Paramount Global

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Paramount
Sede da Paramount em One Astor Plaza em Nova Iorque
Razão social Paramount
Nome(s) anterior(es) ViacomCBS Inc. (2019–2022)
Empresa de capital aberto
Cotação
Atividade Conglomerado de mídia
Fundação 4 de dezembro de 2019 (2 anos)
Fundador(es) Shari Redstone
Sede One Astor Plaza, Cidade de Nova Iorque, Estados Unidos da América
Área(s) servida(s) Mundo
Proprietário(s) National Amusements[a]
Pessoas-chave
  • Shari Redstone
    (Presidente Executivo)
  • Robert Bakish
    (Presidente e CEO)
Produtos Produção cinematográfica, Produção de televisão, filmes, radiodifusão, televisão a cabo, publicação, internet
Divisões
Subsidiárias
Antecessora(s)
Website oficial www.paramount.com

Paramount Global[b] (adotando como nome comercial simplesmente Paramount)[2] é um conglomerado multinacional estadunidense de mídia de massa e entretenimento pertencente à National Amusements e sediada no One Astor Plaza em Nova Iorque, Estados Unidos. Foi formada em 4 de dezembro de 2019 como ViacomCBS Inc. através da refusão da CBS Corporation e da Viacom, que foram originadas a partir da cisão da Viacom original em 2006.[3] Em 16 de fevereiro de 2022, durante sua apresentação de resultados do último trimestre de 2021, a empresa anunciou que mudaria seu nome para Paramount Global.[4]

As principais propriedades da Paramount incluem o estúdio de cinema e televisão homônimo Paramount Pictures, o CBS Entertainment Group (composto pelas redes de televisão CBS e The CW, emissoras de TV e outros ativos da marca CBS), Media Networks (compostas por redes de televisão a cabo sediadas nos EUA incluindo MTV, Nickelodeon, BET, Comedy Central e Showtime), e os serviços de streaming da empresa (incluindo Paramount+, Showtime OTT e Pluto TV). Também possui uma divisão internacional dedicada que gerencia versões internacionais de canais de TV por assinatura, bem como ativos específicos regionais, incluindo a Telefe da Argentina, o Channel 5 do Reino Unido e uma participação de 30% no estúdio Rainbow S.p.A. na Itália.[5]

A empresa opera mais de 170 redes de TV e atinge aproximadamente 700 milhões de assinantes em 180 países.

História[editar | editar código-fonte]

Linha evolutiva da Paramount
1912 Paramount Pictures é fundada
1927 CBS é fundada
1929 Paramount adquire 49% da CBS
1932 Paramount vende sua participação na CBS
1950 Desilu é fundada e a CBS distribui seus programas de televisão
1952 CBS cria a subsidiária CBS Television Film Sales
1958 CBS Television Film Sales renomeada como CBS Films
1966 Gulf+Western compra a Paramount
1968 Gulf+Western adquire a Desilu e a rebatiza como Paramount Television & CBS Films se torna CBS Enterprises
1970 CBS Enterprises renomeada como Viacom
1971 Viacom é separada da CBS como uma empresa independente.
1985 Viacom adquire totalmente a Showtime/The Movie Channel, Inc. e a MTV Networks
1986 National Amusements adquire a Viacom
1989 Gulf+Western muda para Paramount Communications
1994 Viacom adquire a Paramount Communications
1995 Westinghouse adquire a CBS
1997 Westinghouse se rebatiza como CBS Corporation
1999 Viacom adquire a CBS Corporation
2001 Viacom adquire a BET Networks
2006 Viacom se divide entre CBS Corporation and Viacom
2019 CBS Corporation and Viacom se fundem novamente para formar a ViacomCBS
2022 ViacomCBS muda seu nome para Paramount Global

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

A Paramount Pictures, a CBS e a Viacom tinham um histórico de associação uma com a outra por meio de uma série de várias fusões e cisões corporativas.[6] A Paramount Pictures foi fundada em 1912 como a Famous Players Film Company. A CBS foi fundada em 1927, na qual a Paramount Pictures detinha 49% de participação de 1929 a 1932.[7][8] Em 1952, a CBS formou a CBS Films, uma divisão que administrava os direitos de distribuição da acervo de produções da CBS. Esta divisão foi renomeada CBS Enterprises Inc. em janeiro de 1968 e novamente renomeada Viacom em 1970. Em 1971, esta divisão de redifusão foi desmembrada em meio às novas regras da FCC que proibiam as redes de televisão de possuir empresas de sindicação, que foram abolidas completamente em 1993.[9] Em 1985, a Viacom adquiriu a participação da Warner Communications e da American Express na MTV Networks e na Showtime/The Movie Channel, Inc., tornando-se a única proprietária.[10] Em 1986, a Viacom foi adquirida pela operadora de salas de cinema National Amusements.

