Paraíso do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Paraíso do Sul
Pórtico na Av. 1º de Janeiro

Pórtico na Av. 1º de Janeiro
Bandeira de Paraíso do Sul
Brasão de Paraíso do Sul
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 12 de maio de 1988 (30 anos)
Gentílico paraisense
CEP 96530-000
Prefeito(a) Artur Arnildo Ludwig (PDT)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Paraíso do Sul
Localização de Paraíso do Sul no Rio Grande do Sul
Paraíso do Sul está localizado em: Brasil
Paraíso do Sul
Localização de Paraíso do Sul no Brasil
29° 44' 00" S 53° 11' 00" O29° 44' 00" S 53° 11' 00" O
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Mesorregião Centro Oriental Rio-grandense IBGE/2008
Microrregião Cachoeira do Sul IBGE/2008
Municípios limítrofes Agudo, Cachoeira do Sul, Cerro Branco, Novo Cabrais e Restinga Seca
Distância até a capital 220 km
Características geográficas
Área 342,448 km² [1]
População 7 662 hab. est. IBGE/2016[2]
Densidade 22,37 hab./km²
Altitude 45 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,676 médio IBGE/2010[3]
PIB R$ 128,094,000 00 IBGE/2014[4]
PIB per capita R$ 16,783 78 IBGE/2014[4]
Página oficial
Prefeitura http://paraisodosul.rs.gov.br/
Câmara http://www.paraisodosul.rs.leg.br/
Hino do Município de Paraíso do Sul

Paraíso do Sul é um município brasileiro no centro do estado do Rio Grande do Sul. Possui uma área de 342,448km² e posição geográfica estabelecida entre os paralelos 29°33’31” e 29°51’05” de latitude sul e entre os meridianos 53°02’02” e 53°13’31” de longitude oeste, sendo que sua zona urbana se localiza na interseção do paralelo 29°44’00” de latitude sul e o meridiano 53°11’00” de longitude oeste e estando a uma altitude de 34 metros acima do nível do mar.

História[editar | editar código-fonte]

No que diz respeito à ocupação humana, segundo Wilian Werlang na obra "História da Colônia Santo Ângelo", na região onde hoje se localiza o município de Paraíso do Sul, foram encontrados sítios arqueológicos, com pelo menos 8 mil anos de existência, havendo vestígios da presença de indígenas das tradições: Humaitá, Vieira e Tupi Guarani, pois a extensa várzea do Rio Jacuí sempre atraiu populações, devido a riqueza de suas águas e matas que propiciavam a pesca e a caça. Outro motivo para a atração exercida por estas várzeas foi a fertilidade do solo, que possibilitou a prática da agricultura. Além disso, o rio também servia de estrada para pequenas embarcações. No período das cheias, os índios migravam para as áreas mais elevadas, retornando nos períodos de secas.

Ainda segundo este autor, os índios da tradição Humaitá viviam em grupos e alimentavam-se da caça, da pesca e da coleta. Confeccionavam utensílios de pedra, que serviam para cortar e retalhar animais ou ainda para escavar o solo com o objetivo de extrair raízes. O ambiente quente e úmido, não permitiu que fossem encontrados vestígios de habitações dessa tradição.

Já os indígenas da tradição Vieira, chegaram à região aproximadamente a 3 mil anos atrás e o artefato característico dessa tradição era a ponta-de-projétil, elemento típico de um grupo de caçadores especializados, sendo que este artefato era utilizado na caça, na guerra e na pesca.

Os índios da tradição Tupi-Guarani chegaram a região por volta do ano 1000 a.C. Nos sítios arqueológicos dessa tradição foram encontrados artefatos cerâmicos, o que indica serem um grupo especializado na agricultura. Eram bons navegadores e sabiam explorar com eficiência os recursos da floresta. Com suas armas, que eram constituídas por lanças, tacapes, arcos e flechas e também com a agressividade de suas incursões, foram expulsando as tribos rivais por onde passavam. Usavam a coivara (queimadas controladas) para abrir clareiras na mata, onde as mulheres faziam o plantio e a colheita. Ao longo do Rio Jacuí, existem vestígios de habitações que abrigariam até 300 índios. Estes índios já cultivavam o fumo, o milho, a mandioca, o amendoim e o feijão, além de outras culturas.

