de 1145
Ordenação episcopal 18 de dezembro de 1145
Nomeado arcebispo 15 de fevereiro de 1145
Santificação
Beatificação 28 de dezembro de 1872
por Papa Pio IX
Festa litúrgica 8 de julho
Dados pessoais
Nascimento 25 de novembro de 1085
Pisa, Itália
Morte 8 de julho de 1153 (67 anos)
Tivoli, Itália
Nacionalidade Italiano
Nome nascimento Píer Bernardo Paganelli
Títulos anteriores - Abade da Abadia das Três Fontes (1140–1145)
Sepultura Arquibasílica de São João de Latrão
dados em catholic-hierarchy.org
Categoria:Igreja Católica
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo
Listas de papas: cronológica · alfabética

Beato Eugénio III OCist, Papa de 15 de Fevereiro de 1145 até 8 de Julho de 1153. Nascido em Montemagno, próximo de Pisa, Itália, no seio de uma rica família cristã, pertencente à nobreza italiana, com o nome de Pier Bernardo Pignatelli, o futuro Papa Eugénio III foi ordenado sacerdote na cidade de Pisa. Segundo os registos da época, era inteligente, mas reservado e muito ponderado. Em 1135, ingressou na Ordem Cisterciense . Foi designado pelo seu superior para abrir outro mosteiro da Ordem na cidade de Farfa, diocese de Viterbo, onde foi nomeado abade pelo Papa Inocêncio II. Em 1145, Bernardo Pignatelli foi eleito Papa e adotou o nome de Eugénio III.

Eugénio III teve de enfrentar a difícil situação política em Itália, provocada por Arnaldo de Bréscia[1] – o grande opositor do poder temporal dos papas - que exigia a eleição de um papa que favorecesse as suas ambições políticas, fazendo pressão junto do Colégio Cardinalício. O abade Bernardo não era cardeal e foi eleito pelo Colégio Cardinalício, justamente para contrarrestar as exigências políticas de Arnaldo.

Contudo, horas após a sua eleição, partiu de Roma para ser coroado no seu mosteiro de Farfa, em Viterbo, onde os seus cardeais também foram residir. Mas a população romana desejava a volta do Pontífice, que pouco depois, retornou a Roma.

Em 1146, Arnaldo de Bréscia exigiu do Papa a entrega da cidade de Tívoli. Não concordando, Eugénio III mudou-se para Siena e, mais tarde, foi estabelecer-se, durante três anos, em França.

Tendo tomado conhecimento da queda da cidade de Edessa, a capital do Condado de Edessa, nas mãos dos turcos, em Dezembro de 1145, Eugénio III escreveu uma carta a Rei Luís VII de França, convidando-o a fazer parte de uma cruzada. Em uma grande dieta ocorrida na cidade de Espira, na Alemanha, em 1146, o Imperador Conrado III, e muitos dos seus nobres, foram convencidos pela eloquência do Papa Eugénio III a dedicar-se a uma cruzada.

Defendeu a Igreja contra os invasores turcos e iniciou a construção do Palácio Pontifício. Morreu no dia 8 de Julho de 1153, depois de governar a Igreja durante oito anos e cinco meses, num período histórico muito complicado e violento. O Papa Eugénio III foi beatificado em 1872.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Papa Eugênio III». Ufcq.edu.br 


Precedido por
Lúcio II
Emblem of the Papacy SE.svg
Papa

167.º
Sucedido por
Anastácio IV


Ícone de esboço Este artigo sobre um papa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.