Carica papaya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Papaeira)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outras espécies de papaia ou mamão, veja Caricaceae.


Como ler uma caixa taxonómicaCarica papaya
papaia, mamão
Carica papaya (ilustração do Köhler's Medizinal-Planzen, 1887).

Carica papaya (ilustração do Köhler's Medizinal-Planzen, 1887).
Papaya cross section BNC.jpg
Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: Angiosperms
Clado: Eudicots
Clado: Rosids
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Brassicales
Família: Caricaceae
Género: Carica
Espécie: C. papaya
Nome binomial
Carica papaya
L.[1]
Produção mundial de papaia em 2005, mostrada como percentagem do maior produtor, Brasil (1,7 megatoneladas)

Carica papaya L. é uma espécie de fruteira tropical que produz os frutos conhecidos pelos nomes comerciais de papaia ou ababaia (de papaya, da língua caribe via espanhol),[2][2][3] ou mamão. Carica papaya é, na actual circunscrição taxonómica do género Carica, a única espécie deste género monotípico, embora a família Caricaceae inclua várias espécies similares,[4] algumas da quais produzindo frutos conhecidos pelos mesmos nomes comuns ou nomes similares. A espécie é nativa das regiões tropicais das Américas, provavelmente da região sul do México e regiões adjacentes da América Central.[5] Terá sido inicialmente cultivada no sul do México[carece de fontes?] vários séculos antes da emergência das civilizações clássicas mesoamericanas.

Descrição[editar | editar código-fonte]

C. papaya é uma grande planta arborescente, com um único caule central, frequentemente não ramificado ou apenas ramificado na região terminal, que cresce até aos 5 a 10 m de altura, com folhas arranjadas em espiral confinadas ao topo do tronco e região terminal dos eventuais ramos. A parte inferior do tronco apresenta cicatrizes foliares conspícuas marcando os pontos de inserção de folhas e frutos de anos anteriores. Em geral não ramifica, excepto se o caule principal tiver sido cortado.

A folhas são grandes, com 50 a 70 cm de diâmetro, profundamente palmatilobadas, com 7 lóbulos. De forma incomum para plantas daquela dimensão, os espécimes de C. papaya são dioicos.

As flores são similares em forma às flores de Plumeria, mas são menores e apresentam um aspecto ceroso e translúcido. As flores ocorrem nas axilas das folhas, maturando em frutos de grandes dimensões, com 15 a 45 cm de comprimento e 10 a 30 cm de diâmetro. O fruto é do tipo baga,[6] inicialmente verde e rijo, mas amadurecendo para um fruto amarelo de polpa macia e alaranjada, por vezes com laivos âmbar o alaranjados na casca.

Carica papaya foi a primeira fruteira transgénica a ter o seu genoma integralmente sequenciado.[7]

A espécie é nativa do sul do México, América Central e norte da América do Sul,[1][5] estando naturalizada nas Caraíbas, Flórida e diversas regiões de África. A espécie é cultivada como fruteira no Brasil, Índia, Austrália, Malásia, Indonésia, Filipinas, Angola, Hawaii[1] e muitas outras regiões dos trópicos e sub-trópicos.

Fruto[editar | editar código-fonte]

Mamão, papaia ou ababaia é o fruto do mamoeiro ou papaeira, árvores da espécie Carica papaya. Em Angola utilizam-se os termos mamão ou mamoeiro para identificar as variedades com fruto mais arredondado, designado-se por papaia ou papaeira aquelas que produzem o fruto mais alongado e mais adocicado. São bagas ovaladas, com casca macia e amarela ou esverdeada. A sua polpa é de uma cor laranja forte, doce e macia. Há uma cavidade central preenchida com sementes negras e rugosas, envolvidas por um arilo transparente.

Os mamões são consumidos in natura, em saladas e sucos. Antes da maturação, a sua casca apresenta um látex leitoso que deve ser retirado antes do consumo. Este látex contém substâncias nocivas às mucosas, sendo usado, inclusive, culinariamente, como amaciante de carnes. Tem um alto teor de papaína, uma enzima proteolítica, que é usada em medicamentos para tratamento de distúrbios gastrointestinais e para reabsorção de hematomas.