Enquanto isso, a Paramount Pictures foi adquirida pela Gulf and Western Industries em 1966, que se renomeou como Paramount Communications em 1989.[11] Em 1994, a Viacom adquiriu a Paramount Communications.

Em 1999, a Viacom fez sua maior aquisição até então ao anunciar planos de fusão com a CBS Corporation, outrora Westinghouse Electric Corporation, que havia adquirido a CBS em 1995. A fusão foi concluída em 2000, resultando na reunião da CBS com sua antiga divisão de distribuição. Em 3 de janeiro de 2006, a Viacom foi dividida em duas empresas: CBS Corporation, a sucessora corporativa da primeira e a empresa desmembrada da Viacom que herdou seu nome.[12]

Segunda fusão entre a antiga Viacom e a CBS Corporation[editar | editar código-fonte]

Em 29 de setembro de 2016, a National Amusements, a empresa-mãe da CBS Corporation e da Viacom, escreveu às diretorias da Viacom e da CBS incentivando as duas empresas a se fundirem novamente em uma empresa.[13] Em 12 de dezembro, o negócio foi cancelado.[14] Em 12 de janeiro de 2018, a CNBC informou que a Viacom havia reiniciado as negociações para se fundir novamente à CBS Corporation, após a fusão da AT&T com a Time Warner e a proposta de aquisição da 21st Century Fox pela Disney ter sido anunciada. A Viacom e a CBS também enfrentavam forte concorrência de empresas como Netflix e Amazon.[15] Pouco depois, foi informado que a empresa combinada poderia ser uma pretendente para adquirir o estúdio de cinema Lionsgate.[16] Viacom e Lionsgate estavam ambas interessadas em adquirir The Weinstein Company. Após o Efeito Weinstein, a Viacom foi listada como um dos 22 potenciais compradores interessados ​​em adquirir a TWC.[17] Eles perderam a licitação e, em 1º de março de 2018, foi anunciado que Maria Contreras-Sweet iria adquirir todos os ativos da TWC por US$ 500 milhões.[18][19] Lantern Capital posteriormente adquiriu o estúdio.

Em 30 de março de 2018, a CBS fez uma oferta de todas as ações ligeiramente abaixo do valor de mercado da Viacom, insistindo que sua então diretoria, incluindo o presidente e CEO de longa data Les Moonves, supervisionasse a empresa reunida. A Viacom rejeitou a oferta como muito baixa, solicitando um aumento de US$ 2,8 bilhões e que Robert Bakish fosse mantido como presidente e COO sob Moonves. Esses conflitos resultaram de Shari Redstone buscar mais controle sobre a CBS e sua diretoria.[20][21]

Eventualmente, em 14 de maio de 2018, a CBS Corporation processou sua empresa controladora da Viacom, a National Amusements, e acusou Redstone de abusar de seu poder de voto na empresa e forçar uma fusão que não foi apoiada por ela ou pela Viacom.[22][23] A CBS também acusou Redstone de desencorajar Verizon Communications de adquiri-la, o que poderia ter sido benéfico para seus acionistas.[24] Em 23 de maio de 2018, Les Moonves explicou que considerava os canais da Viacom um "albatroz" e, embora ele favorecesse mais conteúdo para CBS All Access, ele acreditava que lá foram acordos melhores para a CBS do que a fusão com a Viacom, como Metro-Goldwyn-Mayer, Lionsgate ou Sony Pictures. Moonves também considerava Bakish uma ameaça porque não queria um aliado de Shari Redstone como membro do conselho da empresa combinada.[25]

Em 9 de setembro, Les Moonves saiu da CBS após várias acusações de agressão sexual. A National Amusements concordou em não fazer propostas de fusão CBS-Viacom por pelo menos dois anos após a data do acordo.[26]