Segundo Fortes & Wagner na obra "História Administrativa, Judiciária e Eclesiástica do Rio Grande do Sul", no ano de 1809 foi criado o município de Rio Pardo e a região passa a integrar o território deste. A partir de 1819 a área em estudo passa a ser administrada pelo município de Vila Nova de São João da Cachoeira, hoje Cachoeira do Sul, devido a emancipação deste. Nesta época a região era habitada por grupos indígenas isolados e por estancieiros de origem portuguesa ou açoriana, que criavam gado e cultivavam suas terras utilizando mão-de-obra escrava, existindo também proprietários que criavam gado e cultivavam suas terras utilizando somente a ajuda da família.[5]

Por volta de 1857 teve o início de sua colonização, com a chegada dos primeiros imigrantes alemães. A partir de 1880 começaram a chegar os primeiros italianos. Em 1940, Paraíso recebia o nome de Marupiara, que voltou a ser Paraíso do Sul em 1959, quando foram criados os distritos de Rincão da Porta e Paraíso do Sul.

No dia 24 de abril de 1988, foi realizado um plebiscito e o resultado foi favorável a emancipação. No dia 12 de maio de 1988 foi criado o município de Paraíso do Sul, que uniu os dois distritos cachoeirenses de Rincão da Porta e Paraíso do Sul. Sendo a cidade a sede do distrito Rincão da Porta que passou a se chamar Paraíso do Sul e o distrito de Paraíso do Sul, passou a chamar-se Vila Paraíso.[6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Segundo a lei estadual 8.622 de 12 de maio de 1988, que criou o município, a cidade possui como limites os seguintes municípios: ao norte Agudo; a leste Cerro Branco, Novo Cabrais e Cachoeira do Sul; ao sul Restinga Seca e a oeste Agudo. A área urbana do município é constituída por 4 principais núcleos populacionais, a Cidade de Paraíso do Sul, a Boa Vista Sul, a Boa Vista Norte e a Vila Paraíso, além da Vila Nova e dos conjuntos habitacionais denominados de Ingazeiros 1 e 2.

Mapa do Município de Paraíso do Sul - RS

População[editar | editar código-fonte]

A população paraisense etnicamente é composta por descendentes de alemães, portugueses, italianos e negros, entre outros. Em 2010, os Brancos predominavam na cidade com 6.481 pessoas, seguido pelos Pardos com 544, os Negros com 299 e pelos Amarelos com 12 pessoas.

Segundo dados do Censo Demográfico 2.010 realizado pelo IBGE, a população total residente no município de Paraíso do Sul era de 7.336 habitantes, sendo que destes, 2.852 ou 38,9 % residiam na área urbana e 4.484 ou 61,1 % residiam na área rural e a densidade demográfica era de 21,42 hab./km². O município apresentava ainda, no ano de 2010 uma população jovem, entre 0 e 19 anos, de 1.901 habitantes, que correspondia a 25,9 % e a população adulta, entre 20 e 59 anos, era de 4.157 habitantes ou 56,7 %. Enquanto que a população idosa, com mais de 60 anos, era de 1.278 habitantes, o que representava 17,4 % da população total do município, mostrando a elevada expectativa de vida desta população. Em relação à distribuição da população por sexo, os homens correspondiam 3.694 habitantes ou 50,4 % e as mulheres correspondiam a 3.642 habitantes ou 49,6 %, com o predomínio do sexo feminino nas faixas etárias mais elevadas, devido a maior expectativa devida das mulheres.

Com relação ainda a população do município, o Censo do IBGE revelou a existência de 2.522 domicílios, com uma média de 2,9 pessoas por residência.

Ainda segundo o IBGE, naquele ano, no município, 3.808 pessoas que se declararam evangélicas (diversas denominações), 3.421 católicas, 86 sem religião e 21 pessoas eram espíritas.

Administração[editar | editar código-fonte]

Lista de Prefeitos de Paraíso do Sul.

Nome Partido início do mandato fim do mandato
Aldo Rohde PMDB 1989 1992
Arnildo Almirio Schutz PDS 1993 1996
Aldo Rohde PMDB 1997 2000
Elmo Ivo Schmengler PPB 2001 2004
Elmo Ivo Schmengler PP 2005 2008
Paulo Roberto Machado PMDB 2009 Set de 2012
Tércio Carlos Leal da Silva PT Set de 2012 Dez de 2012
Elmo Ivo Schmengler PP 2013 2016
Artur Arnildo Ludwig PDT 2017 2020

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia do município está baseada no setor de serviços, de onde provém 52,9% da renda total, sendo 26,8% oriundos de empresas (comércios, bancos, escritórios e fábricas terceirizadas) e 23,1% da administração pública (Administração, saúde, educação e seguridade social); seguido pela agropecuária com 41,9%; pela indústria com 4,5% e pela arrecadação de impostos 3,7%.

