Parada de mão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Um dançarino acro faz uma pausa em uma pino de precisão antes de caminhar pelo palco

A parada de mão, chamado no inglês de handstand, também chamado de postura da árvore ou plantando bananeira,[1] é o ato de apoiar o corpo em uma posição vertical invertida estável equilibrando-se com as mãos no chão.[2] Na forma básica, o corpo é mantido reto com os braços e pernas totalmente estendidos, com as mãos espaçadas aproximadamente na direção dos ombros e as pernas juntas. Existem muitas variações, onde todas exigem que o artista possua equilíbrio e força na parte superior do corpo. No entanto, a prática pode ser restrita à quem tem hipertensão ou doenças cardíacas.[1]

A parada de mão é realizada em muitas atividades atléticas, como acrodance, animação de torcida, circo, ioga, calistenia e ginástica. Algumas variações são realizadas em todos os aparelhos de ginástica, e muitas habilidades de queda passam por uma posição de parada de mão durante sua execução. Breakers (b-boy e b-girl) incorporaram a parada em congelamentos e chutes. O salto ornamental da plataforma existe a posição mergulho de parada de braço - são mergulhos que começam com uma parada de mão. Os nadadores realizam paradas subaquáticas como uma acrobacia, com o corpo invertido debaixo d'água e as pernas e pés estendidos acima da superfície, tendo competições com o vencedor sendo a pessoa que pode permanecer em uma parada subaquática por mais tempo.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A parada de mão é conhecidos por vários outros nomes. Na ioga moderna como exercício, é chamado de Adho Mukha Vrksasana;[3] Na capoeira é chamado de bananeira.

Benefícios[editar | editar código-fonte]

A parada de mão traz diversos benefícios para a saúde, a saber: força da parte superior do corpo; estabilidade, amplia o equilíbrio e respiração, trazendo calma; melhora saúde dos ossos e circulação sanguínea,[4] principalmente no cérebro; consciência corporal; condicionamento físico.[5]

Ioga[editar | editar código-fonte]

No yoga como exercício, a parada está na categoria de poses invertidas; é conhecido como Adho Mukha Vrksasana,[6] ou postura da árvore voltada para baixo. No Hatha Yoga tradicional (século 18), o Vyayāmadipike, que o chama de "segundo gardam", e o Śrītattvanidhi usam em uma sequência que envolve tocar o nariz no chão; onde o Haṭhābhyāsapaddhati chama isso de syenasana, significando pose de falcão.[7]

Ginástica[editar | editar código-fonte]

Existem dois estilos básicos de parada de mão na ginástica moderna: costas retas e costas curvadas.[8] O estilo reto é empregado quando a estética das linhas retas do corpo é desejada, por exemplo quando realizada em conjunto com um aparelho de ginástica. Em muitos casos, no entanto, o estilo de costas curvadas é o preferido, pois oferece controle superior das pernas e do tronco sobre o equilíbrio. Em todos os casos, o equilíbrio é mantido deslocando o peso do corpo para os dedos ou para o calcanhar da mão.

Todos os pinos básicos de ginástica têm estas características: Braços retos com as mãos apoiadas no chão aproximadamente na direção dos ombros. Pernas retas e unidas. Dedos pontiagudos para continuar as linhas das pernas. A variação, parada de três apoios, que consiste em uma parada de mão com o apoio da cabeça no chão, auxiliando o equilíbrio do corpo durante a realização do movimento.[9]

Além disso, os pinos retos têm as seguintes características: Cabeça dobrada (face apontada para frente) como se estivesse em pé. Coluna reta, com os quadris empurrados para a frente. Se realizado deitado, isso faria com que a parte inferior das costas entrasse em contato com o solo.

Breakdance[editar | editar código-fonte]

Parada de mão em congelamentos/frezees são comuns no breakdance, em que os dançarinos se esforçam para assumir formas corporais visualmente interessantes e com alto grau de equilíbrio, que não estão sujeitas a regras formais.

Variações[editar | editar código-fonte]

As variações comuns da parada de mão incluem:

  • Pernas retas mantidas em uma abertura lateral ou frontal (split).
  • Stag split, em que as pernas são divididas na frente com os joelhos dobrados.
  • Costas extremamente arqueadas, com joelhos dobrados e dedos dos pés tocando a parte de trás da cabeça.
  • Hollowback dorso-oco, com hiperextensão das costas, de modo que as pernas ficam mais para trás do que a cabeça.
  • Uma mão one-handed, em que apenas uma mão entra em contato com o solo.
  • Pushups flexões de parada de mão, nas quais se levanta e abaixa o corpo em pé invertido nas mãos.
  • Parada de mão dividida em straddle.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b «Parada de mão: Conheça os benefícios da postura». Vitat. 19 de outubro de 2020. Consultado em 5 de agosto de 2022 
  2. «handstand». Enciclopédia The breaks 
  3. «Adho Mukha Vrksasana». Yoga Vastu. Outubro de 2020 
  4. «Parada de mão: Conheça os benefícios da postura». Vitat. 19 de outubro de 2020. Consultado em 5 de agosto de 2022 
  5. News, Campo Grande. «Amada na infância, parada de mão é exercício que ajuda o corpo e a mente». Campo Grande News. Consultado em 5 de agosto de 2022 
  6. Budilovsky, Joan; Adamson, Eve (2000). The complete idiot's guide to yoga 2 ed. [S.l.]: Penguin. ISBN 978-0-02-863970-3 
  7. Birch, Jason; Singleton, Mark (2019). «The Yoga of the Haṭhābhyāsapaddhati: Hathayoga on the Cusp of Modernity» (PDF). Journal of Yoga Studies. 2: 3-70. doi:10.34000/JoYS.2019.V2 
  8. «Different Styles of Handstands». Consultado em 29 de setembro de 2010 
  9. Marques, Monica (9 de setembro de 2017). «Ginástica de solo para crianças: conheça os benefícios!». Cia Athletica. Consultado em 5 de agosto de 2022