Paradoxo temporal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Em ficção científica, o paradoxo temporal é um fenômeno derivado das viagens no tempo para o passado. Quando o viajante do tempo vai para o passado, sua presença perturbadora, na maioria das vezes, gera resultados logicamente impossíveis, ou seja, um paradoxo.

Um clássico exemplo é o paradoxo da causa e efeito: se o viajante altera algum evento passado com o objetivo de mudar o futuro, assim que o fizesse deixaria de existir o motivo original e consequentemente a própria viagem. O motivo da viagem é a sua causa, se ele desaparecer, a viagem, que é seu efeito, também desaparece. Os autores de ficção buscam resolver os paradoxos admitindo a coexistência de universos paralelos possibilitando que as alterações nos fatos passados possam gerar futuros alternativos.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

  • Paradoxo do avô - o viajante volta no tempo e mata seu avô na infância, tornando impossível a sua própria existência;[1]
  • Paradoxo da predestinação - o viajante do tempo é pego em um ciclo de eventos que "predestina" ou "antecede" ele ou ela (O "viajante") para viajar de volta no tempo.
  • Paradoxo da acumulação -o viajante do tempo se transporta de vários pontos de sua linha temporal para o mesmo momento de passado. Haverá várias duplicatas do viajante no ponto de chegada.[2]
  • Paradoxo da duplicação - o viajante volta no tempo e encontra consigo mesmo, impedindo que faça a viagem no tempo, alterando assim sua própria história e criando uma duplicata permanente;[2]
  • Paradoxo da descontinuidade - o viajante do tempo encontra no passado um conhecido que partiu de um ponto do futuro diferente do dele. Essa pessoa pode não reconhecer o viajante, pois no presente dela eles ainda não se encontraram. Ou pode acontecer o oposto. O viajante do tempo encontrar no passado alguém que partiu de um futuro a sua frente e que sabe o que vai acontecer com ele nos próximos meses ou mesmo anos.[2]
  • Paradoxo final - a pessoa volta ao passado e impede que a tecnologia que o levou ao passado seja inventada.[2]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Em séries de TV[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «O paradoxo do avô». Super Interessante. Abril. Outubro de 1999. Consultado em 1 de julho de 2016. 
  2. a b c d «Paradoxos consequentes da viagem no tempo». UOL. 23 de janeiro de 2011. Consultado em 1 de julho de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre ficção científica e fantasia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.