Cultivo[editar | editar código-fonte]

Originalmente do sul do México e países vizinhos, é atualmente cultivada na maioria dos países tropicais e nos Estados Unidos, onde foi introduzido primeiramente na Flórida, Havaí, Porto Rico, e nas Ilhas Virgens.

O mamoeiro produz fruto o ano todo, porém, no Brasil, a safra geralmente ocorre nos meses de maio, junho, agosto e outubro.

Existem diversas variedades de mamão e as mais conhecidas no Brasil são: mamão papaia, mamão formosa (um pouco maior e geralmente usado para fazer doces), mamão-da-baía, mamão-macho e mamão-da-índia.

Valor nutricional[editar | editar código-fonte]

Papaia, fruto cru
Valor nutricional por 100 g (3,53 oz)
Energia 179 kJ (40 kcal)
Carboidratos
Carboidratos totais 10.82 g
 • Açúcares 7.82 g
 • Fibra dietética 1.7 g
Gorduras
Gorduras totais 0.26 g
Proteínas
Proteínas totais 0.47 g
Vitaminas
Vitamina A equiv. 47 µg (6%)
- Betacaroteno 274 µg (3%)
- Luteína e Zeaxantina 89 µg
Tiamina (vit. B1) 0.023 mg (2%)
Riboflavina (vit. B2) 0.027 mg (2%)
Niacina (vit. B3) 0.357 mg (2%)
Ácido pantotênico (B5) 0.191 mg (4%)
Ácido fólico (vit. B9) 38 µg (10%)
Vitamina C 62 mg (75%)
Vitamina E 0.3 mg (2%)
Vitamina K 2.6 µg (2%)
Minerais
Cálcio 20 mg (2%)
Ferro 0.25 mg (2%)
Magnésio 21 mg (6%)
Manganês 0.04 mg (2%)
Fósforo 10 mg (1%)
Potássio 182 mg (4%)
Sódio 8 mg (1%)
Zinco 0.08 mg (1%)
Licopeno 1828 µg
Link to USDA Database entry
Percentuais são relativos ao nível de ingestão diária recomendada para adultos.
Fonte: USDA Nutrient Database

O consumo do mamão é recomendado pelos nutricionistas por se constituir em um alimento rico em licopeno (média de 3,39 mg em 100 g), vitamina C e minerais importantes para o organismo. Quanto mais maduro, maior a concentração desses nutrientes.

Numa porção de 100 gramas do fruto estão contidas 43 calorias e uma quantidade significativa de vitamina C (75% da Dose Diária Recomendada, DDR) e uma quantidade moderada de folato (10% da DDR), para além de uma variedade de nutrientes embora em quantidades negligíveis (ver tabela).

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c Carica papaya was originally described and published in Species Plantarum 2:1036. 1753. GRIN (9 May 2011). «Carica papaya information from NPGS/GRIN». Taxonomy for Plants. National Germplasm Resources Laboratory, Beltsville, Maryland: USDA, ARS, National Genetic Resources Program. Consultado em 10 December 2010  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  2. a b «Papaw». Collins Dictionary. n.d. Consultado em 2014-09-25 
  3. Na América do Norte, o termo papaw ou pawpaw em geral refere o fruto de Asimina triloba, uma espécie da família Annonaceae. Ref.: Merriam-Webster's Collegiate Dictionary (2009), published in United States.
  4. «Carica». 2013 
  5. a b Morton JF (1987). «Papaya». NewCROP, the New Crop Resource Online Program, Center for New Crops & Plant Products, Purdue University; from p. 336–346. In: Fruits of warm climates, JF Morton, Miami, FL. Consultado em 23 May 2015  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  6. Heywood, VH, RK Brummitt, A Culham, e O Seberg. Flowering plant families of the world Firefly Books [S.l.], 2007. p. 88. ISBN 9781554072064 
  7. «Scientists decipher fruit tree genome for the first time». ugr.es 

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikilivros
No Livro de receitas do Wikilivros você encontrará mais sobre
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Carica papaya
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Carica papaya