Em 30 de maio de 2019, a CNBC informou que a CBS Corporation e a Viacom explorariam as discussões de fusão em meados de junho de 2019. A diretoria da CBS foi reformulada com pessoas que estavam abertas à fusão; a fusão foi possível com a renúncia de Moonves, que se opôs a todas as tentativas de fusão. As conversas começaram após rumores de que a CBS iria adquirir a Starz da Lionsgate.[27] Relatórios disseram que a CBS e a Viacom supostamente estabeleceram 8 de agosto como um prazo informal para chegar a um acordo para recombinar as duas empresas de mídia.[28][29] CBS anunciou a aquisição da Viacom como parte do acordo de fusão por até US $ 15,4 & nbsp; bilhões.[30] Em 2 de agosto de 2019, foi relatado que a CBS e a Viacom concordaram em se fundir novamente em uma única entidade. Ambas as empresas chegaram a um acordo sobre a equipe de gestão para a fusão, com Bob Bakish atuando como CEO da empresa combinada com presidente e CEO em exercício , Joseph Ianniello, supervisionando os ativos da marca CBS.[31] Em 7 de agosto de 2019, CBS e Viacom relataram separadamente seus relatórios trimestrais ganhos à medida que as conversas sobre a fusão continuavam.[32][33]

Início das operações[editar | editar código-fonte]

Em 13 de agosto de 2019, a CBS e a Viacom anunciaram oficialmente sua fusão; a empresa combinada deveria se chamar ViacomCBS, com Shari Redstone atuando como presidente.[34][35][36] Após o acordo de fusão, a Viacom e a CBS anunciaram em conjunto que a transação deverá ser concluída até o fim de 2019, com aprovações regulatórias e dos acionistas pendentes.[36] A fusão exigiu a aprovação da Federal Trade Commission.[36]

Em 28 de outubro de 2019, a fusão foi aprovada pela National Amusements, que então anunciou que o negócio seria fechado no início de dezembro; a empresa recombinada negociará suas ações em NASDAQ sob os símbolos "VIAC" e "VIACA" após a CBS Corporation retirar suas ações da Bolsa de Valores de Nova York.[37][38] Em 25 de novembro de 2019, a Viacom e a CBS anunciaram que a fusão seria fechada em 4 de dezembro e comece a negociar na NASDAQ no dia seguinte.[39][40] Em 4 de dezembro de 2019, Bakish confirmou que a fusão da ViacomCBS havia sido fechada.[41] Em 10 de dezembro de 2019, Bakish anunciou que a ViacomCBS iria desinvestir Black Rock, o prédio que abrigava a sede da CBS desde 1964. Ele afirmou: "Black Rock não é um ativo que precisamos possuir e acreditamos esse dinheiro seria melhor usado em outro lugar. "[42] Em 20 de dezembro de 2019, a ViacomCBS concordou adquirir uma participação minoritária de 49% no estúdio de cinema Miramax do beIN Media Group por US $ 379 milhões. Como parte da compra, a Paramount Pictures fechou um acordo de longo prazo para os direitos de distribuição exclusiva de sua biblioteca e first-look acordos para co-desenvolver novos projetos de cinema e televisão com base em propriedades de propriedade da Miramax.[43]

Em 2 de março de 2020, o vice-presidente executivo Dana McClintock anunciou que deixaria a empresa após 27 anos na CBS Communications.[44] Em 4 de março, a empresa anunciou planos de potencialmente vender sua unidade de publicação Simon & Schuster, com Bakish argumentando que faltava uma "conexão significativa para nossos negócios mais amplos.” ​​[45] Em 19 de junho de 2020, Jaime Ondarza, ex-vice-presidente sênior da Turner Broadcasting Sul da Europa e África, tornou-se o novo chefe da ViacomCBS Networks International para França, Espanha, Itália, Oriente Médio, Grécia e Turquia.[46]

Em 4 de agosto de 2020, a ViacomCBS anunciou que a plataforma de publicidade de vídeo conectada EyeQ será lançada neste outono.[47] m 14 de setembro de 2020, a ViacomCBS anunciou um acordo para vender CNET para Red Ventures por US$ 500 milhões. O negócio incluirá o site de tecnologia CNET de mesmo nome, bem como ZDNet, GameSpot, os ativos digitais Guia de TV, Metacritic e Chowhound.[48][49] O negócio foi fechado em 30 de outubro de 2020.[50]

Em 17 de novembro de 2020, a Vivendi, a Penguin Random House e a HarperCollins consideraram adquirir a Simon & Schuster por até US$ 1,7 bilhão. A ViacomCBS esperava que os lances fossem feitos antes do Dia de Ação de Graças de 2020 (26 de novembro).[51] Em 25 de novembro de 2020, a Penguin Random House concordou em comprar Simon & Schuster por US $ 2,175 bilhões, com aprovação regulatória pendente.[52] A ViacomCBS também mantém ligações não oficiais estreitas com o Sumitomo Mitsui Banking Corporation do Japão, porque no Japão CBS News, Canal 5 e Rede 10 tem acordos abrangentes com Mitsui keiretsu membro Tokyo Broadcasting System para noticiários e retransmissões por satélite; tendo o primeiro firmado seu contrato com a Tokyo Broadcasting System em 20 de setembro de 1991, antes da fusão original Viacom/CBS em 2000.