Na agricultura no ano de 2015 destacou-se o cultivo do fumo com um lucro de 47 milhões de Reais, seguido pelo arroz com lucro de 19,4 milhões, a soja 6,5 milhões, o milho 5,6 milhões e a mandioca com lucro 3,7 milhões de Reais. Na Silvicultura, o destaque é para a extração de lenha de eucalipto, que gerou uma renda de 1,4 milhão de Real. Na pecuária o lucro concentra-se basicamente na ordenha, que ofereceu em 2015 um lucro de 1,1 milhão de Real.

Em 2015 o salário médio mensal era de 2,2 salários mínimos, sendo que em 28,8% dos domicílios a renda era de até 1/2 salário mínimo por pessoa.

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Rádio: o município conta com a Rádio Cultura FM Comunitária, que transmite na frequência de 104,9 MHz, atingindo praticamente toda a sua extensão territorial. Além de receber os sinais de emissoras AM e FM de outras cidades, como Agudo, Restinga Seca, Faxinal do Soturno, Santa Maria, Sobradinho, Santa Cruz do Sul, Porto Alegre, Candelária e Cachoeira do Sul.

Televisão: Paraíso do Sul, conta com sinal de TV provenientes das repetidoras instaladas no Cerro da Figueira, no município de Agudo, sintonizando de forma regular o sinal da RBS TV Santa Maria (Rede Globo) canal 07 e de forma muito precária os sinais da TV Pampa Centro de Santa Maria (Rede TV!) no canal 02, SBT RS de Porto Alegre (SBT) no canal 04, Band RS de Porto Alegre (Rede Bandeirantes) no canal 06, TVE RS de Porto Alegre (TV Brasil) no canal 11 e a Record TV RS de Porto Alegre (Record TV) no canal 13. Devido ao fato do sinal da TV aberta ser muito precário, sendo impossível ser sintonizado em algumas regiões do município, a maioria das residências contam com antenas parabólicas instaladas (sistema analógico ou digital através das empresas de TV por assinatura), afim de que tenham uma recepção mais satisfatória de sons e imagens.

Jornal: recebe notícias escritas de jornais estaduais e regionais, que possuem circulação diária, como Zero Hora e Correio do Povo (ambos de Porto Alegre), Diário de Santa Maria (Santa Maria) e Jornal do Povo (Cachoeira do Sul), além do Jornal Integração Regional/Deutsche Integration (Restinga Seca/Agudo) com circulação semanal e integrada.

Telefone: na área da telefonia, o município pertence à área do DDD 55 e dispõem de serviços prestados pela empresa Oi na telefonia fixa (prefixo 3262) e pelas empresas Vivo, Claro e Oi na telefonia móvel. Algumas áreas do município recebe o sinal da empresa TIM, mas somente devido a invasão do sinal disponível em municípios vizinhos. A empresa Vivo oferece cobertura 4G e a Claro disponibiliza a tecnologia 3G no município.

Internet: o serviço é disponibilizado pelas empresas Oi, Vivo e Claro que operam a telefonia fixa e móvel no município. Mas a maior parte dos habitantes, acessa a rede mundial de computadores através das diversas operadoras regionais e locais que disponibilizam o sinal via rádio, o que faz com que em praticamente todas as localidades a internet esteja disponível.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Os pontos turísticos com maior destaque são:

  • Cascata do Poço Verde, na localidade de Rodeio do Herval
  • Balneário Pau-a-Pique, no rio Jacuí
  • Açude das Garças, em Mangueirinha
  • Morro Solitário, em Linha Patrimônio
  • Monumento ao Imigrante, em Vila Paraíso

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  2. «Estimativas populacionais para os municípios e para as Unidades da Federação brasileiros em 01.07.2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 25 de junho de 2017. 
  3. https://cidades.ibge.gov.br/v4/brasil/rs/paraiso-do-sul/panorama  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. a b [hhttps://cidades.ibge.gov.br/v4/brasil/rs/paraiso-do-sul/pesquisa/38/46996?detalhes=true&indicador=47001/ «Produto Interno Bruto dos Municípios»]. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 4 de AGOSTO de 2017.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. «Plano Ambiental Municipal». Prefeitura de Paraíso do Sul. Maio de 2009. Consultado em 29 de junho de 2017. 
  6. «Paraíso do Sul Rio Grande do Sul - RS Histórico» (PDF). IBGE. 26 de julho de 2010. Consultado em 29 de junho de 2017.