Papado ostrogodo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Papa Símaco (498-514), o triunfo sobre o Antipapa Lourenço é o primeiro exemplo registrado de simonia na história papal.

O Papado Ostrogodo foi um período entre 493 a 537, onde o papado foi fortemente influenciado pelo Reino Ostrogodo, onde o papa não era totalmente nomeado pelo rei ostrogodo. A seleção e administração dos papas durante este período foi fortemente influenciado por Teodorico, o Grande e seus sucessores Atalarico e Teodato. Este período terminou com Justiniano I (re)conquistando Roma, durante a Guerra Gótica (535–554), inaugurando o Papado Bizantino (537-752).

De acordo com Howorth "enquanto não eram muito interferidos em seu trabalho administrativo, enquanto próprios não interferiam com a política, os reis godos interferiram consideravelmente na escolha dos novos papas e dominaram amplamente sua eleição. A simonia prevaleceu a uma medida escandalosa, assim como as intrigas de tipo vergonhosas, bem como a qualidade e as doações dos candidatos tornou-se de importância secundária em suas chances de serem eleitos, em comparação com a sua habilidade em corromper os funcionários dos reis estrangeiros e de seus poderes de tramoias". [1] Segundo a Enciclopédia Católica, "[Teodorico] era tolerante para com a Igreja Católica e não interferia em questões dogmáticas. Manteve-se o mais neutro possível para o papa, exercendo uma influência preponderante nos assuntos do papado."[2]

Visão geral[editar | editar código-fonte]

Dez papas reinaram entre 493 e 537:

Durante este período, houve quatro reis ostrogodos:

Durante este período houve três imperadores bizantinos:


Referências

  1. Howroth, 1913, p. 406.
  2. Wikisource-logo.svg "Ostrogoths" in the 1913 Catholic Encyclopedia.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Baumgartner, Frederic J. 2003. Behind Locked Doors: A History of the Papal Elections. Palgrave Macmillan. ISBN 0-312-29463-8.
  • Coulombe, Charles A. 2003. Vicars of Christ: A History of the Popes. Citadel Press. ISBN 0806523700.
  • DeCormenin, Louis Marie and Vicomte de Louis-Marie de Lahaye. 1857. A Complete History of the Popes of Rome. James L. Gihon. p. 78.
  • Henry Hoyle Howorth. 1913. Saint Augustine of Canterbury. Google Books.
  • Richards, Jeffrey. 1979. The popes and the papacy in the early Middle Ages, 476-752.