Em 2022, a ViacomCBS Mudou de nome para Paramount Global,[53] para se aproximar mais ao streaming Paramount+.

Ativos[editar | editar código-fonte]

A Paramount compreende cinco unidades principais:

Outros ativos de propriedade da Paramount incluem a Paramount International Networks, a editora Simon & Schuster, a VidCon, a organização de artes marciais mistas Bellator e a empresa de mídia e entretenimento Awesomeness. Desde novembro de 2019, Awesomeness é supervisionada por seu cofundador Brian Robbins, executivo da Paramount Media Networks. A empresa também tem participação não especificada na FuboTV, adquirida em 2020.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. National Amusements owns 79.9% of the voting power, and a 9.7% overall equity interest in the company.[1]
  2. Nome exato conforme mostrado no registro de corporações de Delaware sob o arquivo nº. 2106821.

Referências

  1. «2021 Proxy Statement». ViacomCBS, Inc. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  2. Goldsmith, Jill (15 de fevereiro de 2022). «ViacomCBS To Rebrand, New Name Is 'Paramount'». Deadline Hollywood. Consultado em 15 de fevereiro de 2022 
  3. «Rede líder de audiência nos EUA, CBS conclui fusão com a Viacom». Notícias da TV. 5 de dezembro de 2019. Consultado em 21 de abril de 2022 
  4. «Paramount+ chega a 56 milhões de assinantes e faz ViacomCBS mudar de nome». Terra. Consultado em 21 de abril de 2022 
  5. Brzeski, Scott Roxborough,Patrick; Roxborough, Scott; Brzeski, Patrick (24 de maio de 2021). «Why Local-Language Adaptations Are the Next Round of Remakes». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 21 de abril de 2022 
  6. «Why ViacomCBS has renamed itself as Paramount». Newsweek (em inglês). 16 de fevereiro de 2022. Consultado em 27 de abril de 2022 
  7. Bergreen, Laurence (1981). Look now, pay later : the rise of network broadcasting. New York: New American Library. OCLC 7415185 
  8. Barnouw, Erik (1966). A history of broadcasting in the United States. 1, A tower in Babel : to 1933. 1. New York: Oxford University Press. OCLC 38223110 
  9. D. Croteau; W. Hoynes (2006). The Business of Media: Corporate Media and the Public Interest. Thousand Oaks, California: Pine Forge Press. p. 100–101 
  10. Fabrikant, Geraldine (17 de setembro de 1986). «VIACOM CHIEF LEADS GROUP'S BUYOUT BID (Published 1986)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 23 de janeiro de 2021. In November 1985, Viacom acquired MTV for $326 million in cash and warrants. One-third of MTV was publicly owned; the rest was owned by Warner Communications and the American Express Company. At the same time, Viacom bought the 50 percent of Showtime, the pay televison service, that it did not already own for $184 million. 
  11. «Gulf & Western Wants Buyer for Finance Division : Paramount's Parent Plans to Change Name, Focus on Entertainment, Publishing». Los Angeles Times (em inglês). 4 de outubro de 1989. Consultado em 21 de abril de 2022. Cópia arquivada em 26 de junho de 2013 
  12. «Conselho da Viacom aprova divisão em duas companhias». Exame. 12 de outubro de 2010. Consultado em 21 de abril de 2022 
  13. Szalai, George (29 de setembro de 2016). «National Amusements Propõe Viacom, CBS Reunion, Cites "Substantial Synergies"». The Hollywood Reporter. Consultado em 13 de outubro de 2016 
  14. «Shari Redstone retira a proposta de fusão CBS-Viacom». CNBC. 12 de dezembro de 2016. Consultado em 17 de dezembro de 2016 
  15. Wang, Christine (12 de janeiro de 2018). «Viacom, ações da CBS sobem após relatório Shari Redstone perseguindo fusão de empresas». CNBC. Consultado em 12 de janeiro de 2018 
  16. Busch, Anita; Chmielewski, Anita (17 de janeiro de 2019). «Lionsgate maduro para aquisição como Amazon, Verizon e CBS-Viacom emergem como pretendentes potenciais». Prazo Hollywood. Consultado em 19 de janeiro de 2018 
  17. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome thewrap.com
  18. Ryan Faughnder (1º de março de 2018). «Ex-funcionário do governo Obama chegou a um acordo para comprar ativos da Weinstein Co.». Los Angeles Times. Consultado em 2 de março de 2018 
  19. Chmielewski, Dawn (2 de março de 2018). 2018/03/weinstein-company-deal-board-of-Directors-maria-contreras-sweet-harvey-weinstein-1202307564/ «TWC Board, New York AG Confirme que Maria Contreras-Sweet Group adquiriu ativos da Weinstein Company» Verifique valor |url= (ajuda). Deadline Hollywood. Consultado em 2 de março de 2018 
  20. «Moonves vs. Redstone: Por dentro da guerra venenosa pelo controle da CBS e da Viacom». The Hollywood Reporter. Consultado em 11 de abril de 2018 
  21. Littleton, Cynthia (11 de abril de 2018). «A contenda da CBS-Viacom poderia fazer com que Leslie Moonves se afastasse?». Variedade. Consultado em 11 de abril de 2018 
  22. «CBS processa firma de Redstones em escalada de luta duradoura». Bloomberg LP. 14 de maio de 2018. Consultado em 14 de maio de 2018 
  23. Chmielewski, Dawn C. (14 de maio de 2018). «National Amusements dispara de volta ao processo da CBS, diz que está "indignado" pelas alegações». Deadline Hollywood. Consultado em 14 de maio de 2018 
  24. Chmielewski, Dawn C. (14 de maio de 2018). «Verizon manifestou interesse em adquirir a CBS antes das conversas da Viacom Heated Up». Deadline Hollywood. Consultado em 26 de maio de 2018 
  25. Bond, Paul (23 de maio de 2018). «Por trás da Cruzada de Leslie Moonves para salvar a CBS da Viacom». The Hollywood Reporter. Consultado em 26 de maio de 2018 
  26. Parker, Ryan (9 de setembro de 2018). «Leslie Moonves sai da CBS após ser acusada de crimes sexuais, violência de mais mulheres». The Hollywood Reporter 
  27. James, Meg (30 de maio de 2019). «As negociações de fusão da CBS e da Viacom devem ser retomadas». Los Angeles Times. Consultado em 2 de junho de 2019 
  28. Munson, Ben (16 de julho de 2019). «CBS, Viacom definiu prazo final no início de agosto para acordo remerger - report». FierceVideo. Consultado em 20 de julho de 2019 
  29. Littleton, Synthia (19 de julho de 2019). «CBS, Viacom Boards lutam com o gerenciamento pós-fusão Decisões mentais, Fim do papel de COO (EXCLUSIVO)». Variety. Consultado em 20 de julho de 2019 
  30. «Como uma CBS-Viacom incorporada pode tentar competir com os gigantes de Hollywood». The Hollywood Reporter. 19 de julho de 2019. Consultado em 7 de agosto de 2019. O plano da CBS de adquirir a Viacom por até US$ 15,4 bilhões pode ser anunciado em 8 de agosto, dando ao seu acionista controlador a capacidade para aproveitar IP como 'Star Trek' em filmes e TV para competir melhor com Disney, Netflix e o resto. 
  31. «CBS, Viacom Reach Tentative Deal on Equipe para liderar a empresa combinada»Subscrição paga é requerida. The Wall Street Journal. Consultado em 3 de agosto de 2019 
  32. Lafayette, Jon (7 de agosto de 2019). «CBS -Viacom Deal Don't Make Deadline». Broadcasting Cable 
  33. Bouma, Luke (7 de agosto de 2019). «CBS & Viac O anúncio de fusão de om está supostamente atrasado enquanto as conversas continuam». Cord Cutters News 
  34. Gasparino, Charles; Moynihan, Lydia (13 de agosto de 2019). «CBS, Viacom concorda em se fundir, formando uma empresa de entretenimento de $ 28B». Fox Business. Consultado em 13 de agosto de 2019 
  35. Szalai, George; Bond, Paul; Vlessing, Etan (13 de agosto de 2019). «CBS, Viacom Strike Deal to Recombine». The Hollywood Reporter. Consultado em 15 de agosto de 2019 
  36. a b c «CBS e Viacom para combinar» (PDF). CBS. 12 de agosto de 2019 
  37. Steinberg, Brian (28 de outubro de 2019). «Viacom, CBS definida para mesclar no início de dezembro». Variety. Consultado em 28 de outubro de 2019 
  38. Weprin, Alex (29 de outubro de 2019). «Fusão da Viacom-CBS agora com conclusão prevista para 'início de dezembro'». Billboard. Consultado em 29 de outubro de 2019 
  39. «CBS Corporation e Viacom Inc. anunciam data prevista de fechamento da fusão». businesswire.com. 25 de novembro de 2019. Consultado em 26 de novembro de 2019 
  40. «CBS e Viacom revelam a data de fusão de dezembro - Marque em seus calendários». 25 de novembro de 2019 
  41. Weprin, Alex (4 de dezembro de 2019). «Memorando de Bob Bakish para a equipe da ViacomCBS: Fusão "Um momento histórico"». The Hollywood Reporter. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  42. Weprin, Alex. «Sede histórica da CBS em Nova York a ser vendida». The Hollywood Reporter. Consultado em 10 de dezembro de 2019 
  43. Szalai, Georg (20 de dezembro de 2019). «ViacomCBS para adquirir 49 por cento de participação na Miramax por $ 375 & nbsp; milhões». The Hollywood Reporter. Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  44. Patten, Dominic (2 de março de 2020). «CBS Communications Chief Dana McClintock para sair neste verão após 27 anos na empresa». Deadline (em inglês). Consultado em 3 de março de 2020 
  45. Baysinger, Tim (4 de março de 2020). «ViacomCBS para vender o editor Simon and Schuster». TheWrap (em inglês). Consultado em 14 de julho de 2020 
  46. «ViacomCBS contrata o ex-executivo da Turner Jaime Ondarza para a função na Europa». TBI Vision (em inglês). 19 de junho de 2020. Consultado em 24 de junho de 2020 
  47. Hayes, Dade (4 de agosto de 2020). «ViacomCBS define o lançamento do EyeQ, uma oferta abrangente Para anunciantes». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 4 de agosto de 2020 
  48. Hayes (14 de setembro de 2020). [https://techcrunch.com/2020/09/14/red- ventures-adquire-CNET-media-group-de-viacomcbs-para-500 / guccounter = 1 & guce_referrer = aHR0cHM6Ly93d3cuZ29vZ2xlLmNvLnVrLw & guce_referrer_sig = AQAAAMqK49J0AJu7daul1dm- cYSAwq7cGMHxwALrihxjpn1qzw5QFvhVQc52KTZM32aJl6udfQyr3rZVLTSRuf0kXYoORsqSv0o40c0qD4JiSAjOuGT2caPNZyHuctgfLW3eqfeuNmat_M13y7vs7V_se-5cBj4bkM5RG6LXqM8at5lT «Red Ventures adquire CNET Media Group da ViacomCBS por US $ 500 milhões»] Verifique valor |url= (ajuda). techcrunch.com (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2020  line feed character character in |url= at position 212 (ajuda)
  49. Mullin, Benjamin (14 de setembro de 2020). «WSJ News Exclusivo | ViacomCBS para vender CNET à Red Ventures por US $ 500 milhões». Wall Street Journal (em inglês). ISSN 0099-9660. Consultado em 15 de setembro de 2020 
  50. «Red Ventures anuncia fechamento de aquisição da CNET Media Group». PR Newswire (em inglês). 30 de outubro de 2020. Consultado em 6 de novembro de 2020 
  51. Goldsmith, Jill (17 de novembro de 2020). «Simon & Schuster Vencimento no Dia de Ação de Graças; News Corp., Bertelsmann, Vivendi Contenders for ViacomCBS Publisher». Deadline. Consultado em 28 de novembro de 2020 
  52. Whitten, Sarah (25 de novembro de 2020). «ViacomCBS vende Simon & Schuster para a Penguin Random House por US $ 2 bilhões». CNBC. Consultado em 28 de novembro de 2020 
  53. Goldsmith, Jill (15 de fevereiro de 2022). «ViacomCBS To Rebrand, New Name Is 'Paramount'». Deadline Hollywood. Consultado em 15 de fevereiro de 2022